PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO

PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO
PREVENÇÃO É A MAIOR PROTEÇÃO

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

CORREDORES ETÍOPES VENCEM 90ª CORRIDA DE SÃO SILVESTRE

Postado por Moisés Tavares





Os corredores etíopes foram os campeões da Corrida Internacional de São Silvestre deste ano, tanto no masculino como no feminino, interrompendo a hegemonia queniana. Entre as mulheres, Ymer Ayalew, 27 anos, venceu com o tempo de 50 minutos e 43 segundos. Também da Etiópia, o corredor Dawit Admasu, 19 anos, ocupou o posto mais alto do pódio nesta manhã com a marca de 45 minutos e 4 segundos. Enquanto ocorre a premiação, quase 30 mil corredores continuam o percurso para tentar concluir a prova de 15 quilômetros.

No feminino, atletas etíopes também conquistaram o segundo e o quarto lugar, com Netsanet Kebede, que repetiu o resultado do ano passado, e Feyse Boru, respectivamente. Duas corredoras do Quênia ficaram com o terceiro e quinto lugar: Prisca Jeptoo e Delvine Meringor. A melhor colocação do Brasil foi da catarinense Joziane Cardoso, 29 anos, com o tempo de 53 minutos e 18 segundos. A queniana Nancy Kipron, campeã de 2013 e uma das favoritas para a prova deste ano, ficou com o sexto lugar.

Entre os homens, os quenianos Stanley Koech, 29 anos, e Mark Korir, 26 anos, que eram favoritos, ficaram com o segundo e quarto lugar, respectivamente. Fabiano Naasi, 29 anos, da Tanzânia, conquistou a terceira colocação com o tempo de 45 minutos e 10 segundos. Pelo Brasil, Giovani dos Santos, 33 anos, chegou em quinto lugar e garantiu um lugar no pódio. No ano passado, ele havia ficado com a quarta colocação.

Antes da prova dos atletas de elite, cadeirantes também disputam a São Silvestre. Nesta categoria, Heitor dos Santos, 31 anos, levou a melhor, com um tempo de 49 minutos e 53 segundos. Ele foi seguido por Jaciel Paulino, 41 anos, que fez o tempo de 51 minutos e 31 segundos. Duas mulheres conquistaram a terceira e quarta colocação, Aline Rocha, 23 anos, e Maria de Fátima Chaves, 27 anos. O pódio foi fechado com Carlos de Souza, 39 anos. (A/E)


SÃO SILVESTRE REUNIRÁ 30 MIL CORREDORES EM SUA 90ª EDIÇÃO

CORRIDA INTERNACIONAL
SÃO SILVESTRE REUNIRÁ 30 MIL CORREDORES EM SUA 90ª EDIÇÃO
A PROVA DE RUA FOI IDEALIZADA PELO JORNALISTA CÁSPER LÍBERO EM 1924


Arquivo/Marcelo Camargo/ABr
Neste ano, houve pequena mudança no trajeto, com a inclusão de um contorno no centro da cidade, em formato de coração Foto: Marcelo Camargo/ABr


Pela 90ª vez, a Avenida Paulista será tomada amanhã (31) por corredores profissionais e anônimos na tradicional Corrida Internacional de São Silvestre. A prova de rua, que é também uma celebração à chegada do novo ano, foi idealizada pelo jornalista Cásper Líbero em 1924, e de lá para cá ocorreu todos os anos, a cada edição com maior sucesso.
A primeira largada ocorre às 6h50 para corredores cadeirantes. O pelotão de elite feminino sairá às 8h40 e, 20 minutos depois, será a vez dos atletas de elite masculinos e do pelotão especial, composto tanto por homens quanto por mulheres. Logo em seguida, será a vez de uma multidão de quase 30 mil anônimos de todo o país, um número recorde para a competição.
Pela terceira vez, a competição ocorre pela manhã. Neste ano, houve pequena mudança no trajeto, com a inclusão de um contorno no centro da cidade, em formato de coração. O trecho inclui as avenidas São João, Vieira de Carvalho, da Praça da República e Ipiranga.  O percurso começará na Avenida Paulista, perto da Rua Frei Caneca, e a chegada será em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, na mesma avenida. Os kits da corrida para os inscritos serão entregues até as 16h de hoje (30) no Ginásio do Ibirapuera, na Rua Manoel da Nóbrega.
Entre as favoritas para vencer a prova está a queniana Nancy Kipron, campeã da edição de 2013. Ela completou o percurso de 15 quilômetros em 51 minutos e 58 segundos. Outro destaque é a também queniana Priscah Jeptoo, ganhadora da São Silvestre 2011 e medalha de prata na maratona nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e no Mundial de Daegu 2011. A maior chance de pódio no feminino para o Brasil é com a catarinense Joziane da Silva Cardoso. Ela venceu no início de dezembro a Volta Internacional da Pampulha, em Belo Horizonte, quebrando um jejum de oito anos sem títulos nacionais no evento.
No pelotão masculino, o favoritismo também é dos quenianos, com Mark Korir e Stanley Koech, que conquistaram o segundo e terceiro lugares no ano passado, respectivamente. O etíope Tariku Bekele, medalha de bronze nos 10 mil metros nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, será forte concorrente para os atletas do Quênia. Na disputa pelo Brasil, Giovani dos Santos, que conquistou o quarto lugar em 2012 e 2013, é uma das promessas de pódio. Ele venceu a prova da Pampulha, no último dia 7.
A partir das 16h de hoje, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) iniciará os bloqueios nas ruas que fazem parte do percurso da São Silvestre. A operação especial prevê a utilização de mais de mil cavaletes, 113 faixas informativas, oito faixas de orientação, 650 metros de gradis e mais de 100 agentes de trânsito para operacionalizar o tráfego local.( Camila Maciel/ABr)
Diário do Poder

INPALGO comemora dia do Comunicador com grande almoço

Por Moisés Tavares



Almoço servido aos comunicadores

Nesta terça feira 30/12 , o INPALGO -Instituto dos Pioneiros de Águas Lindas de Goiás,realizou um grande almoço em comemoração aos dia do COMUNICADOR,lei municipal n° 045/2013.
Essa é uma lei municipal  conquistada pelo INPALGO e que só existe  em duas cidades no Brasil ,Rio Verde no Mato Grosso e em Águas Lindas de Goiás.
O presidente da instituição sr Francisco Lucemar de Macedo ,conhecido como Dom Chicão,criou em 1989 a  Associação dos Pioneiros que se tornou uma ONG e trás a população , além de momentos de confraternização a união dos moradores da cidade,um trabalho voltado para o esporte,teatro,música  ,incentivo a cultura  e sobre tudo o social,principal bandeira do Instituto.


Dom Chicão ,presidente do INPALGO  e  Pedro Nunes da Agencia Marques de Comunicação


Dom Chicão,Valerio Rocha do  Jornal Gazeta ,Rafael Silva do Blog Aqui em Águas Lindas e Yolanda do Gazeta



 Escritores,poetas ,membros da ALETRAS marcam presença no almoço em comemoração ao dia do COMUNICADOR


Oliveira e Diretor Geral da Rádio Comunitária Vizinhança FM J.Araújo


Reinildo Ferraz ,do Jornal Multinoticias,Catireiro da Rádio Vida FM e Josias Fernandes da Rádio Vizinhança FM e do blog Águas Lindas em Destaque


Saboreando o almoço e batendo aquele papo

Com a presença do Ministro da Justiça Eduardo Cardozo ,Centro Integrado de Inteligencia é inaugurado em Goiás

Por Moisés Tavares




Acompanhado do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do vice-governador, José Eliton Júnior, e do secretário de Segurança Pública do Estado, Joaquim Mesquita, o governador Marconi Perillo inaugurou na tarde desta terça-feira (30) o Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle – CIICC, na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP), obra que consolida a integração das forças de segurança que atuam no Estado.
Mais uma vez, Goiás sai na frente ao inaugurar  o Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle Policial. Esta é uma obra sonhada há muito tempo e que consolida a integração das forças de segurança que atuam no Estado, construída com recursos do Governo do Estado e da União - quase R$ 10 milhões. O Centro abriga as centrais de emergência e o aplicativo 19X, que proporciona maior agilidade e evita a duplicidade de atendimento. Lá também funcionará a Central de Videomonitoramento, a Central de Monitoramento de Tornozeleiras Eletrônicas, o controle de ocorrências e posicionamento das viaturas em tempo real e também as áreas responsáveis pela coleta e interpretação de dados, análise criminal e planejamento de ações estratégicas. Agora, vamos centralizar e gerenciar as informações decorrentes do atendimento emergencial para subsidiar o planejamento, a tomada de decisões e a efetiva ação dos órgãos de segurança. No momento, o monitoramento é realizado por meio de 70 câmeras colocadas em pontos estratégicos e de maior incidência de delitos. Em breve, em convênio com o Ministério da Justiça e o governo do Estado, serão ainda outras 80 câmeras que estão sendo instaladas na Capital. Além disso, está em fase final a licitação para a aquisição de mais 500 câmeras. Tivemos na inauguração a presença do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que disse estar convicto de que, a partir de agora, Goiás ingressa em um patamar de alta qualidade para o combate à criminalidade e à violência. É assim que vamos melhorar e aperfeiçoar a política de segurança para os cidadãos goianos.








terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Marconi toma posse nesta quinta-feira, às 10h30, na Assembleia e também participa de cerimônia da presidente Dilma Rousseff, em Brasília


marconi-perillo
 GoiásNacional 
 30 de dezembro de 2014
A cerimônia de posse do governador Marconi Perillo (PSDB) para o quarto mandato acontece nesta quinta-feira, a partir de 10h30, no plenário da Assembleia Legislativa.
Na sequência, Marconi cumpre o ritual passando a tropa da Polícia Militar em revista e depois faz o pronunciamento de posse no Palácio das Esmeraldas.
À tarde, o governador estará em Brasília na cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff (PT), no Palácio do Planalto.
Secretários
Na sexta-feira, às 10h30, acontece no Centro Cultural Oscar Niemeyer a posse dos novos secretários do governo de Marconi Perillo.

Dilma decreta aumento do salário mínimo

DIÁRIO DA MANHÃ
ANDREIA PEREIRA

Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa

O salário mínimo será reajustado para R$ 788,00, no ano 2.015. O decreto foi anunciado em uma publicação do Diário Oficial da União, nesta terça-feira (30). O reajuste começa a valer a partir do dia 1º de janeiro. 
Atualmente, o salário mínimo é de R$ 724,00. Com o novo valor, o reajuste será de 8,8%. Segundo a publicação do Diário Oficial da União, "o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 26,27 e o valor horário, a R$ 3,58". 



Raio mata quatro banhistas no litoral de SP; entre eles uma grávida

Os Bombeiros e o Samu foram chamados, mas as vítimas não resistiram


Postado por Moisés Tavares

Divulgação Polícia Militar SP



Um raio atingiu oito banhistas  na cidade de Praia Grande, no litoral paulista,nesta segunda feira,29/12, matando quatro deles. Entre as vítimas, estaria uma mulher grávida. Segundo o Corpo de Bombeiros, os banhistas estavam na Praia do Canto do Forte, entre a faixa de areia e o mar. A identidade das vítimas não foi informada.

Os mortos pertenciam a uma mesma família e já foram identificados: Zenildo Tadeu Vieira, 69, coronel PM aposentado, e sua mulher, Andrea Boaretto, 41; a sobrinha do casal Katia Boaretto, grávida de 5 meses e seu marido, Luciano (sobrenome e idade desconhecidos). 

Todos foram levados para o Pronto-Socorro do Hospital Irmã Dulce, no Boqueirão, na Praia Grande. O hospital confirmou, por meio da assessoria de imprensa, a morte de quatro banhistas. Os demais seguem em atendimento no setor de emergência, mas o estado de saúde e a identidade deles não foi informado.

Os bombeiros orientam os banhistas para que, a qualquer sinal de chuva ou de tempo fechado, deixem a praia e evitem se proteger embaixo de árvores. 


Chuvas fortes 
Toda a capital paulista entrou em estado de atenção para enchentes na tarde de hoje (29), informou o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). As chuvas mais fortes atingem os bairros de Campo Limpo, M'Boi Mirim, Capela do Socorro e Parelheiros, na zona sul de São Paulo; Brasilândia, Cachoeirinha e Mandaqui, na zona norte; e Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista, Itaim Paulista, Itaquera e Guaianases, na zona leste. Também chove forte nas cidades de São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu e Cotia, na Grande São Paulo. 

As chuvas, segundo os meteorologistas do CGE, devem se intensificar em outros pontos da cidade, nas próximas horas. Há potencial para queda de granizo, rajadas de vento e formação de alagamentos.

Amanhã (30) será outro dia de muito calor na capital, mas os termômetros devem ficar em torno de 30 graus Celsius, um pouco mais baixo do que nos dias anteriores. À tarde e à noite deve chover.

Na madrugada de hoje, a forte chuva que atingiu a capital provocou a queda de centenas de árvores, fechou o Parque Ibirapuera e deixou semáforos apagados e bairros sem luz.


Com informações da Agência Brasil 

Morador de rua devolve celular, recusa dinheiro e é contratado

Postado por Moisés Tavares


Carlos Vieira/CB/D.A Press

"Eu não mereço esse dinheiro porque não fiz nada de mais", foi a reação de Gustavo ao ver a oferta de R$ 100


Para muitos, iniciar o ano com o pé direito é um desejo que justifica superstições diversas, como vestir branco na virada ou comer romã. Mas a oportunidade de começar 2015 de um modo mais feliz pode ser obra do acaso, conforme mostra uma história ocorrida em Brasília. No último fim de semana de 2014, a perda de um telefone celular acabou por fazer um empresário e um morador de rua se alegrarem com o valor da solidariedade. Leonardo recuperou o seu aparelho e — o mais importante — a esperança na bondade das pessoas, e Gustavo ganhou uma perspectiva de futuro melhor para ele e os filhos.



O empresário Leonardo Buzzi, 41 anos, perdeu um celular no estacionamento do Centro Comercial Gilberto Salomão, no Lago Sul. Sem perceber, deixou o telefone cair ao sair do carro para ir ao banco. Quatro horas depois, após conseguir contato com Gustavo, o homem que havia achado o aparelho, Leonardo recebeu o objeto de volta e ficou impressionado com o caráter da pessoa à sua frente, decidida a não aceitar recompensa em dinheiro. Ao fim da conversa, animado com a chance de retribuir a bondade, o empresário fez uma oferta de trabalho a Gustavo. Com isso, o ano- novo do morador de rua deve ser melhor que o Natal.


“Eu não mereço esse dinheiro porque não fiz nada demais. Fiz o que tem de ser feito”, foi a reação de Gustavo assim que o empresário lhe ofereceu R$ 100 em agradecimento. Descobrir o paradeiro do telefone exigiu paciência. “Só fui me dar conta de que havia perdido o celular horas depois. Comecei a ligar para o meu número, e sempre caía na caixa-postal. Lembrei que o aparelho estava com a bateria fraca e achei melhor esperar um pouco”, conta Leonardo.

Após um tempo, Leonardo tentou novamente. Gustavo atendeu a ligação e disse ter encontrado o objeto. “Ele (Gustavo) estava andando no estacionamento, viu o celular e ficou esperando alguém voltar para buscar. Depois, pediu um carregador emprestado em uma loja e recarregou o aparelho para que pudessem ligar”, continua o empresário. Quando Leonardo perguntou onde o rapaz morava para que pudesse ir ao seu encontro, ouviu uma resposta envergonhada: “Ele disse que morava na rua, e foi aí que começou a minha surpresa”.

Os dois combinaram de se encontrarem no mesmo estacionamento. Na noite de sábado, ao conhecer Gustavo, Leonardo se impressionou com a história dele. O rapaz perdeu tudo o que tinha e estava procurando emprego. Vivia por ali, longe dos filhos, e aceitaria fazer o trabalho que aparecesse. Enquanto nada surgia, contava com a colaboração das pessoas. O empresário ofereceu ao rapaz uma sacola com roupas que não lhe serviam mais e R$ 100. “Queria ajudá-lo ao máximo”, diz Leonardo.



No primeiro momento, o jovem recusou a ajuda e disse ter apenas feito o que deveria. “Fiquei surpreso. Aquele telefone significaria dias de tranquilidade ou mesmo de loucura na vida dele. Mas o caráter do Gustavo me chamou a atenção. Para mim, é a qualidade mais importante em uma pessoa”, conta o empresário. 

Natal sozinho
Durante a conversa, Gustavo deixou escapar que passar o Natal sozinho, na rua, foi um dos piores momentos vividos por ele. “Foi quando eu me lembrei que estava organizando uma festa de fim de ano e o chamei para trabalhar comigo na montagem do evento”, detalha Leonardo, dono de um restaurante no Pontão do Lago Sul.

Gustavo e Leonardo acertaram que vão se encontrar hoje, na perspectiva de começarem um ano diferente. “Esse cidadão me deu esperança. Com tudo que vemos acontecer no mundo, perdemos a esperança nas pessoas. Estamos esquecendo de ter orgulho de nós mesmos como povo”, reflete o empresário. “Existem pessoas boas e temos que valorizar isso”, conclui.

Correio Braziliense

Em ano eleitoral, gastos com diárias e passagens chegam a R$ 2,6 bi


Imagem: DivulgaçãoAs despesas com passagens aéreas e diárias atingiram a marca de R$ 2,6 bilhões e superaram em 10% as de 2013, quando foram executados 2,4 bilhões ao longo de todo o exercício.
Segundo levantamento do Contas Abertas, contabilizado até o dia 20 de dezembro, o Ministério da Educação lidera os gastos com diárias de pessoal civil, militar e com passagens e despesas de locomoção: foram R$ 443,3 milhões.
Em seguida, o Ministério da Defesa, com despesas de R$ 412,3 milhões. O Ministério da Justiça completa o pódio dos órgãos que mais gastaram com diárias e passagens, com desembolso de R$ 308,6 milhões. O Ministério da Saúde vem logo atrás, tendo gasto R$ 266,9 milhões neste ano.
A Justiça do Distrito Federal e dos Territórios desembolsou R$ 368,3 mil para passagens e diárias. Já o Conselho Nacional de Justiça pagou R$ 1,8 milhão. O Superior Tribunal de Justiça, por sua vez, destinou R$ 2,1 milhões com essas despesas. Na lista dos mais econômicos ainda está o Supremo Tribunal Federal, que desembolsou R$ 2,6 milhões para diárias e passagens de seus servidores.
No Congresso Nacional, os gastos com diárias e passagens chegaram à R$ 71,1 milhões em 2014. A Câmara dos Deputados foi responsável pela maior parcela dos recursos: R$ 60,7 milhões. Já o Senado Federal desembolsou R$ 10,4 milhões.
As despesas só com passagens e com locomoção somaram R$ 1,4 bilhão. O montante é 18%, ou R$ 210,6 milhões, maior do que o R$ 1,2 bilhão destinado às diárias de civis e militares. No ranking de maiores gastos exclusivamente com passagens, o Ministério da Saúde (R$ 223,9 milhões) aparece com montante próximo às Pastas da Educação (R$ 270,9 milhões) e da Defesa (R$ 188,6 milhões). No caso das diárias, o Ministério da Justiça se torna o “campeão”, com R$ 240,7 milhões. Seguido também pela Educação e pela Defesa, que apresentaram gastos de R$ 223,6 milhões e R$ 172,3 milhões com hospedagem, respectivamente.
A Lei n° 8.112, de 11 de dezembro de 1990 garante, aos servidores públicos que efetuam deslocamentos em razão do interesse público, o direito ao recebimento de diárias e passagens. A diária é a verba concedida para pagamento de despesas como alimentação, estada e deslocamento que o servidor realizar em razão da viagem a trabalho.
Esses benefícios também se estendem aos colaboradores eventuais, que viajam para participar de eventos ou desenvolver atividade no interesse da Administração Pública, de acordo com a Lei n° 8.162, de 8 de janeiro de 1991.

Fonte: Contas Abertas

ROLLEMBERG APRESENTA EQUIPE DE SEGURANÇA PÚBLICA

NOVO GOVERNO
ROLLEMBERG APRESENTA EQUIPE DE SEGURANÇA PÚBLICA
O GOVERNADOR FALOU SOBRE O PACTO PELA VIDA



Futuro governador apresenta sua equipe de segurança
Futuro governador apresenta sua equipe de segurança Foto: Francine Monteiro

O futuro governador Rodrigo Rollemberg (PSDB) chamou a imprensa na tarde desta segunda-feira (29) para anunciar mais três nomes que compõem a equipe de seu governo. Foram apresentados o Comandante da Polícia Militar, Diretor da Polícia Civil e o Comandante do Corpo de Bombeiros.
Segundo Rollemberg após muito estudo sobre a área de segurança pública, foi escolhido o modelo de gestão adotado em Pernambuco, pelo ex-governador Eduardo Campos, o Pacto Pela Vida. Rodrigo agradeceu aos novos integrantes de seu governo, “ por terem aceitado a missão de transformar Brasília em uma cidade tranquila, de ampliar a sensação de segurança nas pessoas da cidade e de implementar aqui o Pacto Pela Vida”.
O Pacto Pela Vida será a política de segurança do Distrito Federal, baseada no tripé, prevenção, combate ao crime e inteligência. Rollemberg destacou, “essa é a nossa principal tarefa, implementar o Pacto Pela Vida e melhorar a qualidade da segurança pública no Distrito Federal”.
O pessebista falou sobre a escolha dos nomes, “como eu disse, nós iriamos nomear uma equipe sem interferência política, mas com pessoas reconhecidas e respeitadas nas suas corporações pelos serviços prestados, e com o foco muito grande no operacional”.
Para assumir a Polícia Militar do Distrito Federal a escolha foi pelo Coronel Florisvaldo Ferreira Cesar, 44 anos, nascido em Brasília. É chefe do Departamento Operacional da PMDF, chefiou o Comando de Policiamento Regional Metropolitano durante a realização da Copa do Mundo. Já foi comandante do Batalhão de Taguatinga. O coronel integra a PM desde 1990, tornou-se coronel em dezembro de 2013. Participou de missões de paz das Nações Unidas na Sérvia (2004-2005) e na África (2009-2010). É formado em Política e Estratégia pela Escola Superior de Guerra e bacharel em Segurança Pública pela Academia de Polícia Militar do DF. Tem pós-graduação em Direito Internacional dos Conflitos Armados pela Universidade de Brasília (UnB).
Novos comandantes dos Bombeiros e da PM
Novos comandantes dos Bombeiros e da PM
O comando do Corpo de Bombeiros continua com o Coronel Hamilton Santos Esteves Junior, 44 anos, nascido no Rio de Janeiro. Bombeiro militar há 26 anos, com formação em Sistema de Comando de Incidentes (SCI) pela Guarda Costeira norte americana, curso técnico em Intervenção e Salvamento em Catástrofe realizado na Espanha e capacitação em substância perigosa no Exército Brasileiro. É coronel desde 2011 e assumiu o comando do CBMDF em agosto de 2014. Formado em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília, com especialização em Administração em Educação, pela Universidade de Brasília.
Diretor da Polícia Civil
Diretor da Polícia Civil
A Polícia Civil terá como diretor Eric Seba de Castro, 52 anos, nascido em Brasília. Está na Polícia Civil desde 1984, como delegado desde 1990. Já chefiou várias delegacias, como a de Roubo e Furtos, de Tóxico e Entorpecentes, a 17ª DP E A Divisão de Repressão ao Sequestro. Foi diretor do Departamento de Polícia Circunscricional e do Departamento de Polícia Especializada (DPE), também foi vice-diretor da Academia de Polícia. Hoje é coordenador da Região Metropolitana da Polícia Civil do DF e instrutor da Academia de Polícia Militar. É formado em Direito, com curso de negociação e gerenciamento de crise pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Fez também curso no FBI de investigação voltada para entorpecentes.
Diário do Poder

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

MP pede cassação de 13 deputados por repasse ilegal de verbas em SE

Segundo o MP, R$ 12 milhões foram repassados por parlamentares
para entidades que não existem ou funcionam de forma precária.








O ano de 2014 termina também com histórias que deixam todos os brasileiros indignados, histórias de corrupção eleitoral. O Ministério Público pediu a cassação de nada menos que 13 deputados estaduais em Sergipe. A Assembleia tem 24. O motivo: repasse ilegal de milhões de reais.
Uma residência humilde pode ter recebido R$ 500 mil do poder público? E quem consegue achar R$ 480 mil do contribuinte em outra casa inacabada?
No papel, os dois endereços são de entidades que recebem dinheiro da Assembleia Legislativa de Sergipe por propostas de emenda dos deputados. É a chamada verba de subvenção, a que todo parlamentar tem direito em Sergipe, segundo uma lei de 2003.
O valor era de no máximo R$ 900 mil. Este ano - ano de eleições -, o limite passou para R$ 1,5 milhão. O aumento chamou a atenção do Ministério Público Eleitoral, que investigou o repasse do dinheiro.
“A maior parte dessas entidades não existia ou quando existia funcionava de forma bastante precária”, afirma Eunice Dantas, procuradora do MPF-SE.
O Fantástico foi até a sede das entidades. Município de Nossa Senhora do Socorro, a cerca de 14 quilômetros de Aracaju. Um lugar deveria ser a sede da Associação de Moradores e Amigos do Conjunto Siri. Por indicação dos deputados Gustinho Ribeiro, do PSD, e Augusto Bezerra, do DEM, essa associação recebeu R$ 500 mil. Na verdade, no local fica uma residência.
Maria Menezes, moradora da casa: Aqui não funciona nada disso. Nunca funcionou. Pelo menos quando eu moro, não.
Fantástico: A senhora mora aqui há quantos anos?
Maria Menezes: Há uns oito anos ou mais.
Município de Pacatuba, a quase 100 quilômetros da capital sergipana. Segundo o Ministério Público, a Associação Comunitária Nossa Senhora da Conceição recebeu R$ 480 mil por indicação do deputado Jeferson Andrade, do PSD. Na época do repasse, a sede da associação era apenas um terreno. Agora no local está subindo uma casa.
Antes dessa obra, a procuradora que investiga os repasses esteve lá e entrevistou Edna dos Santos, representante da associação.
Procuradora: O que que essa associação faz?
Edna dos Santos: Por enquanto, nada, porque não tem prédio.
Município de Muribeca, a 73 quilômetros da capital. A Associação de Moradores e Agricultores do Povoado Vesgueiro também recebeu R$ 480 mil por indicação do deputado Jeferson Andrade. O mesmo que indicou a suposta associação em Pacatuba.
No endereço, consta o número 839, que seria exatamente um terreno, que pertence ao Seu José.
Fantástico: Seu José, esse terreno pertence também a alguma associação?
José: Não. Aqui é do dono mesmo. Aqui nunca recebeu nada de ninguém.
Na capital, fica a entidade que recebeu mais dinheiro: foram R$ 2,3 milhões para a Associação de Moradores e Amigos do Bairro Nova Veneza. A suposta instituição foi indicada pelos deputados Augusto Bezerra, do DEM; Paulinho das Varzinhas Filho, do PT do B; e pela ex-deputada Suzana Azevedo, hoje conselheira do Tribunal de Contas do Estado.
Uma vizinha conta o que acontece na tal sede. “Forró, que teria domingo, e aluga para festa. Só”, diz Carla Lóes.
Ao Ministério Público, uma integrante do conselho fiscal da associação confirma a farra.
Luzinaide dos Santos: É o forró da terceira idade. A associação anda com as perninhas dela mesmo.
MP: Não recebe recurso nenhum?
Luzinaide: Nenhum, nenhum.
Ao todo, o Ministério Público pediu a cassação de 13 deputados envolvidos no repasse ilegal de verbas, que chega a R$ 12 milhões.
“Por se tratar de ano eleitoral, há indícios fortes que todo esse valor foi revestido em prol da candidatura do deputado que encaminhou para lá”, destaca a procuradora Eunice Dantas.
Um dos deputados, Adelson Barreto, do PTB, diz por telefone que nem ele nem os colegas receberam notificação da Justiça.
Ele afirma ainda que a Assembleia Legislativa acompanha o destino das verbas. “A Assembleia está recebendo a comprovação de todos os gastos de todas as entidades”, diz.
O Fantástico procurou todos os deputados e ex-deputados citados na reportagem, mas não conseguiu contato.
Um dos advogados que representam os parlamentares recebeu nossa equipe, mas não quis gravar entrevista porque afirma ainda não conhecer os detalhes do processo.
“As investigações vão continuar ainda porque com certeza houve prática de atos de improbidade administrativa, crime de sonegação fiscal, peculato, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e outros que ainda podem surgir”, afirma a procuradora.
Fonte ;G1

domingo, 28 de dezembro de 2014

Governador Marconi Perillo lançará obras do Hospital do Servidor

Por Moisés Tavares






 O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) fará o lançamento das obras do Hospital do Servidor Público, nesta segunda-feira (29). A solenidade será realizada no Auditório Mauro Borges, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, localizado na Praça Cívia, setor Central deGoiânia, às 10h.
 O hospital é uma promessa antiga feita aos servidores estaduais, feita desde a década de 1980. Houve boatos de que a instituição seria construída no local onde hoje funciona o Centro de Convenções da capital.
No mesmo dia, o governador fará a inauguração da ampliação da Subestação Xavantes da Celg. Este será o primeiro evento da agenda de segunda-feira de Marconi Perillo, com previsão de início às 8h. A solenidade será realizada na GO-080, saída para Nerópolis.

Passageiros reclamam de falta de ônibus em Águas Lindas

Postado por Moisés Tavares

Falta de ônibus em Águas Lindas / Foto: WhatsApp
Falta de ônibus em Águas Lindas / Foto: WhatsApp


Para conseguir pegar um ônibus na manhã desta sexta-feira, (26/12), em Águas Lindas de Goiás, os moradores tiveram que ter muita paciência.
O transporte público que já é de péssima qualidade, hoje ficou ainda pior, parecia greve dos rodoviários com pontos de ônibus lotados. O tempo de espera nos pontos, segundo os passageiros, passou das 2 horas.
Muitos usuários tiveram que recorrer ao transporte pirata para poder chegar ao  trabalho. ´´Tive que esperar duas horas na parada e se não fosse um ônibus pirata não teria chegado ao serviço hoje“, reclamou um passageiro.
Segundo informações preliminares, as empresas hoje rodaram com escala reduzida, parecida com uma escala de domingo só que com poucos carros a mais na operação. Nossa equipe tentou contato com as empresas Sagres, UTB e Taguatur responsáveis pelo transporte coletivo em Águas Lindas de Goiás, para saber o real motivo desta situação, mas não obtivemos respostas.

Fonte:Águas Lindas News

Psiquiatra alerta para os perigos do excesso de álcool em festas

Nas festa de fim de ano, há aumento do número de internações tanto em hospitais de pronto-socorro, como em clínicas psiquiátricas


 Agência Brasil

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press



Época de emoções e também de excessos, principalmente de álcool, as festas de final de ano acendem um alerta vermelho que deve ser levado em conta pelos cidadãos, recomendou o presidente da Associação Brasileira de Alcoolismo e Outras Drogas (Abrad), psiquiatra Jorge Jaber Filho. Em entrevista hoje (26) à Agência Brasil, Jaber informou que do ponto de vista fisiológico, o ser humano tem necessidade de algumas substâncias químicas no cérebro, que são os neurotransmissores, que se assemelham às moléculas das drogas, como o álcool, o tabaco, a cocaína, a maconha.
“Há uma tendência na vida das pessoas, que se radicaliza nesse momento de datas festivas, de haver falta dessa substância no cérebro. Aí, a pessoa toma alguma substância, como o álcool, que é um estimulante em pequenas doses, mas que, se tomado em excesso, acaba produzindo o efeito inverso. Em vez de um estímulo ao sistema nervoso central, ela passa a ter uma inibição do sistema nervoso central, fazendo com que aumente ainda mais a depressão, decorrente muitas vezes da lembrança de pessoas queridas que não estão mais presentes”, disse o psiquiatra.
Segundo Jorge Jaber, há uma inversão de valores nas festas de fim de ano, com crescimento do aspecto mais materialista da data e não dos valores espirituais. “De maneira que as pessoas acabam abusando dessas substâncias as quais adicionam no organismo, como adicionam presentes, comidas”. A partir daí, há um abuso que pode ser o fator determinante de doenças como alcoolismo e dependência química.
Salientou que nessa época, costuma aumentar o número de internações tanto em hospitais de pronto-socorro, como em clínicas psiquiátricas. “A situação da saúde pública ainda não conseguiu resolver a questão de leitos hospitalares e, em relação à saúde mental, vigora a política da redução do dano. Ou seja, a pessoa pode usar (álcool, no caso), desde que não cometa atos que piorem a sua vida”. Jaber disse que o Brasil está experimentando esse tipo de política mas, aparentemente, ela não tem tido o sucesso esperado. Isso é constatado pela existência de cracolândias, que são acúmulos de centenas de pessoas drogadas, em especial nas grandes metrópoles, sugeriu.
Esclareceu que quase todas as pessoas que usam álcool começaram usando tabaco. “Quase todos que usam maconha, começaram usando tabaco ou álcool e da cocaína em diante, essas três drogas são fundamentais para levar ao uso dessa droga”.
De acordo com o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), feito pelo Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas da Universidade Federal de São Paulo, a proporção de bebedores frequentes (que bebem uma vez por semana ou mais) subiu 20% no país entre 2006 e 2012, passando de 45% para 54%. A expansão entre as mulheres (34,5%) foi maior do que entre os homens (14,2%), no período pesquisado.
Em termos de concentração do consumo de álcool, o Lenad mostra que 20% dos adultos brasileiros que mais bebem consomem 56% de todo o álcool consumido. A pesquisa revela ainda que quase dois de cada dez bebedores apresentaram critérios para abuso ou dependência de álcool e que 32% dos adultos que bebem relataram não terem sido capazes de parar de beber depois que começaram.
O Lenad constatou também a relação entre abuso de álcool e depressão. Dos 5% de brasileiros que tentaram tirar a própria vida entre 2006 e 2012, em mais de dois de cada dez casos, o que equivale a 24%, a tentativa estava relacionada ao consumo de bebidas alcoólicas.
Para o presidente da Abrad, a tendência é ampliação do uso de álcool pela população, no Brasil. “O que nós temos visto é um aumento do custo na saúde pública da liberação do álcool para menores de 18 anos. E isso leva a um abuso cada vez mais cedo nos jovens, gerando alterações físicas e mentais muito importantes”. Criticou a falta de fiscalização na venda de bebidas para crianças e adolescentes, principalmente em postos de gasolina, onde os jovens compram suco ou refrigerante e tomam misturado a álcool. “Todos veem isso acontecer e não há um efetivo combate a essa prática”.
Jaber informou que não há distinção de classe social ou de nível socioeconômico entre os bebedores de álcool no país. “Os mais abastados costumam misturar vodca com bebidas energéticas ou cafeínicos, enquanto os menos abastados procuram tomar cerveja com cachaça ou fazer essas misturas chamadas batidas, que misturam cachaça com refrescos ou refrigerantes”. Destacou ainda que nas comunidades carentes brasileiras, a situação econômica favorece a venda de substâncias ilícitas, como o álcool, entre menores de idade. (Alana Gandra)

O futuro governador: Festeiro na juventude, ele foi a grande surpresa nas últimas eleições


Plano do PSB é fazer do político uma liderança nacional do partido

O celular apita avisando que chegou uma mensagem e o futuro governador Rodrigo Rollemberg (PSB) olha o visor para ver quem a enviou. Trata-se de um recado de sua mulher, Márcia Helena. Ele lê o texto curto “me liga” e põe o telefone de lado. Em seguida, diz em voz alta para si mesmo: “Depois eu retorno”.

Não passam nem dois minutos, mais um toque. ...

Dessa vez é Hélio Doyle, chefe da Casa Civil, informando que o rombo nas contas do Distrito Federal pode passar da casa dos 4 bilhões de reais. Rollemberg está no apartamento da mãe, Teresa, na 206 Sul, onde viveu por vinte anos. Na sala, com clima de quartel-general político, há três mesas e 38 cadeiras. Uma das empregadas da casa oferece um café preto, ele diz que aceita, mas não sobra tempo para tomá-lo. Veste um terno azul três números acima de suas medidas e desce às pressas para fazer fotos nos pilotis do prédio. No caminho, pede a um assessor que comunique seu atraso para o próximo compromisso. Minutos depois, ele some de vista a bordo de um Fiat Freemont particular. É nesse corre-corre que o mais novo comandante do Distrito Federal se aquece para encarar o maior desafio de sua vida a partir de quinta (1º): tirar Brasília do buraco. Com saldo negativo e afogado em dívidas públicas, o Palácio do Buriti tornou-se uma bomba prestes a explodir. Sem dinheiro no caixa, será quase impossível o governador realizar, a curto prazo, suas principais promessas de campanha. Nesse contexto, manter serviços básicos num primeiro momento já começa a soar um grande feito diante de sucessivos calotes em áreas como transporte, saúde, educação e cultura. Uma das seis empresas que fazem a coleta de lixo, por exemplo, tem para receber cerca de 80 milhões de reais, soma de atrasos nos repasses desde setembro. Com essa dívida em aberto, ver caminhões de limpeza nas ruas tornou-se algo raro.

Do alto de seus 55 anos, o político de 1,75 metro de altura e voz mansa sabe bem o tamanho da encrenca que o aguarda. Apesar de ter nascido no Rio de Janeiro e ter pais sergipanos, ele chegou a Brasília com menos de 12 meses de vida. Dono de quase nenhuma experiência em gestão pública, construiu a sua carreira aqui por força das circunstâncias. Foi assim que conseguiu o seu primeiro emprego na capital, aos 20 anos. O pai, Armando Sobral Rollemberg, na época ministro do Tribunal Federal de Recursos, pediu ao amigo e ex-senador Augusto Franco, um poderoso usineiro sergipano, que alocasse o filho no Senado. Armando tinha um forte motivo para recorrer ao conterrâneo. O jovem estudante já namorava Márcia Helena e ela estava grávida aos 18 anos. Quando contou ao pai que sua garota esperava um bebê, ele levou uma bronca tão enérgica que os berros do patriarca eram ouvidos nos pilotis do prédio. “Como você vai sustentar um filho sem trabalhar?”, indagou Armando. Márcia Helena, lá embaixo, escutou tudo. O dramático momento só ganhou ares mais tranquilos garantiu a Rollemberg o posto vitalício que lhe rende — quando está no batente — um salário de 30 000 reais. Cinco anos depois, viria o estreitamento com a política na sua filiação ao PSB. Em 1990, ele disputou e perdeu sua primeira eleição para deputado distrital. Não esmoreceu. No pleito seguinte, enfrentou as urnas e fracassou de novo, mas acabou como primeiro suplente do deputado Wasny de Roure (PT). Como a sorte e Rollemberg andam de mãos dadas, o petista foi convidado para ser secretário da Fazenda do governo de Cristovam Buarque e abriu caminho para o socialista se sentar numa cadeira de deputado distrital. Esse primeiro caminho, trilhado por coincidências, faz com que os amigos mais próximos digam que ele nasceu de quina para a lua. 

Segundo vários analistas políticos, acreditar que Rollemberg se tornou governador com um grande empurrão do destino também faz muito sentido. No início da corrida eleitoral, ele nem sequer era apontado como um dos favoritos. Estava bem atrás de José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT). Só depois que Arruda foi expurgado do certame pela Justiça, sua candidatura ganhou fôlego. No segundo turno, com o governador e a máquina estatal fora de combate, ele enfrentou um Jofran Frejat (PR) enfraquecido pelo pouco tempo de campanha e pela estreita ligação com um ficha-suja. Em todo esse processo, outro fato inesperado oxigenou muito o nome de Rollemberg: a morte do candidato à Presidência da República Eduardo Campos (PSB). A tragédia acabou turbinando a campanha do socialista e deu a ele a visibilidade de que precisava para deslanchar. Um ano atrás, quando se desenhava o projeto de fazê-lo governador, quase ninguém apostava nele como uma liderança robusta no DF. Nem mesmo o próprio, que vinha de um mandato pouco expressivo no Senado. Agora, com a ideia de renovação pairando sobre o político, existe gente dentro do PSB que sonha alto e já traça planos para uma possível candidatura à Presidência da República (veja o quadro no final da matéria). 

Entre o bloco, a roça e Aracaju 
A infância, na Asa Sul, e a juventude agitada fazem de Rollemberg um legítimo representante da geração Brasília

Teresa Rollemberg: grávida, ela posa com onze dos quinze filhos que teve. No detalhe, Rodrigo com cara séria (Fotos: Arquivo pessoal)

Fazenda dos Rollemberg, em 1977: montado num cavalo, uma das suas grandes paixões 
Jovem empreendedor: Rollemberg (sem camisa) carrega com o amigo Valdeone uma panela de queijo para vender no Senado 
Festa em Aracaju: dançando com a irmã Rosa Clara em 1977 

Depois de bronca do pai: aos 21 anos, apreensivo, ele se casou com Márcia Helena, que estava grávida 

Veraneio em Aracaju: com a primogênita, Gabriela, na orla da Praia de Atalaia, em 1981 
...E a prole aumenta: no colo dos pais, Gabriela e o menino Ícaro, batizado no dia da foto 
Cercado pela família: Loyane (nora), Ícaro (filho), Pedro Ivo (o filho mais novo), Márcia Helena (esposa), Gabriela (a filha mais velha) e Rodrigo (genro) 

Oitavo filho de uma prole de quinze, Rodrigo demorou para manifestar essa vocação política. Quem se destacava nessa seara desde cedo na família Rollemberg era o mais velho, Armandinho, que militava na esquerda e participou do primeiro discurso de Luiz Inácio Lula da Silva na capital. Mas o primogênito entre os homens resolveu seguir carreira de jornalista político e virou um dos profissionais mais respeitados na década de 70. Rodrigo trilhava outro rumo, tornando-se aos poucos um legítimo representante da geração Brasília, predicado que tanto adora. Quando jovem, tinha os cabelos compridos e cacheados e era o xodó das meninas. Nas festas, fazia sucesso. Aos 15 anos, já bebia e fumava. Durante a noite, seguia com os amigos a pé pelas quadras do Plano Piloto em busca de balada. “Nós éramos uma turma de quatro e andávamos por quase toda a Asa Sul olhando as janelas dos prédios no sábado à noite. Onde havia luz negra, já sabíamos que existia uma pista de dança improvisada na sala”, relembra Mássimo Jório, um dos amigos de infância do futuro governador. Naquela época, Brasília respirava uma liberdade sem muito freio. Com receio de ter os filhos presos pelos policiais, os pais chegavam a permitir que eles fumassem maconha dentro de casa. “Quem disser que não fumava está mentindo. Ela fazia parte da nossa realidade”, diz Jório.

Nos fins de semana, Rollemberg e sua turma também rumavam para as fazendas que os pais de seus amigos mantinham em cidades próximas. A família de Jório, por exemplo, tinha uma propriedade chamada Montes Claros, em Luziânia (GO), a 100 quilômetros da capital. O lugar era ponto de encontro da galera por causa de um riacho que cortava o terreno. Eles chegavam na sexta à tarde e só voltavam para o Plano Piloto na noite do domingo. Márcia Margareth Rosa, uma das amigas da época, conta que eles acordavam com um copo de cerveja ou batida de cachaça na mão. Ao fim do dia, tontos com o efeito do álcool e da maconha, todos tiravam a roupa e se jogavam nus na água corrente. Nessa ocasião, Rollemberg já namorava Márcia Helena — o casal ocupava uma suíte na casa de campo. “Era um clima festivo e inocente. Não havia maldade”, relata a amiga Márcia Margareth. Naquele período, a família Rollemberg possuía a fazenda Santa Teresa, também em Luziânia. Quem tocava o negócio era o irmão, Ricardo. Seguiu assim até 1981, ano em que ele sofreu um violento acidente de carro e permaneceu meses em recuperação hospitalar. Coube, então, a Rollemberg administrar o rancho com gado, plantação e aves. O fato fez com que os encontros na propriedade de Jório se mudassem para o endereço rural dos Rollemberg. Depois de assumir essa responsabilidade, Digão, como Rollemberg é chamado pelos amigos até hoje, passou a ter uma postura mais séria diante da vida. Chegou até a comprar a própria fazenda em Luziânia, batizada de Araras, e pensar seriamente numa trajetória como produtor rural. No entanto, a convivência com senadores e deputados no Congresso e o curso de história na Universidade de Brasília (UnB) o empurravam para o mundo da política. “Participei da reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE). No Senado, trabalhei nos gabinetes de Saturnino Braga e Jamil Andrade. Essas foram as minhas maiores influências”, conta Rollemberg.

Apesar de o pai ser fazendeiro e ministro do Tribunal de Recursos, hoje Superior Tribunal de Justiça (STJ), a vida dos Rollemberg sempre transcorreu com dificuldade. Teresa, a matriarca, diz que nunca faltou nada em casa. Mas manter quinze filhos custava caro. No Natal não havia como adquirir brinquedo para todo mundo. Diante disso, ela ia para a fazenda e pegava todo tipo de bicho. “Um ganhava coelho; outro, pato; a outra, uma galinha... Tinha até quem recebia pombo”, lembra. Segundo a mãe, Rollemberg foi um bebê calmo, não chorava nem dava trabalho. Quando criança, ficou sapeca. A professora Yone Maria Corrêa, pioneira na Escola Classe 206, onde todos os Rollemberg iniciaram os estudos, recorda que o menino, com 7 anos, brincava nos vãos empoeirados da superquadra e entrava na escola para pedir merenda mesmo fora do seu turno. “Ele perguntava o que tinha para comer. Eu oferecia polenta com carne moída, mas dizia que só serviria se ele lavasse o rosto e as mãos, que estavam sempre cobertos de barro”, afirma a docente.

Perto do atual contexto financeiro do GDF, os apertos com dinheiro na infância devem ser lembrados como uma fase de vacas gordas. Paralisação das aulas da educação infantil e do ensino fundamental públicos, desabastecimento de materiais e medicamentos em hospitais do governo e a não renovação de contratos de serviço de segurança armada são apenas alguns riscos que ele pode enfrentar a partir de janeiro. “A situação do GDF é bem pior do que eu pensava”, diz Rollemberg.

Arrumar soluções viáveis para a capital ainda na fase de transição já tem estendido a agenda de Rollemberg e provocado as primeiras baixas na sua rotina social antes mesmo da posse. Está difícil encontrar seus amigos de brincadeiras na quadra e da juventude festeira. “Saímos juntos depois da eleição, mas não conversamos direito. O telefone dele toca a toda hora e chega mensagem o tempo todo. Na rua, as pessoas querem cumprimentá-lo e fazer selfie”, queixa-se Jório, o mais próximo dessa turma. Quando falava com VEJA BRASÍLIA sobre o amigo de farra que virou governador, resolveu ligar para Rollemberg. Ele não atendeu. Em seguida, animado por três doses de cachaça, o cúmplice de esbórnia resolveu deixar um recado: “Digão, estou dando entrevista sobre você. Falei tudo o que a gente aprontava nesta cidade. Espero que não fique chateado. Um grande abraço”. 

Rollemberg para presidente. Será?

Plano do PSB é fazer do político uma liderança nacional do partido

O secretário de Mobilidade, Carlos Tomé, o vice Renato Santana e Rollemberg: espanto ao verem o tamanho do abacaxi que precisarão descascar (Foto: Michael Melo)

Com a morte de Eduardo Campos, a maior expressão do PSB, o futuro comandante do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, surge como uma possível liderança nacional da sua sigla. “Tudo vai depender do desempenho do seu governo. De qualquer forma,o DF é uma grande vitrine e ele tornou-se um dos candidatos naturais para substituir Campos”, diz o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira.O partido não vai perder tempo nesse sentido e já cultiva planos para emplacar Rollemberg na mídia nacional. Repaginar o socialista,que nunca investiu pesado na sua apresentação pessoal, será o primeiro passo. Durante a campanha, ele usava sempre o mesmo figurino: camisa azul-bebê e calça jeans que ele mesmo comprava na Feira de Ceilândia por 60 reais. Seus ternos,ele adquire numa loja popular do Conjunto Nacional. A ideia é vesti-lo em 2015 com mais sofisticação. Para ocupar o lugar deixado por Campos, os mais próximos defendem que Rollemberg precisa ir além do figurino, recorrendo a aplicações de Botox,a toxina que puxa, estica e remoça. Dentes um pouco tortos e amarelados, em decorrência do hábito de fumar, são outras características que deverão ser abandonadas em virtude desse projeto. O novo mandante do DF não está sozinho na disputa pelo posto de estrela nacional do PSB. Paulo Câmara, o governador eleito de Pernambuco, está no páreo. Jovem — ele tem 42 anos — e bonito, tem a vantagem de ser uma espécie de herdeiro direto do legado de Campos. Márcio França, o vice-governador eleito de São Paulo, aparece como outro candidato forte à vaga. Hoje, Rollemberg pode não assinar embaixo de toda essa operação, mas, com os palácios do Buriti e do Planalto na mesma via, é difícil não sonhar com algo que está no seu horizonte.
Fonte: Veja Brasilia, por Ullisses Campbell. Foto: Michael Melo - 28/12/2014