PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO

PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO
PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO

domingo, 30 de abril de 2023

Com GILMAR DO SANTA LÚCIA á frente da Secretaria de AGRICULTURA e DENILDISON OLIVEIRA á frente da Secretaria de CULTURA, 2º FESTA DO MILHO em Águas Lindas de Goiás, já é considerada uma das maiores festas do ENTORNO.

Por Moisés Tavares**

 


Com a presença de um grande público, com várias apresentações culturais locais e de outras cidades, com muitas guloseimas feitas do MILHO e com outras variedades de alimentos.

No primeiro dia, na abertura da 2º FESTA DO MILHO


A 2º FESTA DO MILHO realizada em Águas Lindas de Goiás, tendo a frente da pasta da Secretaria de AGRICULTURA, o vereador licenciado, GILMAR DO SANTA LÚCIA e a frente da Secretaria de CULTURA, DENILDISON OLIVEIRA, já está sendo reconhecida como a maior e melhor festa do ENTORNO.



O evento teve a presença de várias outras autoridades municipais como, o veice prefeito JORGE AMARO, o presidente da câmara municipal EVERALDO VEICULOS, o deputado estadual ANDERSON TEODORO e Secretários Municipais e Vereadores.

O público compareceu em massa e além de saborear as iguarias e comidas, participaram também das apresentações dos cantores nos shows realizados nas noites.



Com o concurso da escolha da RAINHA DA FESTA DO MILHO, onde várias mulheres se candidataram e desfilaram no palco em apresentação ao público presente evento, o evento tomou uma repercussão muito maior ainda neste ano, pela organização, logística, estrutura, palco e som.



No 2° Dia da Festa do Milho de Águas Lindas de Goiás, houve a apresentação da cantora

@luizamartins que fechou o segundo dia de festa com chave de ouro!  E Recorde de público, até às 3 da manhã, com muita música boa e modão.



O evento que teve a frente da sua 1º edição o também vereador licenciado ABADYAS DAMASCENO, que realizou um brilhante trabalho no período em que foi Secretário de AGRICULTURA, teve e tem o total apoio do prefeito LUCAS ANTONIETTI, que em sua gestão tem valorizado a CULTURA do município e na AGRICULTURA, tem dado possibilidade a AGRICULTURA FAMILIAR.

E hoje (Domingo) teremos @grupoforroboysoficial pra fechar toda festa.

Venham e tragam sua família!----




**Moisés Tavares é Jornalista Profissional-DRT/0001428/GO; Editor do Portal de Noticias A VERDADE; formado também em Gestão Publica (Faculdade Mauá), Gestão em Segurança Publica e Privada (Faculdade Sensus), Mediação em Conflitos (Universidade Católica), Pedagogia (Faculdade São Marcos), Pós Graduação em Docência do Ensino Superior (Faculdade São Marcos) e  Bacharelando em Direito.

Está com o título em dia? Campanha do TSE estimula a regularização eleitoral

 



Iniciativa do Tribunal busca incentivar os eleitores a ficarem quites com a Justiça Eleitoral


Vai tirar o passaporte ou se matricular em universidade pública? Ou vai assumir um cargo por meio de concurso público? Ou ainda pretende votar nas próximas eleições? Saiba que, para todas essas ações, é necessário estar com a situação eleitoral regular. E para estimular a população a sanar eventuais pendências com a Justiça Eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lança nesta sexta (28) a campanha Regularizou? Resolveu.

A campanha destaca que a regularização do documento é simples e pode ser feita no Portal do TSE. A iniciativa tem como público-alvo as pessoas que não justificaram a ausência às eleições, não quitaram eventuais multas eleitorais ou não atualizaram o cadastro na Justiça Eleitoral.

Segundo a secretária de Comunicação e Multimídia do TSE, Giselly Siqueira, os vídeos e os spots para rádio abordam a importância desse serviço para que a população fique em dia com a Justiça Eleitoral, efetuando o pagamento de multas ou realizando outras atualizações cadastrais necessárias.

A campanha estará disponível pelos próximos 60 dias (de 28 de abril a 28 de junho) nas emissoras nacionais de rádio e TV, bem como no canal do TSE no YouTube.

Assista: filme 1 / filme 2

No vídeo, por meio de um QR Code no alto da tela, a pessoa que estiver assistindo poderá acessar diretamente o campo que remete ao canal do Autoatendimento Eleitoral. O serviço também possibilita consultar a situação eleitoral, validar cadastro, gerar certidões ou emitir o próprio documento eleitoral, incluindo a segunda via, tudo de forma on-line e gratuita.

Veja o passo a passo para acessar o serviço.

Quitação eleitoral

Para emitir a certidão de quitação eleitoral, a eleitora ou o eleitor deve ter votado em todas as eleições ou justificado todas as ausências, se for o caso. Consulte a sua situação eleitoral.

Se tiver multas eleitorais decorrentes de ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais, a pessoa deve emitir o boleto para pagamento no site do TSE, por meio do serviço “Consulta de débitos eleitorais”, em Quitação de multas.


Fonte:https://www.tse.jus.br/

Francisco Júnior deve assumir Secretaria do Meio Ambientou ou a da Indústria e Comércio

 

Ronaldo Caiado, governador de Goiás, e Francisco Júnior, ex-deputado federal | Foto: Divulgação



Alegando que a Secretaria da Casa Civil está esvaziada, a cúpula do PSD em Goiás optou por não indicar um aliado para geri-la

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do União Brasil, manteve uma longa conversa com o presidente do PSD em Goiás, Vilmar Rocha, e com o ex-deputado federal Francisco Júnior, do PSD.

A conversa teve a ver com o convite de Ronaldo Caiado para que Francisco Júnior assumisse a chefia da Casa Civil de seu governo. Um cargo, por sinal, da altíssima confiança do governador.

Francisco Júnior, num primeiro momento, cogitou assumir a secretaria. Porém, depois de uma reunião com a cúpula do PSD, recuou. Porque a Casa Civil estaria esvaziada.

Vilmar Rocha sugeriu a Ronaldo Caiado que indique Francisco Júnior para a Secretaria de Meio Ambiente ou para a Secretaria de Indústria e Comércio.

O governador ficou de pensar a respeito.

Vilmar Rocha, presidente regional do PSD e ligado a Gilberto Kassab | Foto: Jornal Opção

Há quem postule que Francisco Júnior seria mais “adequado” na Secretaria de Meio Ambiente, e não na Secretaria de Indústria e Comércio. O PSD já ocupou a Secretaria de Meio Ambiente, noutro governo, e, por isso, tem know-how na área.

O pP planeja manter o comando da Secretaria de Indústria e Comércio. Joel Santana Braga Filho é cotado para permanecer no cargo. Se não for ele, pode ser outra pessoa indicada pelo prefeito de Anápolis, Roberto Naves, e pelo presidente da Agehab, Alexandre Baldy, ambos do partido Progressistas.(E.F.B.)


Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/



sábado, 29 de abril de 2023

Secretária Municipal de Desenvolvimento Humano e Social MARIA YVELONIA, idealiza a I Jornada Social: Construindo Redes de Proteção Social em Goiania.

Por Moisés Tavares

 Foto:Divulgação




Nesta quarta-feira (03/05), acontecerá no Auditório Carlos Vieira, situado na Avenida Emival Bueno, Quadra G - Lote 01 - Park Lozandes. em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás – ALEGO, a I Jornada Social: Construindo Redes de Proteção Social.

Evento idealizado pela Secretária Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, MARIA YVELONIA e que contará com a presença de diversas autoridades estaduais e municipais, dentre eles o deputados Ricardo Quirino (Presidente da Comissão de Atenção à Pessoa Idosa), Talles Barreto (Presidente da Comissão da Criança e Adolescente) e Vivian Naves (Presidente da Comissão de Assistência Social), o prefeito Rogério Cruz e a e a Primeira-dama, Thelma Cruz.

Será oferecido palestras, apresentações culturais e rodas de conversa sobre os serviços, programas e projetos da Política Nacional de Assistência Social do Sistema Único de Assistência Social – SUAS. O certificado será fornecido para o participante que tiver 75% de presença no evento.

O objetivo é oferecer espaço para integração e desenvolvimento de competências dos trabalhadores que atuam no Sistema Único de Assistência Social (SUAS). O objetivo do SUAS é garantir a proteção social aos cidadãos, ou seja, apoio a indivíduos, famílias e à comunidade no enfrentamento de suas dificuldades, por meio de serviços, benefícios, programas e projetos.

O evento será realizado nos dias 03, 04 e 05 de maio, no Auditório Carlos Vieira. As inscrições podem ser feitas pelo link https://bit.ly/3mZE8tf até segunda-feira (01/05).

VEJA ABAIXO TODA PROGRAMAÇÃO OFICIAL

 

Programação da I Jornada Social

 

O evento terá início na quarta-feira (03/05), a partir das 14h, com a presença dos deputados Ricardo Quirino (Presidente da Comissão de Atenção à Pessoa Idosa), Talles Barreto (Presidente da Comissão da Criança e Adolescente) e Vivian Naves (Presidente da Comissão de Assistência Social), além da titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social (Sedhs), Maria Yvelônia Araújo Barbosa.

 

A Companhia de Teatro Senhoras do Cerrado fará uma apresentação às 16h. Haverá, em seguida, uma palestra Magna com o tema “O SUAS e o fortalecimento da proteção social brasileira na garantia de direitos” ministrada pelo Secretário Municipal do Desenvolvimento Social e do Trabalho de Lagarto/SE e Vice-Presidente do Colegiado Nacional de Gestores, Valdiosmar Vieira Santos.

 

Na quinta-feira (04/05), serão abordados os temas “O papel e os desafios da assistência social na atual realidade (Maísa Miralva da Silva – Doutora em Políticas Públicas pela UnB, Assistente Social e Pró-Reitora de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Goiás)”; “Rede SUAS – Sistemas de Vigilância Socioassistencial (Thiago Silvino Rocha de Oliveira – Coordenador Geral do Departamento de Gestão do SUAS/DGSUAS da Secretaria Nacional de Assistência Social, Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome) ” e “Prontuário eletrônico e sistemas de rede SUAS” (Adriana Leite – Assessora Técnica do Departamento de Gestão do SUAS/DGSUAS da Secretaria Nacional de Assistência Social, Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome).

 

A diretora da Proteção Social Básica da Sedhs, Cássia Fernandes, palestra sobre o tema “O PAIF que queremos” e debate sobre “O trabalho social com as famílias no Cras, juntamente com a coordenadora do Cras Capuava, Daiane Rodrigues. O Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) é oferecido em todos os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e tem como objetivo apoiar as famílias, prevenindo a ruptura de laços, promovendo o acesso a direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.

 

Na sexta-feira (05/05), último dia da jornada, o diretor de Proteção Social Especial da Sedhs, Joseleno Vieira dos Santos, discorre sobre o tema “O PAEFI que queremos”. Trata-se do Serviço de Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI) e é voltado para famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram direitos violados.

 

Ainda será exposto o tema “A proteção social especial e os desafios do trabalho qualificado no CREAS” (Marcia Pádua Viana – Coordenadora Geral de Proteção Social de Média Complexidade da Secretaria Nacional de Assistência Social, Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome). O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) é uma unidade pública da Assistência Social que atende pessoas que vivenciam situações de violações de direitos ou de violências.

 

Rodas de conversa também fazem parte da programação. A moderadora e psicóloga Simone dos Santos debate sobre “As violações de direitos e os serviços ofertados no Creas: como executar os fluxos de trabalho”. Já a psicóloga e Assessora Técnica da Sedhs, Rejane Coelho dos Santos, discorre sobre o tema “As violações de direitos e os serviços de acolhimento: a interface da assistência social com a justiça”. O encerramento do evento ocorre às 18h.

 

Com informações da (Sedhs)/Prefeitura de Goiânia

‘Base de Lula é gelatinosa e não faremos parte’

 



Presidente do Republicanos defende mudar marco fiscal e investigar governo na CPMI

Vice-presidente da Câmara e presidente nacional do Republicanos, o deputado federal Marcos Pereira (SP) classifica como “gelatinosa” a base de sustentação do governo, garante que seu partido não fará parte dela e ironiza a entrega de nove ministérios para três partidos que não estariam votando com o Executivo. Para ele, as dificuldades de montar um grupo governista mais sólido são do “maestro Lula”. “O responsável é o presidente, não tenho dúvida”, afirma.

Nem a provável filiação da ministra do Turismo, Daniela Carneiro, ao Republicanos deve mudar esse cenário. Pereira reconhece que parte dos deputados busca aproximação com o governo, mas argumenta que os senadores do partido são oposição e que a sigla quer lançar candidato à Presidência da República em 2026 num campo oposto ao PT.

Por causa disso, a legenda manterá independência no Legislativo e só votará a favor das pautas com as quais concordar. Em entrevista exclusiva ao Valor, ele defendeu ajustes no projeto do novo marco fiscal, está contra os decretos que mudaram o marco legal do saneamento básico para permitir a contratação de estatais sem licitação e deve indicar deputados mais alinhados à oposição para a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos atos golpistas. “É óbvio, não tenho dúvida que parte do governo sabia que teria manifestações violentas. [...] Então, não pode apurar um lado só”, diz.

Em uma pauta, contudo, o partido está alinhado aos petistas: a aprovação de proposta de emenda constitucional (PEC) para anistiar irregularidades na distribuição do fundo eleitoral para candidatas mulheres e negros. “São regras legítimas, mas que, na prática, são inexequíveis”, justifica.

O presidente do Republicanos defende o apoio à reeleição do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), e diz que o governador Tarcísio Freitas (Republicanos) pode se tornar um presidenciável em 2026, se o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) estiver inelegível, mas que vê como mais natural que primeiro concorra à reeleição e que só entre na disputa se as pesquisas mostrarem que este é um desejo dos paulistas. Ele lembra que três governadores de São Paulo tentaram recentemente à Presidência e fracassaram. A seguir os principais pontos da entrevista ao Valor:

Valor: Quais os planos do partido para a eleição municipal?

Marcos Pereira: Colocamos meta, até módica, de 300 prefeitos no Brasil e 3 mil vereadores. Na última eleição, elegemos 200 prefeitos. Queremos qualidade, vamos focar nas cidades médias e grandes. Já temos os prefeitos de quatro capitais. O prefeito de Natal vai tentar fazer o sucessor, os de Vitória, Goiânia e Teresina têm direito à reeleição. Em São Paulo, temos Campinas e Sorocaba. A eleição do Tarcísio potencializará nossos candidatos em São Paulo, não tenho dúvidas.

Valor: O partido vai apoiar a reeleição do prefeito Ricardo Nunes?

Pereira: Hoje somos base do Ricardo. Administramos o principal programa social do governo, que é a Secretaria Municipal de Habitação, com investimento de R$ 8 bilhões. Não vejo outro nome hoje do centro a não ser o do Ricardo Nunes. Existem pequenos ajustes que não posso contar, mas, sendo feitos, o partido vai apoiar o Ricardo. Pretendemos indicar o vice, que pode ser o próprio João [Farias, secretário de Habitação]. A [deputada] Maria Rosas também é ótimo nome. O governador vai apoiar? Aí tem que ver com ele, mas vou tentar fazer esse arranjo.

Valor: E para a eleição de 2026, o projeto é lançar o Tarcísio como candidato à Presidência?

Pereira: A intenção é ter candidato. Entre o que a gente objetiva e o que a gente consegue realizar tem uma construção a ser feita. Temos pelo menos três possíveis candidatos, se bem construídos, porque têm projeção nacional. Não falei com eles sobre isso ainda, mas os senadores [Hamilton] Mourão e Damares [Alves] podem ser. O Tarcísio, óbvio, seria o principal nome, mas vejo como mais natural ele ser candidato à reeleição porque os outros que tentaram esse caminho não tiveram sucesso. O [José] Serra saiu ainda no primeiro mandato de governador para tentar ser candidato e perdeu [a eleição]. O Geraldo [Alckmin] tentou duas vezes ao fim do segundo mandato e também não conseguiu. O [João] Doria nem candidato conseguiu ser. Portanto, temos que tomar cuidado com esse negócio de “Tarcísio, Tarcísio, Tarcísio”.

Tarcísio, óbvio, seria o principal nome [para a Presidência], mas vejo como mais natural ele ser candidato à reeleição”

Valor: O presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), disse considerar o Tarcísio mais forte que a Michelle se Bolsonaro ficar inelegível.

Pereira: Também acho. Agora pode ser que o que eu acho pode não ser o que população acha. Há também outras situações. Se Bolsonaro chegar elegível, duvido que Tarcísio sairia candidato [a presidente]. Ele é muito grato, muito correto, muito leal. Então, o natural seria a reeleição. Se o Bolsonaro chegar inelegível, que é o que todo mundo acha que vai acontecer, o que condicionará a candidatura? Ele ter feito um bom governo, estar bem aprovado e ter chamamento da população, que vamos medir através de pesquisas e de conversas com as pessoas. Nas pesquisas qualitativas, o paulista tem que querer que ele vá “para salvar o Brasil”. Se o paulista disser “não, não, não”, ele não deve ser candidato, é o maior colégio eleitoral. Mas está tudo muito longe. O erro do governo Bolsonaro e do governo Doria foi antecipar esse debate.

Valor: Sua opinião é de que Bolsonaro ficará inelegível?

Pereira: Não conheço os autos dos vários processos que ele responde no TSE [Tribunal Superior Eleitoral] e, como advogado, vou me abster para não cometer um erro. Mas o que ouvimos no meio político e jurídico é de que a chance é grande.

Valor: Se ele estiver elegível, vocês o apoiarão novamente em 2026?

Pereira: Não descartamos.

Valor: Os partidos de centro-direita não cogitam lançar candidato próprio? Ou continuará difícil fugir da polarização em 2026?

Pereira: Em 2018 fizemos isso. Nos unimos em torno Geraldo Alckmin e não deu. Vai ser muito difícil fugir da polarização.

Valor: O senhor falou que o Bolsonaro era turista nos Estados Unidos e não líder da oposição porque saiu do Brasil. Ele voltou, mas continua sumido. Qual o papel dele?

Pereira: Bom perguntar para o partido dele [o PL].

Valor: Vocês não foram chamados para alguma conversa com ele, discutir o trabalho de oposição?

Pereira: Não. E no Senado, o partido atua no bloco com PP e PL, até pelo perfil dos senadores. Na Câmara, é mais independente por ter bancada mais plural, o que dá liberdade de apoiar alguns projetos e não apoiar outros. Quando você é base, fica quase que obrigado a votar a favor de tudo. Base firme, né, porque a base do Lula está meio gelatinosa, meio instável. Três ministérios para três partidos diferentes e não entregam votos...

Valor: O senhor está prestes a ganhar um ministério, o do Turismo...

Pereira: A ministra pode vir, se conseguir sair [do União Brasil] sem perder o mandato de deputada federal. É natural porque o marido dela já se filiou e é o presidente do partido no Estado [do Rio de Janeiro]. Mas isso não quer dizer que Republicanos virará base e isso foi tema de conversa minha com o Waguinho antes.

Valor: Aí vocês vão virar um União Brasil do B.

Pereira: Nenhuma chance. O próprio União diz que ela é cota pessoal do Lula, por um apoio do Waguinho ao Lula no segundo turno. É público e notório que não seremos base, nem se ganharmos cinco ministérios. Não tem como. Tenho o governador de São Paulo, o governador do Tocantins e quatro senadores contrários. Tenho 42 deputados federais e no máximo 12 teriam disposição para ser governo abertamente, ir de peito aberto. Continuaremos independentes.

Valor: A base de sustentação do Lula foi mal construída?

Pereira: Me causou surpresa. Com a experiência que o presidente Lula tem na política, montar o ministério da forma que ele montou.... a maior surpresa foi pegar o ex-governador Waldez Góes, que é um quadro histórico de um partido [PDT], e dizer que ele ia se licenciar para representar outro partido como ministro [do Desenvolvimento Regional, pelo União]. Isso não existe, né?

Votar arcabouço fiscal até dia 10 é impossível, por falta de tempo hábil para discutir as alterações necessárias”

Valor: A quem o senhor atribui essa dificuldade de formar uma base mais consistente? Ao ministro Alexandre Padilha, da Secretaria de Relações Institucionais? Ao Rui Costa, da Casa Civil? Aos líderes do governo no Congresso?

Pereira: O governo é como uma orquestra. Cada um toca um instrumento, mas tem um maestro. Se o maestro reger errado, a orquestra desafina. Se tudo der errado no Republicanos, quem é o culpado sou eu. Não decido sozinho, mas sou o responsável. Então o responsável é o presidente [Lula], não tenho dúvida.

Valor: O fim do orçamento secreto, que ajudou o Bolsonaro, dificultou a construção da base aliada?

Pereira: O Bolsonaro não teve base. Teve três partidos só: o Republicanos, PL e PP. Os outros ajudavam muito pela articulação do presidente da Câmara. Ocorre que o Parlamento vem mudando, o presidencialismo de coalizão também. Não basta você dar ministérios se o Orçamento quem decide é o Legislativo. O Centrão, como vocês gostavam de chamar, também acabou. O Republicanos está independente, o PL virou oposição e o PP está dividido. No governo Temer, esse grupo todo estava no poder.

Valor: O Centrão também incluía MDB e PSD por apoiar vários governos em troca de cargos. Mas de fato esse grupo coeso está dividido em dois blocos na Câmara.

Pereira: Isso aí não tem nada a ver com o governo. É mais para disputar as posições na Câmara. Falei isso para o [presidente da Câmara] Arthur [Lira] várias vezes: a possível federação entre PP e União Brasil nos preocupava. Ficaria a federação PP/União, PL e a federação do PT lá em cima e depois nós - PSD, MDB e Republicanos-, com 42 deputados cada, lá embaixo. Tudo ia ser distribuído lá em cima, não ia sobrar nada de relatorias ou comissões para a gente. Então os líderes desses partidos conversaram e pensaram que seria melhor atuarmos juntos para nos proteger. Reunimos os presidentes, eu liguei para [o presidente do PSD, Gilberto] Kassab, para [o presidente do MDB] Baleia [Rossi], e combinamos. Depois chamamos também o Podemos. Nunca discutimos a sucessão na Câmara.

Valor: Passados 100 dias do governo, qual sua avaliação?

Pereira: Não está funcionando como deveria. Eu esperava, como brasileiro, que eles pudessem ir melhor. Pela experiência do presidente Lula, de alguém que já conhece a máquina pública, de um partido que já governou o país quatro vezes. Não sei o que está acontecendo para estar tão desorganizado. Não sou governo, não tenho ideia. Não vou no Palácio [do Planalto] desde antes da eleição... a última vez que falei com o presidente Lula foi na PEC da Transição, por telefone.

Valor: Nunca mais te procuraram para uma conversa?

Pereira: Não, nunca mais.

Valor: Naquela ligação, vocês negociaram que o teto de gastos poderia ser substituído por uma nova regra por lei complementar. A proposta do novo marco fiscal foi enviada agora, qual a posição do partido?

Pereira: Precisa de mudanças. Não poderia dizer agora quais porque não li o texto todo e não reuni a bancada. Mas uma mudança que já poderia pontuar é que não basta o presidente só se justificar numa carta, se não cumprir a meta fiscal. Ele precisaria explicar de forma minuciosa as razões e, se o Parlamento julgar que essas explicações não são satisfatórias, deveria ter alguma sanção. Se não fica muito fácil, não vai cumprir nunca, ainda mais num governo que tem tendência de ser mais gastador. Outro ponto que precisa ser esclarecido é a origem das receitas. O governo errou também ao não propor cortes de gastos. Votar até dia 10 é impossível, por falta de tempo hábil para discutir.

Valor: O projeto das “fake news” será votado na terça-feira?

Pereira: O presidente quer muito votar, mas acho que não será possível. Se o texto for o mesmo de hoje [quarta-feira, antes do novo parecer], o Republicanos votará contra, apesar de ter ajudado no requerimento de urgência. Precisa de mudanças substanciais. A principal é a agência [reguladora] porque não vai entregar para o governo o poder de dizer o que é [“fake news”] e o que não é. Isso tem que tirar. Não vejo disposição dele [Lira] para criar uma comissão especial sobre o projeto, mas talvez fosse uma solução para amadurecer o tema com mais debates.

Valor: As CPIs vão contaminar a agenda econômica?

Pereira: Acho que não. Quando iniciar a ordem do dia no plenário, tem que parar a comissão, é obrigatório. Contamina politicamente, mas os parlamentares que estarão na CPI vão estar focados lá, enquanto os demais estarão dedicados a outros assuntos. O relator da reforma tributária, deputado Aguinaldo [Ribeiro], não vai para a CPI. O deputado Claudio Cajado não vai parar o arcabouço para participar da CPI.

Valor: Qual a linha de atuação do Republicanos na CPMI dos atos golpistas de 8 de janeiro?

Pereira: Ainda não decidimos quem serão os membros, não sabemos se vamos ter um ou dois representantes da Câmara. Nossa tendência é indicar quem subscreveu o pedido de CPI porque tem interesse no tema. Sobre a linha de investigação, temos que ir atrás da verdade, seja de um lado, seja de outro. É óbvio, não tenho dúvida, que parte do governo sabia que teria manifestações violentas. Isso já está claro. Por que não se preparou antes, só tinha 30 agentes no Palácio no dia? Então, não pode apurar um lado só.

Valor: Que parte do governo sabia? O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino?

Pereira: É o que dizem. Não estou dizendo se teve culpa ou não.

Valor: O partido votará a favor da reforma tributária dos impostos sobre consumo?

Pereira: Precisamos conhecer o texto da reforma antes, mas, conceitualmente, somos a favor. Temos hoje um dos piores sistemas do mundo, e digo isso como advogado, contador e ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior. Se houver simplificação já é grande avanço. Agora, os detalhes, o ponto a ponto, só quando conhecer o texto. Mas acredito que seja possível votar no primeiro semestre, antes do recesso. Tem muitos deputados que são oposição ou estão insatisfeitos com o governo, mas que na reforma votam a favor porque é projeto de país, uma pauta do Parlamento, não de um governo.

Valor: Foi apresentada proposta de emenda constitucional (PEC) para perdoar irregularidades cometidas pelos partidos ao não repassar os recursos exigidos do fundo eleitoral para negros e mulheres.

 O Republicanos é a favor da anistia?

Pereira: Não diria que são irregularidades, diria que foi descumprimento de determinadas regras. São regras legítimas, mas que, na prática, são inexequíveis. Mulher no Republicanos não é cota, é tratada como igual, falei isso no meu discurso de reeleição. Mas não tem, infelizmente, mulheres com voto para poder disputar no nível que a legislação exige. Aí eu coloco dinheiro do fundo eleitoral numa candidata que acaba não tendo votos e sou acusado de usar dinheiro público com uma laranja. Tivemos um exemplo muito claro ano passado, de uma vereadora em São Paulo e líder comunitária. Investimos na campanha e teve apenas 568 votos. Temos que discutir uma solução. Não sei qual é, se uma cota para as eleitas, mas o fato é que a regra é inexequível.

Valor: A defesa de uma candidatura presidencial atrapalha sua candidatura à presidência da Câmara? O governo Lula não vai querer um potencial adversário controlando a pauta do Legislativo.

Pereira: O presidente da Câmara tem que ser independente para preservar a independência dos Poderes. Não pode ser inimigo nem amigo do governo. Sei separar muito bem as coisas. Se os outros não sabem, a gente vai construindo, né? Mas eu não sou candidato a presidente da Câmara. Esse é um debate que vai começar em outubro do ano que vem, depois das eleições municipais. Lá no futuro eu vou decidir.

Valor: O partido está contra os decretos do marco do saneamento?

Pereira: Tem um sentimento na bancada para revogar esses decretos. É legítimo o governo querer mudar o que foi legislado, mas para isso precisa mandar um projeto de lei porque um decreto não pode revogar uma lei que aprovamos no Congresso.

Valor: E o decreto das armas?

Pereira: Nesse caso já tem muita decisão que foi tomada por decreto. É um tema que não domino e também não apoio. Nas fazendas até entendo, com alguma regulação, mas armar a população nas cidades eu não concordo. Nunca dei um tiro na minha vida nem tenho vontade. Acho que tenho um trauma. Meu pai sempre andava armado. Um dia estava limpando a arma, disparou e quase pegou na cabeça do meu irmão.

Valor: A maioria do Republicanos votou contra a legalização dos jogos de azar e agora o governo fala em regulamentar as apostas esportivas. Vocês são contra?

Pereira: Nem todos no partido votaram contra a legalização dos jogos. Não debati com a bancada, mas acho que são coisas diferentes. O grande problema desse tema é que vai continuar existindo se a gente não fizer nada. Se tem gente atuando de forma clandestina, tem que encontrar uma forma de o Estado fiscalizar isso. Mas não avaliei direito.


Por Marcelo Ribeiro e Raphael Di Cunto — De Brasília

Fonte:https://valor.globo.com

sexta-feira, 28 de abril de 2023

JAMES FARIAS, Um líder em ascensão

 Por Moisés Tavares

 


Se tem uma coisa que o prefeito LUCAS ANTONIETTI acertou em cheio, claro das muitas outras que ele vem acertando no decorrer do mandato, foi na escolha do vereador JAMES FARIAS como líder do governo na Câmara Municipal.

JAMES FARIAS, tem sido um porta voz, um interlocutor, o elo, entre o LEGISLATIVO e o EXECUTIVO, e também com a comunidade, pois tem sido transparente nas informações e as tem repassado tanto em plenário ao usar a tribuna, como nos meios de comunicação e redes sociais.

JAMES FARIAS, tem recebido total apoio do prefeito LUCAS ANTONIETTI para a função que exerce na Câmara Municipal e é tanto que foi reconduzido neste terceiro ano de mandato.

JAMES FARIAS, tem o respeito de todos os pares da casa de leis e principalmente do presidente da Câmara Municipal, EVERALDO VEICULOS, esse bom relacionamento entre os pares, mostra a unidade do legislativo e possibilita o que toda a população da cidade já tem contemplado nesta gestão do prefeito LUCAS ANTONIETTI, que são, muitas obras, muitos recursos, ações em beneficio da comunidade e a grande evolução de um município do Entorno que antes só era problema, hoje tem sido solução e exemplo para os demais municípios.








 

EVANDRO DO RAINHA DA PAZ, mandato parlamentar a serviço da população

Por Moisés Tavares

Fotos: Reprodução




O vereador EVANDRO DO RAINHA DA PAZ, está em seu quinto mandato parlamentar na Câmara Municipal, sua história na politica da cidade é digna de reconhecimento público, pois sempre pautou na defesa dos direitos da população, buscou e busca a realização dos serviços públicos básicos para toda cidade e a execução de obras que beneficiam os munícipes.

Presidente da Câmara Municipal por 4 vezes, EVANDRO DO RAINHA DA PAZ, foi e é exemplo de honestidade e zelo pelo dinheiro público, pois prestava contas mensalmente do valor em dinheiro que entrava na casa de leis( receita), e do que saia para pagamentos e outros(despesas), sempre foi e é transparente no que faz.

Em seu mandato como presidente da Câmara Municipal, construiu um prédio novo para a sede do poder legislativo, uma estrutura moderna de arquitetura inovadora com amplos gabinetes para os vereadores, sala de reuniões, cozinha, secretária da casa, presidência e um plenário muito bem trabalhado e com espaço para receber o público que sempre tem participado das sessões ordinárias, extraordinárias, das audiências públicas e de demais eventos que são realizados.

O mandato do vereador EVANDRO DO RAINHA DA PAZ, é participativo, ou seja, a comunidade participa, dando a sua contribuição com ideias e sugestões que tem se transformado em solicitações através de requerimentos e também em projetos de leis, onde o vereador EVANDRO DO RAINHA DA PAZ apresenta e protocola na secretaria da casa e estes se tornam oficiais quando aprovados pelos vereadores e são muitas propostas e projetos de leis de autoria de EVANDRO DO RAINHA DA PAZ aprovados em plenário e já atendidos pelo executivo.

São de vereadores com esse histórico de vida publica que os eleitores tem o orgulho de ver na Câmara Municipal, pois tem a certeza de que toda a cidade ganha e evolui, com mais recursos públicos, mais obras, mais empregos, mais educação, mais saúde e mais dignidade para a população.


Vereador EVANDRO DO RAINHA DA PAZ e sua esposa SILVANIR


Novo prédio da Câmara Municipal de Águas Lindas de Goiás, construído na presidência do vereador EVANDRO DO RAINHA DA PAZ



EVANDRO DO RAINHA DA PAZ e Prefeito LUCAS ANTONIETTI, em visita a obras






Com emenda impositiva da vereadora GIVA FELIPE, no valor de R$102.000,00(cento e dois mil reais), UBS do Jardim da Barragem II e IV é reformada e entregue a comunidade

 Por Moisés Tavares

Fotos e Vídeos: Catireiro



O prefeito LUCAS ANTONIETTI, acompanhado de seu vice prefeito JORGE AMARO e de diversas outras autoridades do município, em especial o secretário de saúde Dr CARLOS  e a  vereadora GIVA FELIPE, autora da emenda impositiva no valor de R$102.000,00 (cento e dois mil reais), que foram investidos na reforma da USB do Jardim Barragem II e IV, entregaram na manhã desta quinta-feira (27/04), as novas instalações da UBS, toda reformada para atender ainda melhor a comunidade.

A vereadora GIVA FELIPE, falou da sua alegria em poder participar dando a sua contribuição para que a cidade continue evoluindo.

VEJA ABAIXO, VIDEOS DA ENTREGA DAS NOVAS INSTALAÇÕES DA UBS










EDUCAÇÃO-- Distritais se mobilizam para tentar evitar greve dos professores

 

Foto: Carlos Gandra/CLDF



Vários deputados distritais usaram a tribuna da Câmara Legislativa na tarde desta quarta-feira (26) para comentar a decisão tomada hoje em assembleia do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) pela greve geral da categoria a partir do dia 4 de maio. Os parlamentares buscam uma solução negociada para evitar a paralisação de aulas nas escolas públicas do DF.

O deputado Gabriel Magno (PT) reclamou da desatenção do governo com a categoria. “Das 29 categorias de nível superior do GDF, a carreira do magistério ocupa a penúltima posição em termos de salário. É com este descaso que o governo trata uma categoria tão importante, que educa e forma os cidadãos desta cidade. A campanha salarial começou no ano passado. O sindicato tem buscado diálogo com o governo desde então, mas hoje chegou-se ao limite, pois não há nenhuma proposta. Por que a Capital Federal não cumpre o piso nacional do magistério?”, questionou. O distrital, que já foi diretor do Sinpro-DF, disse ainda que “a solução agora está nas mãos do governador”.



Para o deputado Fábio Félix (PSOL), os professores vêm sendo maltratados pelo governo. “Os professores não aguentam mais a situação de penúria que estão vivendo. É uma das piores carreiras do ponto de vista salarial. Ninguém quer greve, mas é uma medida urgente e necessária porque o governo não abre diálogo. São quase cinco anos de abandono. Esta Casa tem que pressionar o governo para que a categoria seja recebida para um diálogo, nem que tenhamos que paralisar votações”, afirmou

Wellington Luiz (MDB), presidente da Câmara Legislativa, disse que o Poder Legislativo vai se envolver nas negociações para resolver a questão. “Temos que trabalhar para evitar que essa greve aconteça. Vamos buscar uma solução”, prometeu. A deputada Paula Belmonte (Cidadania) pediu ao governo que escute os professores. “As escolas em greve representam um prejuízo para a sociedade. Faço um apelo para que o governo olhe as demandas dos professores e que estruture as escolas com psicólogos e assistentes sociais”, defendeu.


Pastor Daniel de Castro (PP) também se colocou à disposição para ajudar nas negociações e evitar a paralisação. “Vamos trabalhar para que não haja greve. O governo precisa atender a categoria dos professores”, disse.


Eder Wen - Agência CLDF




Projeto das fake news enfrenta resistência de banca evangélica

 

A urgência pela deliberação da proposta já foi aprovada | Foto: Câmara dos Deputados 




A proposta deve ser votada na próxima terça-feira, 02, na Câmara dos Deputados

O projeto das fake news, que cria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, será o tema principal da pauta de votações na próxima semana na Câmara dos Deputados. O relator da proposta, deputado Orlando Silva, do PCdoB, está em negociações e deve apresentar um novo parecer.

Nesta semana, ele se reuniu com representantes da Bancada Evangélica. Opositor a proposta o deputado Eli Borges (PL-TO) comentou que não teve acordo para votação. “PL da Censura”, chamou borges durante sessão nesta quinta-feira, 27.

“A igreja, que não é partido político, diga-se de passagem, mas que tem a bandeira da família, tem a bandeira da vida, tem a bandeira da liberdade religiosa, não pode permitir que um PL seja mais forte no sentido de criminalizar a livre opinião”. 

Deputado Eli Borges

 A bancada é contrária à criação de uma entidade autônoma para fiscalizar a aplicação da lei, que, entre outros pontos, obriga redes sociais, sites de busca e aplicativos de mensagem a sinalizar, eliminar ou diminuir o alcance de conteúdo denunciado como ilegal por usuários.

Inicialmente o intuito era garantir uma forma de barrar a propagação de notícias falsas. A proposta era uma iniciativa para regular big techs que atuam no Brasil, como Facebook, Twitter, Google e Telegram. Porém, uma nova versão do texto circula entre parlamentares, advogados e ativistas. E é ela que deve ser apresentada pelo relator, Orlando.

Por  

Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/

quinta-feira, 27 de abril de 2023

Mesmo sendo criticado por uma minoria em Águas Lindas de Goiás, prefeito LUCAS ANTONIETTI segue tendo aprovação da maioria da população a sua gestão.

 Por Moisés Tavares

 


                                QUANTO MAIS BATE, MAIS CRESCE!

 

LUCAS ANTONIETTI, prefeito em Águas Lindas de Goiás, continua na graça do povo.

Sua forma diferenciada de governar a cidade, sua habilidade em unir forças políticas em benefício do município e com isso trazer muitos recursos que estão sendo investidos em obras nos muitos bairros da cidade está fazendo com que ele tenha a aprovação da maioria da população.

Mesmo sendo criticado por uma minoria, LUCAS ANTONIETTI, não se abala, pois sabe que tem uma missão a cumprir, reconhece que está no caminho certo, está cumprindo as promessas de campanha, ouvindo as demandas da população e as solucionando a bom tempo.

É um jovem que está em seu primeiro mandato como prefeito, mas está dando aula de gestão pública na prática a muitos políticos velhos ou velhos políticos.

A cada semana tem agenda repleta de entrega a população de obras realizadas no município.

Um municipalista que está investindo seu tempo no serviço público, certo de que deixará uma cidade aos munícipes, muito melhor do que quando a recebeu para administrar em primeiro de janeiro de 2021.

Em todos os bairros por onde anda, as pessoas o param para conversar, para agradecer por serviços realizados, para dar sugestões e é claro também para mostrar o que ainda precisa ser feito, e o prefeito encaminha as secretarias competentes as solicitações da comunidade para que sejam executadas.

A gestão UM NOVO TEMPO tem correspondido aos anseios do povo e é devido a esse trabalho de equipe de governo que LUCAS ANTONIETTI continua e continuará tendo a aprovação da maioria da população.









EVANDRO DO CETEP anuncia parceria com a ASSOCIAÇÃO DOS GUARDAS MUNICIPAIS DE ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS

 Por Moisés Tavares



EVANDRO DO CETEP, usou as suas redes sociais para anunciar a grande parceria feita com a ASSOCIAÇÃO DOS GUARDAS MUNICIPAIS DE ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS. 

Veja abaixo o que escreveu EVANDRO DO CETEP em todas as suas redes sociais

É com grande alegria que anunciamos a nossa parceria com a Associação dos Guardas Municipais de Águas Lindas!
São mais de 500 famílias contempladas com descontos especiais nos produtos da Escola CETEP, que vão desde cursos, uniformes, até material escolar para os guardas e seus dependentes. 
Para nós, valorizar o terceiro setor é fundamental! Os guardas do município exercem uma função importante na guarda do patrimônio e na segurança urbana, assim como muitos outros profissionais que atuam nessa área. Conte sempre conosco para apoiar essa importante causa!
 #parceria #terceirosetor #cetep #aguaslindas #valorização


Mulher passa por cirurgia para retirar bala alojada no clitóris

 

Hospital Erdoğan





Projétil perfurou a vulva de mulher de 24 anos e ficou alojada no clitóris. Médicos relataram caso em revista científica


Uma mulher de 24 anos, da Somália, precisou passar por uma cirurgia de emergência para remover uma bala alojada em seu clitóris. Ela foi atingida acidentalmente enquanto estava em casa.
O caso foi relatado pela equipe que atendeu a paciente ao International Journal of Surgery Case Reports no fim do ano passado. “Até onde sabemos, este caso é único devido à retenção da bala no clitóris”, escreveram os médicos no artigo.

Anestesia local

A jovem foi levada às pressas para o Hospital Erdoğan, na capital do país, queixando-se de fortes dores na vagina. Exames de tomografia computadorizada mostraram que o projétil de 2 centímetros atravessou a vulva da paciente e ficou alojado dentro do clitóris dela.

O projétil foi removido cirurgicamente sob anestesia local. Os médicos destacaram que o procedimento precisou ser feito com cuidado extra para não danificar a uretra e a região pélvica da paciente.

A jovem teve alta no dia seguinte, depois de uma avaliação médica constatar que ela não sofreu complicações devido à bala. Ela foi avaliada novamente um mês após a cirurgia, os médicos disseram que estava assintomática e sem intercorrências.

Por Bethânia Nunes 

Fonte:https://www.metropoles.com/