UM NOVO TEMPO

UM NOVO TEMPO
+ DE 40 ATENDIMENTOS PEDIÁTRICOS

segunda-feira, 31 de maio de 2021

CCJ aprova mudança em regra para inelegibilidade de agente público com contas rejeitadas

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados Enrico Misasi: "Direitos políticos são direitos fundamentais"
Proposta agora será analisada pelo Plenário A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta segunda-feira (31), o Projeto de Lei Complementar 9/21, de autoria do deputado Lucio Mosquini (MDB-RO), que torna elegível o administrador público que teve contas rejeitadas por irregularidade grave, considerada dolosa (quando há a intenção), mas que recebeu apenas a pena de multa. A proposta vai a Plenário. Atualmente, a Lei das Inelegibilidades impede a candidatura de quem teve as contas definitivamente rejeitadas por irregularidade insanável em ato considerado doloso (como desvio de recursos públicos). Em situações assim, a pessoa torna-se inelegível por oito anos. O relator na CCJ, deputado Enrico Misasi (PV-SP), destacou que “a consequência jurídica da declaração de inelegibilidade é equivalente a ‘suspender’ parcela dos direitos políticos de um candidato”. “Os direitos políticos são direitos fundamentais, e a limitação de direitos fundamentais não pode ser banalizada”, defendeu o parlamentar. “A única coisa que nos move é o respeito ao mandato eletivo. Se o Tribunal de Contas e o Ministério Público julgam que uma simples multa sem nenhum tipo de ressarcimento ao erário é o suficiente para punir o gestor, nós acreditamos que nesses casos não deve haver a mitigação dos direitos políticos", disse. Para Misasi, o País precisa combater a corrupção e os malfeitos na administração pública, mas, por outro lado, necessita "encontrar também os mecanismos de respeitar a vontade popular e de resguardar os mandatos eletivos, que são o fundamento da democracia". Saiba mais sobre a tramitação dos projetos de lei complementar Reportagem – Paula Bittar Edição – Roberto Seabra Fonte: Agência Câmara de Notícias

MOTORISTAS MULTADOS EM EXCESSO NA BR 070.

Por Samuel Bezerra--- Estagiário---Fotos: Fotos: Samuel Bezerra
Muitos Motoristas Rodoviários das empresas de transporte de passageiros ( TAGUATUR, UTB e COOTRAAP ) veem sendo convocados em suas respectivas empresas para darem ciência a MULTAS DE TRÂNSITO ocorridas na BR 070 altura do KM 12,500 enfrente ao Posto de Combustível SHELL na entrada do JARDIM AMÉRICA I no perímetro urbano de Águas Lindas de Goiás. Segundo o relato de alguns profissionais algumas MULTAS chegam a indicar até 50% da velocidade permitida para o local , os profissionais alegam que o Instrumento de fiscalização possa está com defeito pois os veículos ( Ônibus ) que eles trabalham são equipados com Instrumento de fiscalização ( TACÓGRAFOS ) e a velocidade não batem . A Resolução 798, no Art. Terceiro, Iciso III , diz que os Equipamentos de fiscalização ( PARDAIS ) devem serem aferidos conforme determina o IMETRO a cada 12 meses . Os Profissionais devem fazer o Recurso ( defesa ) das Multas diretamente no DNIT ou no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Entorno do Distrito Federal. Os Profissionais fazem um apelo as autoridades locais em Especial ao Secretário Municipal de Mobilidade e Transporte, CARLINHOS BRAZ que possa está intervindo junto ao DNIT órgão Federal responsável pela emissão das Multas, para que seja feita uma nova aferição nos equipamentos ( PARDAIS ) e assim possa evitar que os profissionais ( pais e mães ) de famílias sejam multados e tenham que reduzir os seus salários fazendo o pagamento das Multas e que muitos consideram irregular .
SAMUEL BEZERRA, Rodoviário, Morador e pagador de impostos da cidade de Águas Lindas de Goiás.

Polêmica-- Jorcelino Braga e outros membros do Patriota entram com ação no TSE contra filiação da família Bolsonaro

Por Fernanda Santos Jorcelino Braga, presidente regional do Patriota | Foto: Reprodução
Segundo ação, presidente nacional do partido, Adilson Barroso, teria realizado inúmeras irregularidades para abrigar o presidente Jair Bolsonaro e seu clã A polêmica filiação da família Bolsonaro se tornou ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Durante a convenção, que teria sido realizada a toque de caixa, Flávio Bolsonaro também teria insinuado que seu pai, o presidente da República, se filiaria ao partido. O presidente goiano da sigla, Jorcelino Braga, e outros membros, não teriam aprovado o ingresso dos Bolsonaro. “Eles estão usando tudo o que têm direito para tomar o partido. Foi surpresa. Foi tudo tratado como surpresa. Ninguém ficou sabendo disso, foi feito na calada da noite”, afirmou Braga, sobre a participação de Flávio Bolsonaro por videoconferência na convenção e o anúncio feito pelo senador ‘filho 01′ “, falou Braga ao Antagonista. Braga teria afirmado que “Bolsonaro está entrando pela porta de trás”. O motivo disso, seria que o presidente nacional, Adilson Barroso, estaria cometendo uma série de irregularidades para abrigar o presidente e seu clã no Patriotas. Entre as irregularidades, Barroso teria alterado e incluído integrantes na convenção do partido com direito a voto para garantir a aprovação do novo estatuto. “O partido nunca disse que era contra a vinda do Bolsonaro. O problema foi como isso foi feito, não concordamos com a forma como foi feito. O Bolsonaro poderia entrar pela porta frente, mas está entrando pela porta dos fundos para tomar o partido: essa é a verdade”, afirmou Braga. O presidente teria realizado a convenção nacional a toque de caixa e, segundo a ação enviada ao ministro Edson Fachin. “Utilizou-se de sua senha nacional do SGIP/TSE, e substituiu membros eleitos na convenção de 07/11/2018 e com direito a voto na convenção de 31/05/2021”, diz trecho do documento ao TSE. Leia trecho do documento: Como já dito e demonstrado por amostragem, há vontade individual do Presidente Nacional Adilson Barroso de filiar o Exmo. Sr. Presidente da República Jair Bolsonaro e acomodar seu grupo político nas fileiras do PATRIOTA, decisão que é competência da convenção nacional. Ocorre que, para viabilizar tal aprovação, o Presidente Nacional Adilson Barroso Oliveira fez publicar silenciosamente edital de convocação de convenção nacional, remetendo-o discretamente para o Diário da União (DOU), sem prévia ou posterior comunicação aos convencionais, sem dar ampla publicidade aos membros do partido, sem sequer viabilizar a eles oportunidade desembaraçada de participar já que a publicação ocorreu no dia 27/05/2021 (quinta-feira) e a convenção foi marcada para 31/05/2021 (segunda-feira) às 11 horas, num município do interior do Estado de São Paulo, Barrinha/SP. Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/

James Farias segue firme na pré candidatura a deputado estadual

Com um trabalho parlamentar diferenciado desde que assumiu seu mandato na Câmara Municipal, o vereador e pré candidato a deputado estadual James Farias, vem a cada dia confirmando seu projeto politico na busca de uma das cadeiras na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. Com uma postura que vem chamando a atenção tendo seu gabinete na Câmara Municipal aberto á comunidade e atendendo a população em suas reivindicações, o vereador também tem ido em busca de recursos para as mais variadas áreas e tem dado prioridade á saúde. É sabido que o municipio de Águas Lindas de Goias tem condição de eleger até dois deputados estaduais e James Farias pode ser um dos eleitos para representar e muito bem a população de Goiás e de Águas Lindas de Goiás a cidade que escolheu para morar e trabalhar em prol de seu desenvolvimento e progresso.

Professor Ulisses é um dos Secretarios que mais tem trabalhado na gestão do Dr Lucas

Uma das coisas acertadas que o atual prefeito de Águas Lindas de Goiás Dr Lucas fez foi escolher como secretarios municipais para algumas pastas pessoas que realmente moram na cidade que conhecem a realidade do municipio. E dentre estes secretarios está o professor Ulisses, Secretário de Esporte e Lazer que tem feito um trabalho que está sendo reconhecido por muitos. A Secretaria de Esportes e Lazer em parceria com várias instituições da cidade tem realizado eventos que beneficiam a população e trazem imunidade para o corpo. Estes eventos seguem todas as normas da OMS-Organização Mundial de Saúde no que tange aos cuidados que todos devem ter em usar máscara, alcool em gel e o distanciamento. Mesmo em pandemia a cidade não para e o governo também não, são muitas as atividades que proporcionam a população qualidade e melhoria de vida.

sábado, 29 de maio de 2021

PARTIDOS ENTRAM NA DISPUTA PELA FILIAÇÃO DE BOLSONARO

Por BOMBEIROS DF Por Raul Holderf
Siglas almejam conquistar o ‘efeito Bolsonaro’ O quadro eleitoral de 2022 já está movimentando as prévias partidárias no Brasil. Numa disputa bastante movimentada, o nome de Bolsonaro é a bola da vez. Patriota, PP, PSL e PTB sonham em ter o presidente da República em suas legendas. O presidente do Patriota, Adilson Barroso, não esconde o interesse em levar o chefe do Executivo para a ala do partido. Entre as alegações, Barroso tem dito que a sigla pensa e age de acordo com os princípios do conservadorismo. Do outro lado, PP, PSL e PTB, que são antigas legendas de Bolsonaro, buscam reconquista-lo e, eventualmente, alçar um novo fenômeno de votos em 2022, repetindo a fórmula do páreo de 2018. No dia 20 deste mês, durante a liberação da ponte estaiada em Santa Filomena/PI, Bolsonaro disse que existe a possibilidade de retornar ao PP. “Fui do PP dele por muito tempo. O Ciro [Nogueira] não está apaixonado por mim não, mas está me namorando. Ele quer que eu retorne ao Partido Progressistas. Quem sabe? Se ele for bom de papo, quem sabe a gente volte para lá. É um grande partido”, declarou. Apesar de não ter emplacado o Aliança Pelo Brasil, Jair Bolsonaro e seus aliados não estão preocupados. Agora, o objetivo é conseguir firmar uma sigla que garanta a autonomia do mandatário e das bandeiras defendidas por ele. Fonte: Conexão Política https://www.bombeirosdf.com.br/

Assistente Social ativa e participativa: A dedicação de Maria Yvelônia no apoio ao controle social

Por TV Cristalina
A secretária nacional de Assistência Social, Maria Yvelônia dos Santos, sempre com agenda cheia, diariamente, sai de casa animada para, mais um dia e trabalhar com o que ama. Chegando no trabalho encontra às primeiras tarefas e com dinamismo começa a executa-las. Recentemente, juntamente com o Ministro da Cidadania, João Roma, entregou de maneira simbólica a Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) a 238 instituições que prestam serviços de assistência social pelo Brasil. Outra atitude louvável da secretária é de interagir com o povo em lives importantes (ao vivo) como aconteceu recentemente, com a secretária nacional de Atenção a Primeira Infância, Luciana Siqueira Lira. Um bate descontraído falando para milhares de pessoas da importância do fortalecimento dos veículos parentais para o desenvolvimento Infantil. Vale ressaltar que, Maria Yvelônia, uma assistente social, formada pela Universidade de Brasília (UNB), hoje secretária nacional de Assistência Social, no decorrer de sua trajetória, atuou com competência nas demandas de Valparaíso de Goiás. Ela sabe que fazer uma live (transmissão ao vivo para internet) é uma das ferramentas mais poderosa para aproximar, informar e manter o contato com o povo. Jornal Gazeta Fonte: https://tvcristalina.com.br/

sexta-feira, 28 de maio de 2021

Salário de servidores efetivos e comissionados em dia

#pontualidade #administração
Um Novo Tempo | Administração A Secretaria Municipal de Administração enviou nesta manhã o arquivo de pagamento dos servidores efetivos e comissionados do município!

TSE apresenta logotipo das Eleições 2022

Escolha foi feita pelos ministros antes da sessão de julgamentos e apresentada pelo presidente da Corte
Ao iniciar a sessão de julgamentos desta quinta-feira (27), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, apresentou o novo logotipo das Eleições 2022. A escolha da imagem pelos ministros do TSE ocorreu minutos antes da sessão de julgamentos desta manhã. “Eleições 2022 - seu voto faz o país. Esse vai ser o símbolo das Eleições de 2022. Agradeço ao pessoal da Secretaria de Gestão da Informação, ao Cleber Schumann [titular da SGI] e aos prezados ministros que participaram dessa escolha totalmente democrática”, disse. Sobre a marca A produção da marca foi realizada a partir de conceitos preestabelecidos, que evidenciam a importância da participação popular na escolha de seus representantes políticos. A imagem é constituída pelo principal elemento que forma a eleição: o voto consciente como um ato que faz o país que todos querem, representado pelo símbolo de “visto”. “A concepção foi feita pensando-se na vontade popular de escolher seus representantes, de fazer a melhor escolha para o país que nós queremos”, explica Cleber Schumann. De acordo com ele, as cores foram selecionadas com base no mesmo conceito do logotipo das Eleições Municipais de 2020, que transmitem imparcialidade, equilíbrio, leveza, harmonia e diversidade. “A logo é justamente o elemento visual que vai marcar as eleições, seja na propaganda ou em eventos. Então, ter uma logo representativa e que traz uma mensagem vai marcar esse momento histórico que são as eleições gerais que acontecem a cada quatro anos. A importância da logo é fundamental para trazer o eleitorado e identificar Justiça Eleitoral”, finaliza. Assista à entrevista com Cleber Schumann. Assista à apresentação feita em Plenário. Eleições 2022 No dia 2 de outubro do ano que vem, mais de 145 milhões de eleitores brasileiros irão às urnas para escolher o novo presidente da República, além de governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. O segundo turno do pleito está marcado para o dia 30 do mesmo mês. Fonte: https://www.tse.jus.br/imprensa

Sucessão Jorcelino Braga avalia que oposições vão se unir contra o governador Ronaldo Caiado

Jorcelino Braga, presidente do Patriota / Foto: reprodução/Rota Jurídica
O empresário e marqueteiro avalia que o MDB tem nomes fortes, assim como o Patriota, com Jânio Darrot. Ele sugere que Iris Rezende é forte para senador O presidente do Patriota em Goiás, empresário e marqueteiro Jorcelino Braga, afirma que os postulantes das oposições ao governo do Estado, para a disputa de 2022, “estão trabalhando. No final, quem tiver mais condições será o candidato. O nosso objetivo é unir toda a oposição para enfrentar o governador Ronaldo Caiado, do partido Democratas”. “Noto que Daniel Vilela e Gustavo Mendanha têm vontade de disputar o governo. Mas, claro, são pessoas diferentes. Acredito que um vai com o outro até o fim”, afirma Jorcelino Braga. “Jânio Darrot, o nosso pré-candidato, está trabalhando, conversando com líderes de partidos. O nome dele está colocado e é, sem dúvida, um excelente candidato a governador. Foi prefeito de Trindade por oito anos e o município é um dos mais importantes de Goiás. Ele é empresário e não é fácil ser empresário bem-sucedido no Brasil. Por sua própria natureza diplomática, Jânio está aberto ao diálogo”, diz o presidente do Patriota.
Sobre uma possível aliança entre Ronaldo Caiado e Daniel Vilela, os líderes do Democratas e do MDB, Jorcelino Braga sugere que a decisão será de Daniel Vilela. “Mas acredito que não haverá composição entre os dois.” Sobre Iris Rezende, Jorcelino Braga avalia que, se disputar o Senado, tem chance de ser eleito. “Se tirar Iris do páreo, fica todo mundo igual, ninguém se destaca tanto quanto o ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia. Mas Alexandre Baldy (Progressistas), João Campos (Republicanos), Vilmar Rocha (PSD), Delegado Waldir Soares (PSL) e Luiz Carlos do Carmo (MDB) são nomes a considerar. Meirelles é um nome que merece respeito, mas não difere dos demais. Ele foi eleito em 2002, com quase 200 mil votos, e foi embora de Goiás.” Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/

quinta-feira, 27 de maio de 2021

Decisão do TSE fortalece movimentos de renovação política

Foto: Agência Brasil
A decisão do TSE de dar aval para a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) mudar de legenda sem perder o mandato reacendeu o debate A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de dar aval para a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) mudar de legenda sem perder o mandato reacendeu o debate sobre o papel de movimentos suprapartidários de renovação política, que saíram fortalecidos. Mas existe aí um problema. Embora integrantes desses grupos vejam o veredicto do tribunal como reconhecimento de que sua atuação é legítima, dirigentes de partidos avaliam que esses parlamentares agem como representantes de “siglas clandestinas”. Por 6 votos a 1, o TSE reconheceu, na terça-feira, 25, que Tabata sofreu “grave discriminação política” no PDT e, por isso, poderia mudar de legenda sem ferir a regra de fidelidade partidária. A norma, em vigor desde 2007, prevê que o mandato do deputado pertence à legenda e, caso o parlamentar troque de partido, ele pode perder o cargo. As exceções são os casos de expulsão da legenda ou quando há uma justa causa para desfiliação, como ocorreu no caso da deputada. O TSE já havia reconhecido, em abril, o direito de os deputados Felipe Rigoni (ES) e Rodrigo Coelho (SC) deixarem o PSB com justificativas semelhantes. A exemplo de Tabata, os dois são egressos de movimentos de renovação política e votaram a favor da reforma da Previdência, em 2019, contrariando a orientação da direção das siglas. Por causa desses votos, os três foram punidos internamente. Tabata e Rigoni usaram como argumento para pedir a desfiliação uma carta-compromisso firmada entre seus partidos e o movimento Acredito, do qual ambos fazem parte, em 2018. No documento, a legenda se compromete a respeitar “as autonomias política e de funcionamento, bem como a identidade do movimento e de seus representantes”. Presidente do TSE, o ministro Luis Roberto Barroso, afirmou que houve violação do compromisso formal representado pela carta no caso de Rigoni. O relator do processo envolvendo Tabata, o ministro Sérgio Banhos, foi na mesma linha, e entendeu que a justa causa estaria evidenciada, entre outros motivos, em razão da “quebra de expectativas legítimas” decorrentes da carta-compromisso. “Os partidos assinaram um compromisso com o Acredito, e o tribunal entendeu que esses compromissos importam”, afirmou José Frederico Lyra Netto, fundador do movimento. Ameaça Para dirigentes partidários, no entanto, na prática o TSE decidiu que compromissos com os movimentos de renovação valem mais do que a fidelidade do parlamentar à sigla que o elegeu. “A decisão é incoerente e decreta agora a ‘infidelidade partidária’. É hora de o Legislativo atuar com força”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi. Segundo ele, as decisões do tribunal são uma ameaça ao sistema partidário e podem fazer ascender “partidos clandestinos”. Presidente do PSB, Carlos Siqueira afirmou que a Justiça já causou prejuízos ao sistema político brasileiro em outras ocasiões e, além da brecha aberta na regra de fidelidade partidária, ele cita a derrubada da cláusula de barreira, aprovada pelo Congresso em 2006, mas barrada pelo Supremo Tribunal Federal no mesmo ano. “Esse tipo de decisão deveria caber ao mundo da política. Não tem nada mais importante para um sistema político que partidos fiéis a seus programas”, disse Siqueira. Procurado pela reportagem, o TSE não se manifestou sobre as críticas. O presidente do Cidadania, Roberto Freire, destoa dos outros caciques partidários a respeito dos movimentos de renovação. Na expectativa de atrair novas lideranças, conduziu uma mudança no estatuto da sigla que, desde 2019, passou a ouvir a opinião desses grupos. Uma das mudanças práticas foi que o partido definiu não mais adotar o chamado “fechamento de questão” em votações no Congresso – quando a legenda determina como todos os seus representantes devem votar. A medida, segundo Freire, é uma forma de não constranger parlamentares que vêm desses movimentos e que possam ter posição diferente da do partido. “A realidade se impõe”, afirmou o presidente do Cidadania. “Não adianta imaginar que você vai manter partidos numa mesma estrutura antiga.” Crise Para o cientista político Rodrigo Prando, as decisões do TSE abrem um precedente para novos pedidos de desfiliação diante de divergências entre políticos e suas legendas. “É mais um sinal de que efetivamente o modelo de representação política na nossa democracia e os partidos estão em crise. Os partidos são estruturas ainda presas ao século 19 e esses movimentos de renovação têm uma estrutura mais fluida e menos vertical que os partidos.” Nos movimentos de renovação, o clima é de vitória. “Não vemos a decisão como enfraquecimento dos partidos, mas como um chamado para que eles se olhem no espelho. Para resolver a crise de representação, os partidos precisarão mudar”, disse José Frederico, do Acredito. Leandro Machado, do Agora, tem uma avaliação semelhante. “É um recado aos caciques centenários que acham que os partidos são deles e não da sociedade.” Ainda sem definir para qual legenda vai após sair do PDT, Tabata comemorou a decisão e a definiu como um recado à “velha política”. “É uma demonstração de que o caminho da boa política compensa, e que não vamos mais tolerar que a política seja pautada por interesses pessoais”, disse a deputada. Estadão Conteúdo

quarta-feira, 26 de maio de 2021

GESTÃO DR LUCAS NÃO PARA--Secretário de Trânsito e Mobilidade Urbana, Carlos Braz, recebeu engenheiros do DNIT, na pauta a construção de duas passarelas na BR 070 e um viaduto na entrada do Jardim Brasília

O prefeito de Águas Lindas de Goiás Dr Lucas tem se empenhando na busca de recursos, investimentos e grandes obras para a cidade é o UM NOVO TEMPO que chegou e já mostra a diferença e a cada dia a cidade vai se tornando a melhor cidade do Entorno e uma das melhores cidades do Estado de Goiás. Neste sentido o Secretário de Trânsito e Mobilidade Urbana, Carlos Braz, recebeu nesta quarta-feira (26), os engenheiros do DNIT-Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes, Hernandes de Souza Lopes, Vinícius Nogueira Fróes, André Bezerra Rodovalho o assunto em pauta foi a construção de mais duas passarelas na BR 070, sendo uma na altura do Águas Lindas Shopping e Atacadão DIA a DIA e outra na entrada do Pérola e a instalação de escadas nas passarelas já existentes. O Secretário Carlos Braz juntamente com os engenheiros informou que estão fazendo a analise para já dar início aos estudos de elaboração do projeto para a construção de um viaduto na entrada do Jardim Brasília no intuito de desafogar o trânsito que já é caótico e na melhoria da mobilidade para um futuro próximo.

A Convite do vereador James Farias os deputados federal Delegado Valdir e estadual Talles Barreto estiveram em Águas Lindas de Goiás nesta quarta feira

VEREADOR JAMES FARIAS | UM MANDATO POPULAR O vereador James Farias recepcionou na manhã desta quarta -feira(26), os deputados, federal Delegado Valdir e estadual Talles Barreto. O Deputado Estadual Talles Barreto do PSDB, veio mais uma vez à nossa cidade trazendo mais recursos para serem investidos aqui. O deputado que é um parceiro de primeira hora da nossa cidade já havia destinado recursos para a saúde, agora vem mais uma vez acompanhando o Deputado Federal Delegado Valdir que veio conhecer a nossa cidade e também trazer recursos para investir na saúde da nossa cidade. "Meu mandato sempre estará a disposição da nossa população buscando recursos para melhorar a qualidade de vida da nossa população." Disse o verador James Farias.

Novo capítulo-- PEC da extinção do TCM começa a tramitar na CCJ e Talles Barreto, que é contrário ao fechamento do Tribunal, será o relator

Por Luiza Lopes
Talles, como deputado municipalista, afirma saber da importância do órgão fiscalizando as contas dos municípios e na orientação aos gestões municipais para evitar equívocos Em tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tem como objetivo extinguir o Tribunal de Contas do Município (TCM), de iniciativa do deputado estadual Henrique Arantes (MDB), começou a tramitar nesta terça-feira, 25, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. O deputado Talles Barreto (PSDB) foi escolhido relator da PEC, apresentada na Alego no final do mês de abril, com 26 assinaturas. Talles já se posicionou contra o fechamento do TCM. Segundo ele, como deputado municipalista, sabe da importância do órgão fiscalizando as contas dos municípios e na orientação aos gestões municipais para evitar equívocos. “Seria incoerência minha se fosse favorável [a PEC]. Estou sempre lá, levando prefeitos, corrigindo erros e aprendendo os caminhos da legalidade e da transparência. O TCM cumpre um papel muito importante e é fundamental para os 246 municípios goianos. Nos bastidores, a informação é de que parte dos parlamentares planeja indicar o deputado Humberto Aidar (MDB), presidente da CCJ, para a próxima vaga. Dos conselheiros, o único que poderia se aposentar é Nilo Sérgio de Resende Neto, por lei. O conselheiro requereu sua aposentadoria no dia 12 de maio e abriu vaga para uma indicação da Assembleia no tribunal. Ernesto Roller, secretário de Governo, também é cotado para substitui-lo. Fonte: https://www.jornalopcao.com.br/

Secretário Cristiano Rodrigues--1º Fórum Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico de Agricultura Industria e Comércio

1º Fórum de Intermunicipal de Desenvolvimento Economico de Agricultura Industria e Comércio----PREFEITO DR LUCAS
A sede da Câmara Municipal foi palco de mais um grande evento realizado na cidade. Desta vez a prefeitura municipal de Águas Lindas de Goiás através da Secretaria de Desenvolvimento Economico e Agricultura, na pessoa do Secretario Cristiano Rodrigues, apoiou o primeiro Fórum da Agricultura entre os municípios de Águas Lindas, Santo Antônio, Cocalzinho e Padre Bernardo o evento foi idealizado pela Comissão de Agricultura da Câmara municipal de Vereadores do nosso município de Águas Lindas é uma iniciativa bastante importante para todos os agricultores e comerciantes destes municípios para fomentar serviços e impulsionar a economia de todas as cidades envolvidas. O fórum tem o objetivo da troca de experiências e conhecer as políticas desenvolvidas de cada Município. Parabéns a comissão de Agricultura da Câmara Municipal e ao Doutor Lucas Prefeito que tem apoiado todas as ações para o fortalecimento da Agricultura Familiar.
comissão de Agricultura da Câmara Municipal e participantes do Fórum
Governo Municipal não Para. É um novo tempo é a Secretaria trabalhando para você!

Secretário Municipal de Transito e Mobilidade Urbana de Águas Lindas de Goiás, Carlos Braz, se reúne com Mototaxistas

O Secretário de Transito e Mobilidade Urbana de Águas Lindas de Goiás, Carlos Bras, se reuniu nesta terça-feira com os representantes dos pontos de mototaxistas da cidade, onde trataram de um pauta extensa porém produtiva. A categoria de mototaxixstas vem prestando um trabalho relevante na cidade e na gestão do prefeito Dr Lucas vem recebendo reconhecimento e um tratamento diferenciado. Na reunião foi tratado sobre a emissão dos alvaras do ano de 2021 para que os mototaxistas possam exercerem suas atividades, a regularização de fato da categoria, melhorias de ambito geral da mesma, e orientação para que os mesmos possam adquirir(comprar) seus veículos com a isenção do IPI. Durante e após a reunião os mototaxistas externando alegria afirmaram que essa é a primeira vez que um secretário de transportes, transito e mobilidade se reune com a categoria e define de fato questões importantissimas para a categoria.

terça-feira, 25 de maio de 2021

Homem morre em troca de tiros com a Polícia Militar em Águas Lindas

Por: Samuel Sales
Um homem morreu no ultimo fim de semana após trocar tiros com policiais militares no bairro Vila Esperança, em Águas Lindas de Goiás. Um comparsa que estava no local conseguiu fugir. Um homem morreu no ultimo fim de semana após trocar tiros com policiais militares no bairro Vila Esperança, em Águas Lindas de Goiás. Um comparsa que estava no local conseguiu fugir. Segundo a Polícia Militar, a equipe brava do Comando de Policiamento Especializado (CPE) de Águas Lindas de Goiás recebeu informações de populares de que no bairro Vila Esperança foram ouvidos disparos de arma de fogo. Próximo ao local indicado, a equipe conseguiu efetuar a abordagem de um indivíduo na frente de uma residência. Assim que a polícia entrou na residência, um suspeito fugiu, pulando os muros das casas vizinhas, e um terceiro escondeu-se no interior da residência, efetuando disparos contra a equipe. A polícia revidou os disparos e conseguiu alvejá-lo. De imediato foi prestado o socorro pela equipe que encaminhou o indivíduo ainda com vida para o Hospital Bom Jesus. Entretanto, ele não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. Durante a ocorrência foi apreendida uma arma de fogo e aproximadamente um quilo de maconha, além de uma balança de precisão. Fonte: https://aguaslindasnews.com.br/

segunda-feira, 24 de maio de 2021

Luis de Aquino, um nome que pode ser consenço para deputado estadual

O nome de Luis de Aquino vem se tornando aceitável pela maioria das pessoas consultadas quando o assunto é eleição para deputado estadual. A permanecer desta forma Luis de Aquino pode se destacar dos demais pré candidatos que também já estão articulando seus nomes. Águas Lindas de Goiás tem condições de eleger até dois deputados estaduais e um deputado federal e se houver uma unidade entre os politicos da cidade pode-se lançar o minimo de candidatos a deputado estadual para que não se divida os votos e corra o risco de não eleger nenhum. As estratégeas já estão sendo estudas pelos lideres partidários e com certeza a movimentação de partidos na busca de bons nomes para concorrerem já está na ativa.

domingo, 23 de maio de 2021

Vereador James Farias---PROPOSTA--Geração de Empregos é um de nossas bandeiras

O vereador James Farias é um dos mais atuantes na Câmara Municipal de Águas Lindas de Goiás e vem constantemente trabalhando para que a cidade tenha um devida atenção e que sua populaçã oseja atendida nas suas principais demandas, e nesse sentido, uma das bandeiras do vereador é a geração de empregos. James Farias tem conversado com o prefeito Dr Lucas e com deputados federais e estaduais, empresários e comerciantes na busca de implantar empregos na cidade. Águas Lindas de Goiás é uma das cidades do Entorno que tem o maior número de desempregados da região e o vereador James Farias está embuido em fazer com que esse número de desempregados diminua.

O xadrez da política-- DEM, MDB e Republicanos podem figurar na chapa de Ronaldo Caiado

Daniel Vilela e Ronaldo Caiado | Foto: Divulgação
O governador pode fortalecer as chapas para deputado estadual e federal dos partidos que ficarem fora da chapa majoritária Quem disser que as chapas majoritárias de todos os grupos políticos serão fechadas já em 2021 certamente errarão nos prognósticos. A tendência é que as discussões sejam iniciadas e fortalecidas em 2021, mas as decisões devem ficar para abril, maio ou junho de 2022. Neste momento, fala-se em três chapas para o governo. Primeiro, a do governador Ronaldo Caiado, do partido Democratas. Segundo, a do MDB, com Daniel Vilela ou Gustavo Mendanha. A terceira, a do Patriota, com Jânio Darrot, que planeja uma aliança com o PSDB do ex-governador Marconi Perillo. Há também a possibilidade de o tucano-chefe disputar o governo. João Campos: deputado federal pelo Republicanos | Foto: Jornal Opção
Na verdade, todos — exceto Ronaldo Caiado, que está definido como candidato — estão colocando seus nomes com o objetivo de se mostrarem tanto para a população quanto, sobretudo, para as lideranças políticas. O objetivo, no fundo, é buscar, ao apresentar seus nomes, alianças. Como se sabe, só são chamados para a mesa de negociação aqueles políticos que estão expostos, que se posicionam como possíveis postulantes. Experts políticos sugerem que Ronaldo Caiado pode operar uma chapa majoritária com a participação do Democratas, do MDB e do Republicanos. A chapa poderia ser assim: Ronaldo Caiado para governador, Daniel Vilela (ou Gustavo Mendanha) para vice e João Campos para senador. Uma segunda hipótese: Ronaldo Caiado para governador, João Campos para vice e Daniel Vilela para senador. Uma terceira hipótese: Ronaldo Caiado para governador, Daniel Vilela (ou Gustavo Mendanha) para vice e Henrique Meirelles para senador. Fala-se também que Iris Rezende, mesmo falando em “aposentadoria”, pode figurar na chapa. O nome do deputado Lissauer Vieira também tem sido apontado para vice. Henrique Meirelles: cotado para o Senado | Foto: Reprodução
Chega-se a comentar que Ronaldo Caiado pode até mesmo rearticular uma aproximação entre Daniel Vilela e o Republicanos do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, e do deputado federal João Campos. As peças do xadrez ainda não estão no tabuleiro — estão ao lado. Os estrategistas estão planejamento como jogar. Mestre da política, Ronaldo Caiado está dialogando, ouvindo mais do que falando, mas uma coisa é certa: quer o MDB ao seu lado. Entretanto, se não for possível, irá com outra composição, atraindo outros jogadores para a disputa. Ele já é muito forte. Quer o MDB na chapa para ficar ainda mais forte.
Lissauer Vieira: cotado para a vice de Ronaldo Caiado | Foto: Divulgação No caso de se fechar uma chapa com DEM, MDB e Republicanos, o que farão os demais partidos da base aliada? Uma boa saída pode ser Ronaldo Caiado fortalecer suas chapas de candidatos a deputado estadual e federal. Fonte: https://www.jornalopcao.com.br/

Véspera de votação-- Não há tempo para implantação de votos impressos até 2022, diz TSE

Por Italo Wolff Urna eletrônica | Foto: EBC/ Divulgação
Licitações burocráticas são necessárias para implementar de meio milhão de novas urnas, desenvolver softwares para as máquinas, armazená-las, transportá-las e treinar pessoal técnico Em resposta a questionamentos da Folha de S.Paulo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sinalizou que a eleição de 2022 não terá voto impresso mesmo se o Congresso aprovar a medida. O tribunal afirmou que a adoção do voto impresso depende de licitações que não têm tempo hábil para acontecer. “A licitação é pautada por rígidos trâmites administrativos e burocráticos, sem prazo de duração, tendo em vista o tempo necessário para as especificações técnicas e a margem de imprevisibilidade decorrente dos procedimentos de qualificação e dos eventuais recursos administrativos e judiciais”, afirmou o Tribunal em nota. O órgão completou: “o sistema de urnas eletrônicas é confiável e auditável em todos seus passos.” A demanda brasileira é de mais de 500 mil urnas. Para implementar a medida, é necessário ainda testes, desenvolvimento do software para as máquinas, armazenamento e custódia, transporte e treinamento. “A implantação do voto impresso envolve um procedimento demorado, embora não seja possível, neste momento, estimar sua duração”, lê-se em nota do TSE. Contexto político O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus aliados já afirmaram em diversas ocasiões que eleições sem votos impressos não serão respeitadas. “Se o Brasil não tiver voto impresso em 2022, vamos ter um problema pior que os EUA”, afirmou o presidente em live de janeiro, na ocasião da invasão do capitólio americano. Fonte: https://www.jornalopcao.com.br/

ELEIÇÕES 2022-- Pré-candidatos ao Planalto em 2022 entram em clima de campanha eleitoral

Por Jorge Vasconcellos Foto:(crédito: Evaristo Sá/AFP - 5/5/20)
Brasileiros só vão às urnas para escolher o próximo ocupante do Palácio do Planalto em outubro do ano que vem, mas a movimentação de pré-candidatos está a todo vapor. Bolsonaro e Lula polarizam o embate antecipado A pouco mais de um ano da corrida presidencial de 2022, o clima de campanha eleitoral já domina o país, com intensa movimentação de pré-candidatos e das forças políticas que vão participar do pleito. Mesmo com muito chão pela frente, a largada foi dada antes do apito oficial, e resta saber quem terá a energia necessária para cruzar a linha de chegada na frente. Em nenhum outro momento, desde os primórdios da redemocratização, a disputa rumo ao Planalto começou tão cedo. O presidente Jair Bolsonaro e seus principais adversários aprofundam o debate eleitoral, enquanto o cenário para 2022 fica cada vez mais definido. O chefe do Executivo enfrenta o momento mais difícil do seu mandato, com o início das investigações da CPI da Covid do Senado coincidindo com os piores índices de popularidade até agora. Focado no projeto de reeleição desde que tomou posse, o capitão reformado tem pela frente uma batalha difícil, com os adversários explorando fortemente as falhas do governo durante a pandemia. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que teve condenações anuladas e os direitos políticos restabelecidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), intensifica as conversas com forças de centro, em busca de alianças eleitorais. Os interlocures incluem até adversários históricos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ). Lula também tem feito uma ação diplomática paralela, em contato com embaixadores e lideranças mundiais, explorando as deficiências da política externa do atual governo. Em uma situação de crescente isolamento internacional, o Brasil não tem conseguido receber da China e da Índia os insumos necessários para a produção de vacinas contra o novo coronavírus. A questão dos imunizantes foi a principal pauta tratada pelo petista com os interlocutores estrangeiros. Em outra frente, rompido com Lula, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) disputa com o petista possíveis alianças com forças de centro. Também já começou a organizar a estrutura com a qual pretende concorrer no ano que vem. Dela faz parte a consultoria do publicitário João Santana, que foi o marqueteiro das campanhas presidenciais de Lula, em 2006, e de Dilma Rousseff (PT), em 2010 e 2014, e condenado na Operação Lava-Jato. No PSDB, a movimentação também é intensa. Os tucanos deram a largada no processo que vai definir o candidato do partido na próxima eleição presidencial. Por pressões de João Doria, uma prévia para a escolha do nome foi marcada para 17 de outubro, embora parte da legenda defenda que isso só deva ocorrer no ano que vem. Além de Doria, estão no páreo o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; o ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio e o senador Tasso Jereissati (CE). Este último tem tido grande projeção por ser um dos 11 titulares da CPI da Covid. A antecipação do debate eleitoral começou logo depois de Bolsonaro receber a faixa presidencial. Ainda no início de 2019, ele deixou claro que concorreria a um novo mandato e trouxe para o governo a polarização com as forças de esquerda que marcou a campanha vitoriosa do ano anterior. Essa movimentação levou outros personagens a também anteciparem seus projetos eleitorais, o que provocou o rompimento do presidente com antigos aliados, como Doria e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. A disputa política ficou ainda mais acirrada após o início da pandemia da covid-19, com a escalada de ataques de Bolsonaro contra governadores e prefeitos que seguem as recomendações científicas para conter o avanço do novo coronavírus. Análises Pioneiro do marketing político brasileiro, cientista político e especialista em comportamento eleitoral, Antônio Lavareda disse que a antecipação de campanha eleitoral é sempre negativa para os governantes, pois gera desconfianças nos eleitores. Por outro lado, na sua visão, o fenômeno é positivo para a sociedade, que têm mais tempo para avaliar os perfis dos concorrentes. “A estratégica básica dos governantes é tentar restringir ao máximo a campanha para o ano da eleição e, mais ainda, para o segundo semestre do ano eleitoral. Quando procurados pela imprensa, se você for pesquisar as declarações de governantes, sejam governadores, prefeitos ou presidente, no ano anterior à eleição, você vai ver geralmente eles dizendo que 'Esse é o momento de trabalhar, esse é o momento de governar; eleição nós discutiremos adiante', ou seja, no segundo semestre do ano eleitoral”, disse Lavareda. O cientista político observa que, por outro lado, Bolsonaro adotou a “estratégia equivocada” de, desde a posse como presidente, de misturar o exercício do mandato com o projeto de reeleição. “Bolsonaro fez isso, provavelmente, porque ele conseguiu se eleger em 2018 por conta de uma campanha longa, que ele iniciou em 2015. Então ele quis se mirar também um pouco no evento do (ex-presidente dos Estados Unidos Donald) Trump e transformar o governo dele, a presidência dele, na cadeira presidencial, como uma campanha permanente. Ao que parece, isso tem sido uma estratégia equivocada, com consequências negativas”, disse o cientista político. O analista acrescenta que, “do ponto de vista psicológico, é como se o presidente encurtasse o mandato dele, porque quando ele coloca a questão da reeleição ele eleitoraliza todas ações do seu mandato, trazendo desconfiança aos eleitores, além de acabar legitimando os seus adversários”. Quanto aos pré-candidatos de centro, o cientista político considera que eles deveriam se expor mais na mídia, principalmente pelo fato de terem assinado um manifesto. Ele se refere a um documento em defesa da democracia, divulgado em abril por João Doria (PSDB), Eduardo Leite (PSDB), Ciro Gomes (PDT), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), o apresentador Luciano Huck e o empresário João Amoêdo (Novo). O texto traz críticas às repetidas ameaças de Bolsonaro à estabilidade democrática. “A minha posição, já a expressei publicamente, é que, por exemplo, esses pré-candidatos do chamado centro deviam se expor à mídia. A mídia deveria convidá-los para debates entre eles. Eles já assinaram um manifesto. Por que a mídia não os chama para um debate, pela internet? Mas um debate mesmo. Não há nenhum impedimento legal para isso”, sugeriu Antônio Lavareda. Para o cientista político André Pereira César, da Hold Assessoria Legislativa, Bolsonaro “está pagando o preço pela opção que fez de não descer do palanque” após vencer as eleições de 2018. “Quem antecipou toda essa discussão eleitoral foi o Bolsonaro, lá atrás, ainda em 2018, muito antes da pandemia. Nessa época os atores políticos ainda estavam estudando o terreno, tentando entender o novo governo. E quando o presidente fez isso, os adversários foram levados a se colocar, porque política não comporta vácuo”, disse. De acordo com o especialista, com Lula, Doria e outros possíveis candidatos em 2022, Bolsonaro vai encontrar um time bem mais forte do que enfrentou em 2018. “Não só é um grupo mais pesado, como é também um time que, hoje, entende mais o jogo. Primeiro, todo mundo agora conhece Bolsonaro. O presidente não é mais novidade, e se mostrou fraco na gestão, ele é um péssimo gestor público, um péssimo homem de relacionamento com quem importa nas elites políticas e econômicas. Além disso, quem perdeu a eleição de 2018, como Ciro Gomes, não vai repetir os erros e deve fazer uma campanha muito diferente”, disse o cientista político. “Quem antecipou toda essa discussão eleitoral foi o Bolsonaro, lá atrás, ainda em 2018, muito antes da pandemia. Nessa época os atores políticos ainda estavam estudando o terreno, tentando entender o novo governo" André Pereira César, cientista político Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/

sexta-feira, 21 de maio de 2021

Em Águas Lindas de Goiás Governo Municipal vem se destacando na Vacinação contra o Covid-19.

Com a fase de vacinação dos profissionais da Educação, a Cidade de Águas Lindas de Goiás vem se destacando isso por que é a primeira Cidade do Entorno a iniciar a Imunização dos Profissionais da Educação contra a Covid-19. De acordo com o Enfermeiro Euder Vieira, responsável pela Vigilância em Saúde do Município, eles estão cumprindo uma determinação do Prefeito Dr. Lucas através do Secretário Municipal de Saúde Dr. Rui Ferreira Borges. O Prefeito deixou bem claro a sua visão em relação a educação de nossas Crianças. Além da preocupação com a Saúde dos Profissionais ele também entende que será de suma importância a volta as aulas pois é na Educação que se encontra o futura de nossas Crianças declara Euder Vieira Temos consciência da nossa Responsabilide com a a Saúde dos Profissionais mais também sabemos da importância da volta as aulas, e a partir do momento em que imunizar toda a classe da educação, iniciaremos os planos de voltar as aulas. Ressalto que nessa primeira etapa, estão sendo vacinados os profissionais do Ensino Fundamental das escolas Municipais porém, já na já estamos planejando a imunização dos profissionai s da rede Estadual e Privada do nosso município dentro desses 10 dias seguintes. Hoje o município ja conta com mais de 25 mil doses aplicadas e é a segunda cudade do entorno em numero se doses aplicadas. Governo Municipal e Secretaria de Saúde trabalhando a favor da população!

CRIAÇÃO DO NOVO ESTADO DO TAPAJÓS NA AMAZÔNIA É INEVITÁVEL. O BRASIL INTEIRO QUER SE DIVIDIR

Por RAY CUNHA RAY CUNHA raycunha@gmail.com
Quase 100% dos 2 milhões de moradores dos 23 municípios que integram o futuro estado do Tapajós, no Pará, tem a esperança de que a vigésima oitava unidade da federação seja criada até o fim de 2022. O povo tapajônico vem se empenhando na criação do estado do Tapajós há 197 anos, desde a promulgação da primeira Constituição do Brasil, em 1824, quando foi feito o primeiro registro da criação de uma província na região, abrangendo, então, os municípios de Santarém e Óbidos, no Pará, e Parintins, no Amazonas. Em 11 de dezembro de 2011, foi realizado um plebiscito em todo o Pará para decidir a divisão do estado em três. A maioria dos eleitores decidiu pela não emancipação das regiões sudeste, novo estado de Carajás, e oeste, novo estado do Tapajós. Porém 96%, mais de 1,2 milhão tapajônicos votaram pela criação do estado do Tapajós. Aí é que está o nó da questão. A Constituição prevê que, nesse caso, a região pode se emancipar, sim. Ação no Supremo Tribunal Federal (STF), de autoria do constitucionalista e tributarista Marcos Pereira Pimenta Rocha, pleiteia justamente isso, com base em cláusula pétrea da Constituição, que, no seu Artigo 18, diz: “A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição”. Inciso Terceiro: “Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar”. Assim, o Inciso Terceiro do Artigo 18 da Constituição Federal reza que somente as “populações diretamente interessadas” decidam sobre a criação do seu Estado, o que, no caso do Tapajós, já foi realizado um plebiscito, com quase 100% da “população diretamente interessada” pleiteando a criação do novo estado, pois se sente prejudicada pela ausência do governo do atual estado do Pará, que adora receber impostos dos tapajônicos, mas vira as costas para eles, tão distantes da capital, em um estado maior, territorialmente, do que muitos países. É cristalino como as águas do rio Tapajós: a Constituição reza que apenas a população da região desmembrada é a diretamente interessada, pois é ela, e somente ela, quem pleiteia poderes derivados-decorrentes da Constituição Federal para constituir uma nova unidade federativa. “O ente remanescente não, pois ele, em vez de seu desmembramento, pleiteia pelo malogro (o que parece evidente, pois os Estados, de regra, não querem sofrer qualquer perda territorial)” – esclarece Marcos Pereira Pimenta Rocha. Os tapajônicos sentem-se como os amapaenses antes de 1943, quando foi criado o Território Federal do Amapá, desmembrado do Pará. Os moradores da região seriam hoje tribos meio brasileiras, meio francesas, pois procurariam trabalho na colônia francesa da Guiana, e Macapá, a capital, seria provavelmente uma cidade ribeirinha como as do vizinho arquipélago do Marajó, uma das regiões mais atrasadas (e belas) do Pará, no quintal de Belém. De iminente criação, o Tapajós terá mais da metade da área do atual estado do Pará, 728 mil quilômetros quadrados, 23 municípios, sendo o município-sede Santarém, e cerca de 2 milhões de habitantes, com Produto Interno Bruto (PIB) de 18 bilhões de reais. O novo estado terá 8 deputados federais e 24 estaduais, além de 3 senadores. Além da ação que tramita no Supremo, o Instituto Cidadão Pró-Estado do Tapajós (Icpet), criado em 2004 e atualmente presidido por Jean Carlos Leitão, trabalha em três projetos de emenda constitucional pela criação do Tapajós, levando em consideração a vontade de quase 100% dos tapajônicos de constituírem o novo estado. Os 23 municípios que comporão o Tapajós são: Alenquer, Almeirim, Aveiro, Belterra, Brasil Novo, Curuá, Faro, Itaituba, Jacareacanga, Juruti, Medicilândia, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Novo Progresso, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Rurópolis, Santarém, Terra Santa, Uruará e Trairão. Os colonos portugueses dividiram o Brasil em dois: o Brasil, abarcando as regiões Sudeste, Nordeste menos o Maranhão, Sul e Centro-Oeste; e Grão Pará, abrangendo a Amazônia Clássica e o Maranhão. O Grão Pará, por sua vez, foi dividido em Pará, Amazonas e Maranhão, e o Pará, em Pará e Território Federal do Amapá, hoje, estado do Amapá. É sua vocação ser dividido, porque é muito grande, e Belém está se lixando para o desenvolvimento das regiões mais distantes da capital. O governador do Pará não dá conta nem do quintal dele, quanto mais de uma área de 1.247.689,515 quilômetros quadrados, maior do que Angola, dividido em 144 municípios, entre os quais Altamira, com 159.695,938 quilômetros quadrados, o maior município do Brasil e o segundo do mundo, menor apenas do que o gelado Qaasuitsup, município gronelandês, ou seja, da ilha dinamarquesa da Groelândia, na América do Norte, criado em 1 de janeiro de 2009. Se Altamira fosse um país, seria o nonagésimo primeiro mais extenso do mundo, maior do que a Grécia ou o Nepal. Se fosse um estado brasileiro, seria o décimo sexto, maior do que o Acre ou o Ceará. E em Altamira vige a lei da bala. Para o governo do Pará a divisão territorial do estado não é negócio, é claro, pois do jeito que está dispõem de um mundo de matérias-primas para exportar e mais impostos. Os caboclos, os ribeirinhos e os índios aculturados que se explodam. Imagino se os governadores do Pará fossem obrigados por lei a viver pelo menos um mês na região mais inóspita do estado, antes de tomar posse, assim como se o governador do Distrito Federal fosse obrigado a andar de ônibus em toda a cidade-estado durante também um mês e o presidente da República a passar uma semana em cada uma das quatro regiões mais miseráveis do país, entre as quais o interior do Pará, campeão em escravidão. Argumenta-se, em contrário à divisão do Pará, que os dois novos estados, do Tapajós e de Carajás, consumiriam, na sua criação, dezenas de bilhões de reais. Sobre esse quesito, analiso a questão com o mesmo ponto de vista que tenho sobre a Copa do Mundo de 2014. O dinheiro que se investiu, e desviou, naquele Mundial, poderia, por exemplo, pôr a saúde pública nos trilhos. Na verdade, dinheiro não é problema. O Brasil tem condições de fazer uma Copa do Mundo por ano. O problema é a recente sangria pela qual o país passou, com desvio de trilhões de reais, principalmente da Petrobras, a maior empresa do país, e que quase faliu, e até do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para se ter uma ideia, durante o governo petista uma vaga, digamos, de tirador de cópias xerox, podia ser ocupada por dezenas de pessoas, com salário de 12 mil reais. O presidente Jair Bolsonaro já podou centenas de milhares de vagas desse cabide ainda viçoso, mas com raízes em um pântano bem aparelhado. Voltando ao plebiscito em 11 de dezembro de 2011, sobre a divisão do Pará em três – Pará, Tapajós e Carajás –, o Pará seria reduzido em mais de cinco vezes seu território. O estado de Carajás é a região mais rica em minérios, e Tapajós, a parte mais rica em matéria-prima biotecnológica e água potável. Quando foi aprovado o plebiscito, surgiu a dúvida se seria realizado somente nas regiões de Carajás e Tapajós ou em todo o Pará, devido a questionamento sobre a constitucionalidade da Lei 9.709, de 1998. O Supremo acabou enveredando por um caminho inconstitucional: definiu que todos os eleitores do estado deveriam votar no plebiscito. Resultado: na capital, Belém, o não à criação do estado do Tapajós chegou a 93,88% dos votos e o não à criação do estado de Carajás foi de 94,87%. Já nas possíveis capitais dos novos estados, Santarém e Marabá, o apoio à divisão do Pará foi maciço. Em Santarém, 97,78% dos eleitores que compareceram às urnas votaram a favor da criação de Carajás e 98,63% a favor da criação do Tapajós. Em Marabá, 93,26% dos votos foram favoráveis à criação de Carajás e 92,93% a favor da criação do Tapajós. Tapajós será o terceiro maior estado brasileiro em área territorial, superado apenas por Amazonas e Mato Grosso. Nasce com cerca de 2 milhões de habitantes, 20% da população do atual estado do Pará. A região recebe energia elétrica firme da Usina Hidrelétrica de Tucuruí e da Hidrelétrica Curuá-Una. Sua capital, Santarém, tem cerca de 306.480 habitantes e seu Produto Interno Bruto (PIB) é de 4,8 bilhões de reais. Fundada em 22 de junho de 1661 pelo padre João Felipe Bettendorff, sob o nome de Aldeia dos Tapajós, foi elevada à categoria de vila em 14 de março de 1758, e de cidade, em 24 de outubro de 1848, recebendo então o nome de Santarém, homenagem dos colonizadores lusos à cidade portuguesa homônima. Também é uma espécie de uva; ainda, deriva de Santa Irene, mártir cristã de Portugal Visigodo. Situada no Baixo Amazonas, na margem direita do rio Tapajós, que deságua no rio Amazonas na frente da cidade, Santarém fica a meio caminho de Belém e de Manaus/AM. Sua área territorial tem 22.887,080 quilômetros quadrados, 97 quilômetros quadrados dos quais em perímetro urbano. Conta com 12 instituições de ensino superior, a maior delas a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). É linda. Os poetas a chamam de Pérola do Tapajós. O rio Tapajós, que a banha, tem águas cristalinas e seus mais de 100 quilômetros de praias lembram o mar, caso de Alter do Chão, conhecido como Caribe Brasileiro, escolhido pelo jornal inglês The Guardian como uma das praias mais bonitas do Brasil e a praia de água doce mais bonita do mundo. Ocorre lá uma das maiores manifestações folclóricas da região, o Çairé, que atrai turistas de todo o mundo. Seu Aeroporto Internacional Maestro Wilson Fonseca é o quinto mais movimentado da Amazônia, recebendo anualmente 400 mil passageiros. A Rodovia Santarém-Cuiabá, a BR-163, tem 1,7 mil quilômetros, constituindo-se na principal rota da soja, milho e algodão produzidos no Centro-Oeste e exportados via Porto de Santarém. Conta ainda com seis estradas estaduais, em um total de 253 quilômetros. O Porto de Santarém movimenta mais de 517 milhões de dólares em transações internacionais por ano. É um dos principais da Amazônia em embarque de grãos. Está em andamento o Ferrogrão, projeto do governo federal de uma estrada férrea de 933 quilômetros, ligando Sinop, no Mato Grosso, ao Porto de Miritituba, em Itaituba, no rio Tapajós, para exportação de grãos do Centro-Oeste, mas o STF está travando o importante projeto. No dia 15 de março passado, o ministro do STF Alexandre de Moraes atendeu a pedido de liminar do Psol e suspendeu o Ferrogrão, porque a ferrovia deverá passar por uma floresta protegida, o Parque Nacional do Jamanxim, no Pará, e por um pedaço de terras indígenas. Só que a ferrovia será instalada a poucos metros do traçado da BR-163, ou seja, na faixa de domínio de 50 metros na lateral da estrada, de modo que não há invasão de unidade de conservação federal, já que a área foi desapropriada. Voltando à questão da criação de novos estados, não é coisa só da Amazônia. Em outras regiões do país também querem novos ares políticos. No Congresso Nacional tramitam pelo menos 18 propostas de criação de estados e três de territórios federais. O argumento básico é reduzir desigualdades socioeconômicas e favorecer o desenvolvimento das regiões menos assistidas pelo Poder Público, seguindo o exemplo bem sucedido do estado do Tocantins, que antes de sua criação era um cerrado de Goiás. Os projetos de novos estados são: Estado do Planalto Central, formado de partes de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal; Estado do Entorno, formado de partes de Goiás e Minas Gerais; Estado do Itiquira, desmembrado de Goiás; Estado do Juruá, desmembrado do Amazonas, abrangendo as cidades amazonenses nos limites com o Acre; Estado de Solimões, desmembrado do Amazonas, abrangendo as áreas fronteiriças ao Peru e Colômbia; Estado do Araguaia, desmembrado do nordeste do Mato Grosso; Estado do Mato Grosso do Norte, desmembrado do Mato Grosso; Estado do Pantanal, desmembrado do Mato Grosso; Estado de São Paulo do Sul, desmembrado de São Paulo; Estado do Iguaçu, desmembrado dos estados do Paraná e Santa Catarina, com o mesmo território do extinto Território Federal do Iguaçu, criado em 1943 pelo então presidente Getúlio Vargas e extinto em 1946; Estado do Rio São Francisco, desmembrado da Bahia; Estado de Gurgueia, desmembrado do Piauí; Estado Maranhão do Sul, desmembrado do Maranhão; e Estado do Triângulo, desmembrado de Minas Gerais. Os Territórios Federais são os seguintes: Marajó, no Pará; Alto Rio Negro, região conhecida como Cabeça do Cachorro, no noroeste do Amazonas; e Oiapoque, no Amapá. Fonte: http://blogdocafezinho.com.br/

Águas Lindas de Goiás-SECRETARIA MUNICIPAL DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E AGRICULTURA-- Programa de apoio a agricultura familiar

O Governo Municipal esteve na manhã desta quinta-feira (20), em visita à Associação dos Artesãos de Águas Lindas, que realiza há cerca de 25 anos um trabalho importantíssimo não somente na área da arte como também no apoio a produtores rurais da região. Estiveram presentes o Prefeito, Lucas Antonietti, o Secretário de Economia, Cristiano Rodrigues, membros da associação, produtores e moradores da região. A instituição hoje trabalha com o Programa de Aquisição de Alimentos, o (PPA), programa este em parceria com o município, o Governo do Estado e o Governo Federal, que proporciona o fortalecimento do produtor rural. O produtor, produz em sua propriedade e entrega a produção nas associações cadastradas pela OVG (Organização das Voluntárias de Goiás) A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás, através da Secretaria de Economia tem dado o suporte necessário aos produtores com apoio logístico e em treinamentos. A associação conta hoje com 186 famílias cadastradas e atende a mais pessoas de diversos bairros. O prefeito Lucas Antonietti, parabenizou à direção e aos produtores, reconhecendo a importância e seriedade do trabalho social da entidade. “ Sabemos do potencial que nós temos na cidade de potencializar o mercado interno, de criar uma agricultura familiar forte e competitiva” disse o prefeito. É o Governo Municipal trabalhando para você Prefeitura de Águas Lindas de Goiás Um novo tempo.
Por Alyson Lemos Fotos Beto Castanheiro

Em Águas Lindas de Goiás--Ex Vice Prefeito Luiz Alberto Jiribita não descarta candidatura a deputado estadual

O ex vice prefeito do municipio de Águas Lindas de Goiás, Luis Alberto, mais conhecido como Jiribita, não descarta a candidatura a deputado estadual. Usando sempre a frase, ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS, AQUI É O NOSSO LUGAR, o fiel escudeiro do prefeito Hildo do Candango, que por dois mandatos pôde mostrar que é possível ter uma convivencia harmonica entre prefeito e vice, coisa que não se via na cidade e Jiribita mostrou lealdade, compromisso e trabalho, colaborou para com o desenvolvimento do municipio. Ao se aproximar a eleição de 2022 e com alguns pré candidatos já nas ruas e avenidas da cidade articulando, Jiribita sabe que seu nome é citado sempre como um provável candidato a deputado estadual e diz que está pronto sim e se Deus quiser tudo dará certo. A cidade de Águas Lindas de Goiás tem a possibilidade de eleger 2 deputados estaduais e quem sabe um deputado federal, a estadual muitos são os pretendentes, porém, se sabe que alguns nomes declinam quando próximo ao prazo dos registro das candidaturas e o número de candidatos diminui. A cada eleição os eleitores tem se preocupado muito na qualidade da escolha dos candidatos, então é sabido que a atenção estará na apresentação das propostas, projetos e ideias a serem apresentadas no legislativo.

quinta-feira, 20 de maio de 2021

Articulações para 2022-- “É totalmente falso”, diz Jorcelino Braga, sobre fusão do Patriota com o PTB

Por Luiza Lopes Foto: Reprodução
A ideia foi levantada na tentativa de criar condições para a filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para disputa da reeleição em 2022 De acordo com presidente estadual do Patriota em Goiás, o empresário e ex-secretário da Fazenda, Jorcelino Braga, diferentemente do que tem sido circulado nos últimos dias na imprensa nacional, não existe possibilidade de fusão da sigla com o PTB. A ideia foi levantada na tentativa de criar condições para a filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para disputa da reeleição. A filiação a um partido é necessária para que o presidente esteja apto a disputar a reeleição em 2022 — de acordo com as regras da Justiça Eleitoral, o prazo máximo é até seis meses antes do pleito. Bolsonaro havia dito anteriormente que decidiria seu futuro partidário até março, o que não aconteceu. Bolsonaro tem recebido propostas de diferentes siglas desde que foi negado o registro da Aliança pelo Brasil. Enquanto isso, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, tenta se colocar como um articulador e se tornar um aliado fundamental de Bolsonaro, a fim de lucrar com a candidatura da família. A legenda que será escolhida, porém, contará com a concordância dos filhos do presidente, que estavam atuando na linha de frente das negociações com o Patriota, que avalia se fundir com o PTB, e com o PMB, que recentemente mudou o nome para Brasil 35. A fusão dos dois partidos irá garantir que a “nova sigla” atinja a cláusula de barreira na tentativa de fechar uma chapa única para disputa eleitoral de 2022, com número de deputados e pré-candidatos dos dois partidos possa dar um volume que gera condição de atingir as novas exigências eleitorais. Jorcelino Braga, que também é secretário nacional do Patriota, nega essa possibilidade. “Não existe isso. Nenhuma possibilidade. Teria que ser uma ação nacional e isso não foi cogitado e nem mesmo ventilado. É totalmente falso”. Goiás O ex-prefeito de Trindade e ex-presidente estadual do PSDB, Jânio Darrot, se filou ao Patriota com intenção de ser candidatado ao governo de Goiás em 2022. Segundo Jorcelino Braga, a sigla tem trabalhado na formação de uma chapa consistente e forte para a disputa. “Nesse momento estamos conversando deputados estaduais e federais sobre candidaturas e alianças políticas. O Jânio só não será candidato ao governo de Goiás pelo Patriota se ele não quiser”, pontuou. Fonte: https://www.jornalopcao.com.br/

ACONTECEU--Sorteio do Campeonato de Futebol Municipal de Águas Lindas de Goiás

Com a presença do Secretário Municipal de Esportes, professor Ulisses e transmitido ao vivo na Rádio Vizinhança FM pela equipe VOZ DO ESPORTE, comandada por Matusalém Sousa e Luiz Carlos, aconteceu na noite desta quinta feira(20), o sorteio do Campeonato Municipal de Futebol. "Nesse próximo domingo (23), iremos dar início ao maior campeonato amador do entorno, e todas as rodadas serão transmitidas e narradas ao vivo. Esporte em ação!" Disse o Secretario de Esportes Professor Ulisses.

quarta-feira, 19 de maio de 2021

Hildo do Candango--Um grande gestor e líder politico que jamais será esquecido

Hildo do Candango segue afinco o seu projeto politico para 2022 e vem recebendo diversas lideranças politicas da cidade assim como também tem recebido empresários, lideranças eclesisaticas, lideranças comunitárias da cidade e também da Região Metropolitana do Distrito Federal
"Hoje estive com com meu grande amigo e líder político Hildo do Candango numa reunião bastante produtiva em seu escritório. Agradeço mais uma vez a recepção amigo Hildo, pelo papo e as palavras de companheirismo. Forte abraço e até breve no projeto! 🚀💥" Disse o Doutor Guilherme quando visitou Hildo do Candago
"Acabo de me encontrar com o empresário e ex-prefeito da nossa cidade, Hildo do Candango. Um bate papo que pudemos discutir assuntos empresariais, sobre a nossa cidade de Águas Lindas e a política da região. Fiquei impressionado com a sua dinâmica administrativa no seu comércio e ali percebi como conseguiu gerir tão bem a cidade e ser um grande líder do Entorno, por meio da AMAB, órgão que foi presidente. Como morador daqui e também empresário, expresso meu respeito e admiração pelo trabalhado realizado, por você Hildo. E é notório o quanto você ama e acredita nessa cidade. Conte sempre comigo em projetos que visem uma cidade e estado melhores." Disse o empresário e grande líder Evandro do CETEP

Após adiamento e habeas corpus, Pazuello depõe à CPI da Pandemia nesta quarta

Pedro França/Agência Senado Pazuello em sessão de debate no Senado sobre falta de vacinas, em fevereiro
Após remarcação de seu depoimento à CPI da Pandemia e obtenção de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para ficar em silêncio em perguntas que possam produzir provas contra si, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello depõe nesta quarta-feira (19) à comissão, a partir das 9h. Terceiro titular da pasta no governo Jair Bolsonaro, Pazuello será questionado sobre sua conduta nos dez meses em que esteve à frente do ministério. Ele deve responder sobre temas como postura governamental, isolamento social, vacinação, colapso em Manaus e omissão de dados. Inicialmente, o ex-ministro seria ouvido no dia 5 de maio, mas um dia antes o Comando do Exército informou à CPI que o ex-ministro, general da ativa, estava em quarentena após ter tido contato com duas pessoas com covid-19. No documento enviado por Pazuello e encaminhado pelo Comando do Exército à CPI, o ex-ministro afirmou que poderia manter a data da audiência, com sua participação ocorrendo de forma remota, ou o depoimento poderia ser adiado. O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), optou pelo adiamento. Na última sexta-feira (14), Pazuello obteve habeas corpus no STF para ficar em silêncio na CPI, com o objetivo de não produzir provas contra si. Porém, ele deverá responder sobre fatos relacionados a terceiros. — Mesmo com esse habeas corpus que ele conseguiu junto ao STF, eu considero que ele possa falar e que ele fale. Até entendo, de alguma forma, pelos abusos que estamos vendo dentro da comissão, que ele de alguma forma queira se proteger. Espero que ele faça a mesma coisa que os outros depoentes fizeram até hoje: que ele possa responder todas as perguntas para que a gente possa fazer com que a verdade venha à tona — afirmou o senador Eduardo Girão (Podemos-CE). Vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) garantiu que recebeu com “serenidade e tranquilidade” a decisão do STF. Para o parlamentar, o depoimento de Pazuello não é o único meio de buscar a verdade e a comissão vai continuar seu trabalho de investigação. Requerimentos O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), e os senadores Randolfe, Girão e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) são os autores dos requerimentos de convocação de Pazuello. Para Renan, os depoimentos dos ex-ministros da Saúde são imprescindíveis para elucidar as providências tomadas pela pasta para enfrentar a pandemia. Em seu requerimento, o senador Randolfe destaca que, sob gestão de Pazuello, o ministério apresentou um Plano Nacional de Vacinação somente em dezembro de 2020, após exigência do STF. “Mesmo com a demora, o plano era falho. Apresentava diversos pontos em aberto e foi alvo de críticas de cientistas. A vacinação começou apenas em 17 de janeiro de 2021, com atrasos e revisões dos prazos. No início de março, o então ministro reduziu cinco vezes, em apenas oito dias, a previsão de entrega de vacinas no mês”, afirma o vice-presidente da CPI. Antecessor Em depoimento à CPI, o ex-ministro Nelson Teich, antecessor de Pazuello, negou que a presença do general no ministério, como secretário-executivo, tivesse sido imposição do presidente Bolsonaro. — Eu conversei com ele [Pazuello], ouvi o que tinha para falar, ouvi a experiência... E me pareceu que, naquele momento, em que eu precisava ter uma agilidade muito grande na parte de distribuição, para ajudar no problema de EPIs e de respiradores, ele poderia atuar bem. Agora, o fato de tê-lo nomeado não significa que ele iria continuar caso não "performasse" bem — afirmou.  Quando questionado posteriormente se Pazuello se mostrava suficientemente qualificado para assumir o Ministério da Saúde, Teich considerou que seria mais adequado alguém com conhecimento maior sobre gestão em saúde.   A CPI da Pandemia também já ouviu o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o atual titular da pasta, Eduardo Queiroga. Fonte: Agência Senado