CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

CAMPANHA ENTORNO GOIÁS
CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

sábado, 29 de junho de 2024

Nove são presos por golpe do falso financiamento

 

Empresa anunciava veículos em plataformas de venda, no entanto, durante a operação foi comprovado que a mesma não tinha nenhum veículo para vender


Nove pessoas foram presas e uma empresa interditada que fica no Setor Oeste, em Goiânia, na última quinta-feira, 27, durante uma operação conjunta do Procon Goiás e Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) suspeitas de aplicarem o golpe do falso financiamento.

De acordo com as informações divulgadas pelo órgão de defesa do consumdiro em Goiás, desde abril do ano passado essa e outras empresas são fiscalizadas pelo órgão. Além da empresa interditada nesta ação, outras 34 já foram fechadas pelo Procon Goiás.


De acordo com as informações divulgadas, durante a operação, nove vendendores que ainda mantinham anúncios de venda de automovéis em plataformas como marketplace foram presos. Os anúncios segundo a polícia eram de vendas de carros e motos com preços bem atrativos.

O golpe consistia no anúncio dos itens em diversas plataformas. Os clientes então entravam em contato com os vendedores, e eles eram informados que era preciso dar uma entrada de R$ 2 mil para dar início ao processo de financiamento, além de terem a condições facilitadas para terem o crédito. Segundo as investigações, pessoas com o nome negativado também recebiam propostas da empresa para ter o crédito.

Após receber a entrada das vítimas do golpe, os vendedores simplesmente desapareciam eo contato ficava cada vez mais difícil. E, depois de algum tempo é que os clientes decobriam que o contrato assinado não era para financiar o veículo anunciado, mas sim de assessoria financeira, e mesmo com o pedido para ter o dinheiro devolvido pela empresa, o mesmo não era atendido.

Não havia veículos para serem vendido pela empresa

Durante a operação deflagarada na quinta-feira, 27, foi descoberto pelos fiscais e pela polícia que a empresa não tinha nenhum veículo para vender, e que as imagens usadas por ela eram apenas ilustrativas nos anúncios. Além disso as investigações apontaram que o pagamento das entradas para obter os créditos era feito na conta pessoa da dona do estabelecimento.

A empresa vai ter o prazo de 20 dias para apresentar uma contestação junto ao Procon, uma vez que a mesma não apresentava informações claras sobre os serviços ofertados, ser autuada por propaganda enganosa e com isso a mesma foi interditada pelo Procon Goiás.

Além de a interdição da empresa foram apreendidos documentos no local, e nove funcionários do establecimento foram presos em flagrante por estelionato.

Fonte: https://www.dm.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário