A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS

A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS
VALPARAÍSO QUE EU QUERO 27

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Caiado participa de missa de Ação de Graças na Catedral Metropolitana na segunda-feira

caiado-missa-catedral-ronaldo-arquidiocese-staedwiges.jpg



Acompanhado da família, o governador eleito Ronaldo Caiado (Democratas) participa, nesta segunda-feira, 31, às 19 horas, da tradicional Missa de Ação de Graças da Catedral Metropolitana de Goiânia. 
Presidida pelo arcebispo da capital, Dom Washington Luís, a celebração é uma tradição litúrgica que acompanha a vida da Igreja e será onde o democrata renovará a fé para iniciar esta nova fase de sua vida pública. 
“Escolhi terminar o ano agradecendo a Deus por todas as conquistas de 2018. Vivemos um momento de muitos desafios e precisaremos de muita sabedoria para superá-los. Eu sou um homem devoto e muito grato por todas as bênçãos que Deus me derramou”, afirma. 
De acordo com Dom Washington, durante a Santa Missa serão entregues a Deus os benefícios de 2018 e os fiéis serão exortados a viver as virtudes eclesiais no ano que nasce.
“A exortação faz parte da cunhada eclesial, pois muitos entram numa nova empreitada, com raízes postas em dificuldades e tribulações já idas. Esta liturgia remete a esperança de novos desafios, animando a comunidade, comunicando e anunciando a presença de Deus”, explica. 
A missa faz parte das solenidades de posse do governador Ronaldo Caiado, que se iniciam no dia 31 de dezembro e vão até o dia 2 de janeiro, quando haverá a posse do novo secretariado.
Para a celebração na Catedral Metropolitana foram convidadas as principais autoridades de Goiás, como presidentes dos tribunais, políticos eleitos, comandantes militares e toda a comunidade. 
“O apelo a celebração vem desde a antiga aliança, desde o Sinai. Onde é invocada a proteção divina. A liturgia é um sinal de compromisso público dos revestimentos com o poder de governo, louvando e renovando compromisso com a paz e a relação com Deus”, arremata o arcebispo.
Fonte;Diário de Goiás 

Listão dos campeões 27 políticos que são os grandes vencedores de 2018

No topo da lista figuram Ronaldo Caiado, Vanderlan Cardoso, Jorge Kajuru, Delegado Waldir, Henrique César, Flávia Morais e Zacharias Calil
Jornal Opção listou os 27 políticos mais bem-sucedidos — e não só eleitoralmente (ainda que a vitória nas urnas tenha sido decisiva na avaliação) — de 2018. O principal vitorioso é Ronaldo Caiado, do DEM, que foi eleito governador de Goiás e, além disso, retirou do poder o PSDB, que havia vinte anos mandava no Estado. O segundo grande vitorioso foi Vanderlan Cardoso, o mais bem votado para senador. Jorge Kajuru, mesmo com escassa experiência política, foi eleito senador, portanto é um dos grandes vencedores. A Assembleia de Deus logicamente não disputa eleições, mas saiu fortalecida, tornando-se quase um partido político no Estado. Vanderlan Cardoso, Luiz Carlos do Carmo — ambos senadores —, João Campos e Glaustin da Fokus, deputados federais, e Henrique César, deputado estadual, pertencem à Assembleia de Deus. Henrique César foi o deputado estadual mais bem votado. A lista está em ordem alfabética — e não em ordem de importância.
Prefeito de Catalão, Adib Elias: “Nem mesmo o prórprio governo sabe o tamanho do buraco que fez” | Foto: Y. Maeda
1 — Adib Elias — General eleitoral de Ronaldo Caiado, levando parte do MDB para sua campanha, mesmo sem disputar mandato, é um dos vencedores de 2018. Provou que tem força política e que transfere voto. Convocado para presidir a Agetop, afirma que vai ficar na Prefeitura de Catalão. Em 2022, daqui a quatro anos, deve ser candidato a senador ou a vice-governador. Do MDB.
Foto: Divulgação
2 — Adriana Accorsi — A deputada estadual escapou à debacle petista e foi reeleita, obtendo a quinta maior votação. É cotada para disputar a Prefeitura de Goiânia. Não é radical e é equilibrada. Do PT.
Foto: Divulgação
3 — Alexandre Baldy — Não disputou eleição, mas foi decisivo para eleger um senador, Vanderlan Cardoso (PP), e um deputado federal, Adriano do Baldy (PP). Ministro das Cidades, ficou com os louros e não absorveu desgaste do governo de Michel Temer. O novo governador de São Paulo, João Doria, o escolheu para ser secretário de Transportes — o que prova que se tornou um player político nacional. É um dos grandes vencedores de 2018, mesmo não tendo disputado eleição. Do PP.
Foto: Marcos Kennedy
4 — Álvaro Guimarães — Autêntico diplomata, dialoga com todas as forças políticas na Assembleia Legislativa. Ganhou triplamente: foi reeleito deputado estadual, derrotou Gugu Nader (PTB) e deve ser eleito presidente da Assembleia Legislativa. É do DEM.
Foto: arquivo
5 — Antônio Gomide — O PT moeu vários de seus candidatos. Mas o petista escapou do Armagedom. A Assembleia tem 41 deputados e ele foi o décimo mais votado, como 36.998 votos. É forte candidato a prefeito de Anápolis.
Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção
6 — Célio Silveira — Basta dizer que foi o único político do PSDB eleito para deputado federal em 2018. Porque tem voo próprio e não depende das estruturas do partido. Deve deixar de ser tucano assim que sair a janela de mudança partidária ou pode se filiar a algum partido que surgir das fusões. O DEM quer conquistar seu passe. Assim como o PSL.
Deputado Delegado Waldir | Foto: Arquivo
7 — Delegado Waldir Soares — Foi o deputado federal mais bem votado em 2014 e em 2018. Na eleição deste ano, obteve 274.406 votos (9,05% dos votos válidos). Tem prestígio real junto ao presidente da República, Jair Bolsonaro. É do PSL.
Diego Sorgatto: campeão de votos no Entorno de Brasília
8 — Diego Sorgatto — O deputado estadual escapou ao terremoto que praticamente destruiu o PSDB em Goiás e foi o quarto mais votado. É cotado para ser candidato a prefeito de Luziânia. Deve trocar o PSDB por outro partido.
Vereador Elias Vaz (PSB) | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção
9 — Elias Vaz — O PSB só não “morreu” em Goiás porque o vereador foi eleito deputado federal. Ele é forte candidato a prefeito de Goiânia em 2020.
Foto: Fernando Leite / Jornal Opção
10 — Ernesto Roller — Não disputou eleição, mas contribuiu, de maneira decisiva, para levar parte do MDB a apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado para governador. Indicado para a Secretaria de Governo, será homem-chave da gestão. Pode ser candidato a senador em 2022.
Foto: Divulgação
11 — Flávia Morais — Trata-se de um fenômeno político. É discreta em termos de aparições públicas, mas ativíssima no interior. Reeleita, com a segunda maior votação, a deputada federal é cotada inclusive para disputar a Prefeitura de Goiânia. Do PDT.
Foto: arquivo
12 — Francisco Júnior — Eleito deputado federal, é cotado para disputar a Prefeitura de Goiânia. Articulado, foi um dos políticos bem votados de 2018.
Glaustin da Fokus | Foto: Reprodução
13 — Glaustin da Fokus — Sexto mais votado para deputado federal, o empresário era desconhecido, em termos políticos. Bancado pela Assembleia de Deus, deixou para trás políticos mais experientes. Pode ser candidato a prefeito de Aparecida de Goiânia. Do PSC.
Foto: Divulgação
14 — Gustavo Sebba — Escapou da hecatombe do PSDB e foi reeleito deputado estadual. Adib Elias, seu adversário político em Catalão, não conseguiu eleger deputado estadual. Pode ser candidato a prefeito de Catalão.
Foto: divulgação
15 — Henrique César — Integrante da Assembleia de Deus, foi eleito deputado estadual com a maior votação — 46.545 votos (1,51% dos votos válidos). Do PSC.
João Campos | Foto: Divulgação
16 — João Campos — Reeleito deputado federal, é candidato a presidente da Câmara dos Deputados — o que comprova sua força política. É um player político nacional. Do PRB.
Vereador Jorge Kajuru (PRP) | Foto: Alberto Maia / Câmara Municipal de Goiânia
17 — Jorge Kajuru — É um dos maiores fenômenos eleitorais de 2018. Era vereador e foi eleito senador. Aparece nas pesquisas como favorito para a Prefeitura de Goiânia. Mas quer ficar em Brasília. PRP (Patriota).
Lincoln Tejota| Foto: Y. Maeda
18 — Lincoln Tejota — Era deputado estadual e se tornou vice-governador de Goiás. Articula com habilidade e sabe pressionar. É do Pros.
Luiz Carlos do Carmo | Foto: Arquivo
19 — Luiz Carlos do Carmo — Não disputou eleição, mas, com a vitória de Ronaldo Caiado para governador, assume, em janeiro, mandato de senador. Ganhou quatro anos em Brasília. Pertence ao grupo dos evangélicos da Assembleia de Deus. Do MDB.
Major Araújo | Foto: reprodução
20 — Major Araújo — Reeleito deputado estadual, é um crítico duro de seus adversários. Deve ser candidato a prefeito de Goiânia. Vai trocar o PRP pelo PSL.
Foto: Alego
21 — Paulo Cezar Martins — O deputado estadual é um fenômeno político. Mesmo com o MDB em baixa, foi o quarto mais votado em 2018.
Foto: Alexandre Tavares
22 — Romário Policarpo — Não disputou mandato em 2018. Mas, ao ser eleito presidente da Câmara, lutando bravamente contra o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, e os articuladores do governador Ronaldo Caiado, merece figurar na lista dos maiores vencedores deste ano. Do Pros.
Foto: Reprodução
23 — Ronaldo Caiado — Merece o título de maior vencedor da política de Goiás em 2018. O líder do DEM destronou o grupo do ex-governador Marconi Perillo, que estava no poder havia 20 anos, e foi eleito governador.
Vanderlan Cardoso | Foto: Jornal Opção
24 — Vanderlan Cardoso — Eleito senador mais vem votado de 2018, provou que tem força política. Cotado para disputar a Prefeitura de Goiânia, prefere permanecer em Brasília. Do PP.
Vinicius Cerqueira (Pros) | Foto: Alberto Maia / Câmara Municipal
25 — Vinicius Cirqueira — Foi eleito vereador em 2016 e deputado estadual em 2018. Na Câmara Municipal, participou ativamente da articulação que levou Romário Policarpo a ser eleito presidente do Legislativo de Goiânia.
Virmondes Cruvinel PSDB | Foto: Divulgação
26 — Virmondes Cruvinel — O PPS praticamente foi soterrado em 2018. Mas o deputado estadual foi reeleito, com mais de 30 mil votos. Figura entre os possíveis candidatos a prefeito de Goiânia.
Zacharias Calil | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção
27 — Zacharias Calil — Médico, fez uma campanha franciscana e, mesmo assim, foi o terceiro deputado federal mais bem votado em 2018. Pode disputar a Prefeitura de Goiânia. Do DEM.

Fonte:Jornal Opção

domingo, 30 de dezembro de 2018

Declaração polêmica --Por meio de decreto, Bolsonaro quer conceder posse de arma

Por meio de decreto, Bolsonaro quer conceder posse de arma
Essa foi uma das principais promessas do presidente eleito durante campanha
Por Agência Brasil

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse no Twitter, neste sábado, 29, que vai editar um decreto permitindo a posse de arma para quem não tem antecedentes criminais. A medida altera o Estatuto do Desarmamento.
“Por decreto, pretendemos garantir a posse de arma de fogo para o cidadão sem antecedentes criminais, bem como tornar seu registro definitivo”, postou o presidente eleito.
Bolsonaro destacou na rede social a expressão “posse” diferentemente do porte, que permitiria trânsito e uso da arma em qualquer lugar. A posse contempla apenas a possibilidade de uma pessoa ter a arma dentro de casa ou em lugar específico, como o local de trabalho.
Na campanha, Bolsonaro criticou a atual situação da segurança pública no país e defende o direito do cidadão “à legítima defesa sua, de seus familiares, de sua propriedade e a de terceiros”, como declarado em diversas entrevistas e já publicado em rede social por ele.
Pelas regras atuais, previstas no Estatuto do Desarmamento, uma pessoa pode comprar uma arma de fogo se apresentar uma justificativa da “efetiva necessidade” da aquisição, além de certidão de antecedentes criminais, a comprovação de residência e capacidade técnica e de aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo.

Fonte;Jornal Opção

sábado, 29 de dezembro de 2018

Projeto concede registro a automóveis com mais de 30 anos



Alexandre Vieira
Direito e Justiça - Geral - Carros apreendidos bens apreensão pátio
Automóveis antigos com "placa amarela" podem chegar a 20 mil no País
A Câmara analisa projeto que concede Certificado de Registro de Veículo aos automóveis antigos com mais de 30 anos (ou suas réplicas), mediante apresentação de declaração de propriedade e origem lícita com firma reconhecida (PL 10923/18). A proposta, do deputado José Mentor (PT-SP), altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) e inclui essa previsão no texto.

A proposição preserva a questão da segurança veicular, já que o Certificado de Registro e Licenciamento Veicular, documento que autoriza a circulação dos veículos, só será expedido após a vistoria nos DETRANs.
Mentor explica que em 1998, quando se alterou o formato e modelo das placas dos veículos, muitos proprietários não puderam vistoriar seus carros até o prazo estipulado, o que deixou esses veículos sem qualquer registro perante os órgãos de trânsito. 

“No Brasil, existem cerca de 20 mil automóveis conhecidos como “clássicos” entre nacionais e importados, nessa situação. São necessariamente os automóveis antigos com “placa amarela”, que não foram recadastrados pelos donos até 1999, quando a placa passou a ser de três letras.
Estima-se que o antigomobilismo gere atualmente mais de 500 mil empregos diretos e indiretos, e promova receitas nos três níveis de mais de dois bilhões de reais ao ano”, explicou o parlamentar.

Tramitação
O projeto, que tramita conclusivamente, será analisado pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Geórgia Moraes

UM ANO A MAIS --Cálculo da aposentadoria por tempo de contribuição muda a partir de segunda-feira

A regra exige um ano a mais para homens e mulheres se aposentarem, atual fórmula 85/95 vai ser 86/96



Quem quiser se aposentar pela regra atual, e já cumpre os requisitos,  têm até domingo (30) para fazer a solicitação Foto: ABr

O cálculo das aposentadorias por tempo de contribuição vai mudar a partir de segunda-feira (31), quando será acionada uma regra implementada por lei em 2015. A regra exige um ano a mais para homens e mulheres se aposentarem. A atual fórmula, conhecida como 85/95, vai aumentar um ponto e se tornar 86/96.
Quem quiser se aposentar pela regra atual, e já cumpre os requisitos,  têm até domingo (30) para fazer a solicitação.
Pela fórmula 85/95, a soma da idade e do tempo de contribuição deve ser de 85 anos para mulheres e 95 para homens. O tempo de trabalho das mulheres deve ser de 30 anos e o dos homens, de 35 anos. Isso significa, por exemplo, que uma mulher que tenha trabalhado por 30 anos, precisa ter pelo menos 55 anos para se aposentar.
A partir do dia 31, para se aposentar com o tempo mínimo de contribuição, ela deverá ter 56 anos. A mesma soma precisará alcançar 86 e 96. A fórmula será aumentada gradualmente até 2026.
Aqueles que já cumprem as regras podem solicitar a aposentadoria pelo telefone 135, que funciona das 7h às 22h, no horário de Brasília. Pelo telefone, o pedido pode ser feito somente até sábado. Pelo site do INSS.o pedido pode ser feito até domingo (30).

Fórmula

A atual regra é fixada pela Lei 13.183/2015. Nos próximos anos, a soma voltará a aumentar, sempre em um ano. A partir de 31 de dezembro de 2020, passará a ser 87/97; de 31 de dezembro de 2022, 88/98; de 31 de dezembro de 2024, 89/99; e, em 31 de dezembro de 2026 chegará à soma final de 90/100.
Defensor da fórmula, o professor da Universidade de Brasília e assessor do Conselho Federal de Economia, Roberto Piscitelli, diz que o cálculo ajuda a reduzir desigualdades. “Ele combina dois indicadores [tempo de contribuição e idade mínima] que, às vezes, quando considerados isoladamente dificultam a vida do trabalhador. A fórmula ajuda a compensar a situação daqueles que começaram a trabalhar muito cedo, o que sempre foi fator de injustiça do ponto de vista do tempo para aposentadoria”, explicou.
Além de se aposentar pela regra 85/95, os trabalhadores podem atualmente se aposentar apenas por tempo mínimo de contribuição: 35 anos para os homens e 30 anos para as mulheres, independente da idade. Nesses casos, no entanto, poderá ser aplicado o chamado fator previdenciário que, na prática, reduz o valor da aposentadoria de quem se aposenta cedo. (ABr)
Fonte:Diário do Poder

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

MORDOMIAS GARANTIDAS --Documento do governo Bolsonaro decepciona, mantendo mordomias e regalias

A pretexto de 'criar regras' novo governo deixa tudo como está


'Guia' assinado por Onyx mantém regalias que o eleitor esperava ver extintas. Foto: Valter Campanato/ABr



A Agenda de Governo, assinada pelo futuro chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni e divulgada nesta quinta (28), não parece ter passado pelo crivo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Marcado por obviedades, o documento mantém o que já se faz, e preserva mordomias e regalias que o eleitor de Bolsonaro esperava ver extintas. De carro oficial a auxílio-moradia e ajuda de custo de mudanças, tudo fica como está. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Em vez de extingui-las, novo governo manterá regalias tipo uso jatos da FAB “em serviço”, como é hoje, e a mordomia do carro oficial.
Ministro ganha bem, o suficiente para pagar o próprio aluguel, mas continuarão a ter “direito” a imóvel funcional ou a “auxílio-moradia”.
Continuarão a ter “direito” a carro oficial, além do ministro, todos os que eles nomearem, ou sejam, ocupantes de “cargos de natureza especial.
Outra aberração preservada é o cartão de crédito corporativo, a mais moderna forma de desperdiçar dinheiro público impunemente.
Fonte: Diário do Poder 

Janeiro de 2019 --Chefes de 12 Estado já confirmaram a presença na posse de Bolsonaro

Já a expectativa do Itamaraty é de que 60 delegações estrangeiras participem do evento
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil



A cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro tem, até o momento, a presença confirmada de 12 chefes de Estado. A expectativa do Itamaraty é de que 60 delegações estrangeiras participem da posse.
Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a lista de autoridades confirmadas tem mais três vice-presidentes, 11 chanceleres, 16 enviados especiais e três diretores de organismos internacionais. Por motivos de segurança, o órgão informou que não divulgará a lista completa com os nomes de cada uma dessas autoridades.
As presenças já divulgadas são de presidentes de países vizinhos, como Maurício Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Iván Duque Márquez (Colômbia) e Marín Vizcarra (Peru).
Também vão desembarcar em Brasília, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, além do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. Nesta quinta-feira (27), o Itamaraty informou que o vice-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular (Parlamento chinês), Ji Bingxuan, será o representante da China.
Além disso, estão confirmadas mais dez autoridades, entre elas o chanceler da Argentina, Jorge Faurie. A lista de convidados para a cerimônia é de 140 pessoas.

Fonte:Jornal Opção