CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

CAMPANHA ENTORNO GOIÁS
CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

A secretária de Assistência Social, Aleandra Sousa, destaca que “também é importante que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença¨.




Seguindo as orientações do Ministério da Saúde que recomendam a utilização do repelente tópico para prevenir as doenças causadas pelo Zika Vírus às gestantes, a Prefeitura de Águas Lindas de Goiás está orientando as beneficiárias grávidas do Programa Bolsa Família sobre os cuidados para o uso de repelentes. As gestantes estão recebendo repelentes contra insetos que seguem as considerações impostas pela Gerência Geral de Cosméticos (GGCOS/Anvisa) quanto ao uso de repelentes de insetos durante a gravidez.

É importante que as gestantes realizem um acompanhamento e as consultas de pré-natal com a realização de todos os exames recomendados pelo médico. O Ministério da Saúde reforça ainda a orientação de não consumir bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não utilizar medicamentos sem orientação médica e evitar contato com pessoas com febre ou infecções.

Apesar dos cuidados serem observados, as normas vigentes não contemplam nenhuma recomendação ou restrição de uso em gestantes. Os produtos não devem ser usados em crianças menores de 2 anos e em crianças entre 2 e 12 anos, a concentração dever ser no máximo 10% e a aplicação deve se restringir a 3 por dia. Os repelentes são distribuídos nos postos de saúde.

A secretária de Assistência Social, Aleandra Sousa, destaca que “também é importante que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, mantendo portas e janelas fechadas ou teladas, usando calça e camisa de manga comprida, além de utilizar os repelentes permitidos para gestantes".

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Uma gestão de sucesso se faz com ações conjuntas com órgãos estaduais e federais

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre

Uma gestão de sucesso se faz com ações conjuntas com órgãos estaduais e federais, estamos em constante diálogo com o ministro dos Transportes, onde sempre fizemos várias reivindicações, entre elas a manutenção da BR-070 principal via de acesso da nossa cidade. E desde a semana passada o DNIT faz a correção da BR, com uma nova capa de asfalto para oferecer aos motoristas mais segurança e comodidade. Isso é investir em qualidade de vida.

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre



Túllio participa de mais uma RODA DE CONVERSA desta vez o tema em destaque foi o esporte

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sentadas e área interna


Túllio esteve nesta terça feira(29),  na pizzaria Prêmios no Jardim Recanto a convite de lideranças comunitárias, onde pode falar das suas propostas relacionadas ao esporte. Recepcionado pelo anfitrião Kened que é liderança no bairro e   proprietário da pizzaria, pelo  seu Manoel e pelo esportista Irismar  do Santa Lúcia, que coordena  3 categorias (idades) de times  e por várias outras lideranças presentes. Túllio expôs suas propostas e projetos relacionados ao esporte, falou sobre o incentivo ao esporte e aos esportistas e o principal ponto que é tirar as crianças das ruas  para que  cada um tenha um futuro melhor.

Algumas mães estavam presentes e falaram  que a esperança   delas de melhoras e de incentivo para as crianças e os adolescentes  é o Túllio, ao mesmo tempo Túllio se comprometeu que daria o melhor  de si para ajudar ainda mais essas crianças e agradeceu a receptividade  do anfitrião Kened que vestiu sua camisa e agora vai apoiar seu projeto politico  e também de todas as lideranças presentes, e em seguida foi prestigiado  para fazer uma  entrega de medalhas.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas, pessoas comendo, mesa e área interna

A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas, mesa e área interna

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sentadas

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas

A imagem pode conter: 10 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Plenário da Câmara poderá votar reforma política e nova taxa de juros do BNDES


Antonio Augusto/Câmara dos Deputados
Discussão do Parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania que conclui pelo indeferimento da solicitação de autorização para a instauração, pelo Supremo Tribunal Federal, de processo criminal em desfavor do Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Michel Temer
Pauta do Plenário inclui a criação de fundo público para custear campanhas eleitorais e novas regras para eleição de deputados e vereadores
O Plenário da Câmara dos Deputados voltará a analisar a reforma política a partir de terça-feira (29). A proposta em análise (PEC 77/03) cria um fundo público para custear campanhas eleitorais e altera as regras para eleição de deputados e vereadores. A votação começou na última quarta-feira (23), quando os deputados decidiram votar o texto por temas.

As divergências sobre o fundo eleitoral e o novo sistema eleitoral, no entanto, podem levar os deputados a discutir outra proposta (PEC 282/16), que mantém o sistema proporcional, mas extingue as coligações entre partidos a partir de 2018 e cria uma cláusula de desempenho para as legendas.
Qualquer mudança só será aprovada se houver o voto favorável de 308 deputados, em dois turnos de votação. Para valer já nas próximas eleições, as propostas precisam ser votadas pela Câmara e pelo Senado até o início de outubro, um ano antes do pleito.
Fatiamento
O Plenário da Câmara decidiu que o primeiro tema a ser analisado na PEC 77 será a regra para eleição de deputados e vereadores. A proposta prevê o modelo majoritário, chamado “distritão”, para as eleições de 2018 e 2020. Nesse sistema, são eleitos os mais votados, como já ocorre na eleição para senador e para cargos do Poder Executivo.
A partir de 2022, a PEC prevê o sistema distrital misto, em que o eleitor faz dois votos: escolhe um candidato e um partido. Metade das vagas vai para os candidatos mais votados nos distritos; e as outras são preenchidas pelos desempenhos dos partidos, seguindo uma lista divulgada antes das eleições.

Atualmente, deputados e vereadores são eleitos pelo sistema proporcional, em que a distribuição das cadeiras leva em conta o desempenho de candidatos, partidos e coligações.
Recursos públicos
O fundo público para custear campanhas eleitorais será votado em segundo lugar. Para tentar minimizar a resistência, antes mesmo de aprovar a criação desse fundo, os deputados votaram um destaque que excluiu a destinação de 0,5% da receita corrente líquida, cerca de R$ 3,6 bilhões, para o custeio das campanhas.
Ainda assim, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, avaliou na quinta-feira (24) que o fundo para financiar as campanhas pode não ser aprovado por falta de acordo entre os partidos. Para Maia, é provável que a campanha eleitoral de 2018 seja realizada apenas com o atual Fundo Partidário, que, neste ano, conta com montante superior a R$ 800 milhões.
Outros itens
Depois dos dois primeiros itens, o Plenário passará a votar pontos menos polêmicos da proposta, além do artigo introdutório do texto. Esses itens são:
• limites orçamentários para o fundo público;
• permissão de reeleição para quem assumiu, como substituto, cargos no Executivo por mais de seis meses;
• mudanças nas datas de posse;
• encurtamento do período de campanha em segundo turno;
• aplicação aos deputados estaduais das regras de sistema eleitoral, remuneração e perda de mandato dos deputados federais;
• votação indireta para presidente da República apenas no último ano de vacância do cargo, com regra aplicada também a governadores e prefeitos;
• regulamentação do sistema distrital misto em 2019; e
• vigência da emenda constitucional.
BNDES
Também está em pauta a conclusão da votação da Medida Provisória 777/17, que muda os juros de empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
A proposta cria a Taxa de Longo Prazo (TLP) para financiamentos concedidos a partir de 1º de janeiro de 2018. A TLP será calculada com base nos juros vinculados a título do Tesouro Nacional (NTN-B) mais a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
Essa taxa, segundo deputados contrários à mudança, será superior à aplicada atualmente, a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que é calculada trimestralmente com base na meta de inflação futura para os 12 meses seguintes e em um prêmio de risco definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
O texto-base da MP foi aprovado na última quinta-feira (24), depois de forte obstrução. Os deputados ainda precisam votar três destaques, que questionam a autorização para que o Tesouro renegocie, com base na nova taxa de juros, repasses ao BNDES; a vedação para o uso da TJLP nos financiamentos dos bancos oficiais; e a revogação de lei que autoriza o uso da TJLP em outras operações do mercado financeiro, nas condições estabelecidas pelo Banco Central.
Vetos
Está marcada para terça-feira, às 11 horas, sessão do Congresso Nacional (sessão conjunta de deputados e senadores) para análise de vetos presidenciais a 16 projetos de lei. Esses vetos foram destacados pelos parlamentares no dia 13 de julho.
Entre eles estão vetos a dispositivos do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 incidentes sobre iniciativas dos parlamentares de aumentar a lista de despesas prioritárias do orçamento de 2017, como obras que deveriam ser consideradas prioritárias durante a execução orçamentária. Há uma tendência dos parlamentares de derrubar alguns desses vetos da LDO.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Rodoviários param e deixam passageiros sem ônibus no Distrito Federal

As paradas de ônibus de todo o Distrito Federal estão lotadas


Luís Nova/CB/D.A Press


Os usuários do transporte público foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira (28/8) com a paralisação de cinco empresas de ônibus. Pioneira, São José, Piracicabana, Urbi e Marechal, incluindo as linhas do BRT Gama e Santa Maria não saíram das garagens. As paradas de ônibus de todo o Distrito Federal estão lotadas. Todas as baias de ônibus da Rodoviária do Plano Piloto estão vazias. Rodam apenas os ônibus das cidades do Entorno do Distrito Federal.

Na quarta-feira (23/8), os rodoviários pararam por aproximadamente uma hora para uma assembleia no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha. A categoria reivindica reajuste de 12% nos salários, mais do que a majoração de 4% obtida na paralisação anterior, em julho. Além disso, os rodoviários pedem aumento real no vale-alimentação, na cesta básica e nos planos de saúde e odontológico. A categoria ainda não decidiu por quanto tempo pode durar esse ato.

Fonte: Correio Braziliense

Secretários e deputados apontam o cânone mínimo dos prefeitos mais eficientes de Goiás



Entre os mais destacados estão Jânio Darrot, Nárcia Kelly, Valmir Pedro, Roberto Naves e Vinicius Luz
Prefeitos Jânio Darrot, Nárcia Kelly, Valmir Pedro, Roberto, Vinicius Luz e Hildo do Candango | Montagem
Secretários do governo do Estado e deputados afiançam que os prefeitos de Bela Vista de Goiás, Nárcia Kelly (PTB); de Águas Lindas, Hildo do Candango (PSDB); de Valpa­raí­so, Pábio Mossoró (PSDB); de Anápolis, Roberto Naves (PTB); de Uruaçu, Valmir Pedro (PSDB); de Nerópolis, Gil Ta­va­res (PRB); de Jataí, Vinicius Luz (PSDB), de Trindade; Jânio Dar­rot (PSDB); de Goianira, Carlão da Fox (PSDB), e de Vianópolis, Issy Quinan, são os mais destacados do Estado. Motivo: em oito meses, mesmo com o país em crise, eles têm o que mostrar às suas comunidades.
Trabalham o tempo inteiro e não ficam fazendo discurso. São eficientes e, alguns deles, verdadeiros workaholics. Al­guns dos prefeitos mencionados, já aproveitando os recursos do Goiás na Frente, estão pondo para quebrar.
As obras já saíram do papel e a aprovação deles é cada vez mais alta.
Encabeçam a lista dos prefeitos chorões, que só reclamam, às vezes de barriga cheia, estão o de Formosa, Ernesto Roller, e o de Catalão, Adib Elias, ambos do PMDB.

Fonte:Jornal Opção

Por que os partidos estão tirando a letra “p” de seus nomes?


Tendência mundial: PMDB, PP, PTN, PEN, PTdoB e PSDC já trocaram ou devem trocar de nome em breve
O deputado federal Daniel Vilela (esq.) não concorda em voltar a usar a sigla MDB, que, para ele, já tem seu lugar cravado na história; o senador Wilder Morais (dir.), por sua vez, foi decisivo na mudança de nome do PP | Fotos: Diário de Goiás e Divulgação
Em eleições que prometem um clima quente, a famosa sopa de letrinhas da política brasileira está perdendo espaço no cardápio de 2018. Aos poucos, partidos estão mudando seus nomes em uma tentativa de repaginação. No ano que vem, o eleitor deve se deparar, em menor frequência, com a palavra “partido”.
De acordo com o presidente nacional do Partido do Movimen­to Democrático Brasileiro (PMDB), o senador Romero Jucá, de Roraima, a sigla pode voltar a se chamar MDB, relembrando os tempos de oposição à ditadura – ainda que não consiga ressuscitar nomes como Ulysses Guimarães e Tancredo Neves.
O deputado federal Daniel Vilela, presidente do PMDB em Goiás, diz ser contra a mudança. O parlamentar argumenta que, nesse momento, são necessárias alterações orgânicas no partido a fim de atualizá-lo e não algo “irrelevante” como esse tipo de alteração. “O MDB já está cravado na história. Não concordo em voltar a usar o nome de um momento histórico. Se fosse para mudar, teria de ser uma outra denominação”, defende.
À coluna “Bastidores”, do Jornal Opção, o Senador Wilder Morais disse que, nos discursos e nas entrevistas, o som do Partido Progressista (PP) era confundido com o do Partido dos Trabalhadores (PT). O PP irá se chamar Progressistas e o senador goiano teve papel decisivo na escolha.
Segundo Santana Pires (esq.), a mudança de nome do PEN foi uma exigência de Jair Bolsonaro; Adriano Avelar (dir.) considera a alteração para Podemos um modelo “evoluído”, “pragmático” e “inovador” | Fotos: Divulgação e Reprodução/Facebook
Anteriormente chamado de Partido Trabalhista Nacional (PTN), o Podemos teve sua troca oficializada em julho deste ano e já conta em seus quadros com os senadores Álvaro Dias, do Paraná, e Romário, do Rio de Janeiro, além do deputado federal por Goiás, Alexandre Baldy. Presidente regional do partido, Adriano Avelar apoiou a mudança desde o início. Ele considera que a ideia é buscar uma nova roupagem por meio de um modelo mais “evoluído”, “pragmático” e “inovador”, objetivando mostrar à população um novo mecanismo de fazer política.
Santana Pires, presidente do Partido Ecológico Nacional (PEN), que deve passar a ser chamado de Patriota, acredita que a retirada da palavra “partido” em massa é apenas uma coincidência. Segundo ele, o PEN será Patriota por exigência do deputado federal Jair Bolsonaro, do Rio de Janeiro. Santana Pires contou que havia deixado o presidenciável no aeroporto de Brasília momentos antes de conversar com o Jornal Opção ao telefone. Com o polêmico parlamentar, de 25 a 30 deputados federais devem se filiar ao Patriota, dentre os quais Santana diz haver goianos, sem revelar nomes.
Até o fechamento desta edição, a reportagem não conseguiu entrar em contato com as executivas goianas do Avante, antigo Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB), e do Partido Social Democrata Cristão (PSDC), cujo requerimento para se tornar Democracia Cristã está em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Outros casos
Em 2007, o então Partido da Frente Liberal (PFL) virou Democratas e passou a usar a sigla DEM. Mesmo sem “partido”, o Democratas também deve aderir à mudança de nome e tende a se tornar Movimento de Unidade Democrática (Mude). Tony Carlo, assessor de imprensa do senador Ronaldo Caiado, presidente do Democratas em Goiás, expressou que o assunto ainda é “embrionário”.
Conforme publicado pelo “Estadão”, o Partido Social Liberal (PSL) teria sofrido uma modificação para Livres. Contudo, o presidente do PSL em Goiás, Benitez Calil, garante que o Livres se trata apenas de um movimento dentro do partido, uma espécie de “PSL Jovem”, e que não recebeu nenhuma informação da executiva nacional a respeito de uma eventual alteração do nome.
Benitez Calil (esq.) garante que o PSL não vai passar a se chamar Livres; por meio de sua assesoria de imprensa, o senador Ronaldo Caiado diz que assunto sobre novo nome do DEM ainda é “embrionário” | Fotos: Reprodução/Facebook
Algumas siglas já nasceram como um “movimento”. São os casos do Solidariedade e da Rede Sustentabilidade, cujos registros foram concedidos em 2013 e 2015, respectivamente. Por sua vez, mesmo tendo oficialmente a palavra “partido”, o Novo não costuma usá-la nas propagandas. E o seu nome é provavelmente o mais sugestivo entre aqueles que visam negar a política tradicional.
Tendência mundial
A busca pelo distanciamento da velha política não é uma característica exclusiva brasileira. Há, pelo mundo, demonstrações desta tendência.
Talvez não haja quem melhor represente a “antipolítica” do que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, que, antes de ter sido eleito em 2016, nunca havia exercido qualquer função nesta área e bancou a campanha do próprio bolso. Até por isso, adotou – e ainda adota – discursos tradicionalmente não políticos.
Adversária do republicano nas eleições estadunidenses, a democrata Hillary Clinton, por outro lado, se enquadra perfeitamente na representação do que é a política. Ex-primeira-dama, ex-senadora e ex-Secretária de Estado durante o governo Barack Obama, Hillary foi a candidata de Wall Street e de grandes bancos, como Goldman Sachs.
Do outro lado do Atlântico, o Reino Unido se deparou, também no ano passado, com o Brexit – a futura saída do país da União Europeia, aprovada em plebiscito. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, e o então primeiro-ministro britânico, David Cameron, votaram contra. Khan é dos Trabalha­dores, enquanto Came­ron é dos Conservadores, os dois gran­des rivais da política na terra da rainha. Uma das cabeças da campanha pró-Brexit foi Nigel Farage, líder do pequeno UK Indepen­dence Party (UKIP) à época. Eurocético e nacionalista, Farage é comumente comparado a Trump.
Ainda na Europa, a Espanha sofre com o enfraquecimento dos principais partidos locais, o Partido Popular (PP) e o Partido Socialista Obrero Español (PSOE), à medida em que Ciudada­nos, à direita, e Pode­mos, à esquerda – e que nada tem a ver com a sua versão brasileira -, ganham cada vez mais espaço sem utilizarem a palavra “partido”.
Na Itália, o MoVimento 5 Estrelas (M5S), que se recusa ser chamado de partido, já elegeu prefeitas em Roma e Turim e tende a obter bons resultados nas próximas eleições gerais. Fundado na internet pelo comediante Beppe Grillo, o M5S deixa de lado a dicotomia esquerda-direita e se define como um movimento simplesmente contrário ao sistema vigente. Para eles, a posição no espectro político deixa de importar. Agora, a moda é refutar a política tradicional.
Um grande exemplo dessa nova moda é a recente eleição na França. Na véspera do pleito, as pesquisas apontavam um empate quádruplo entre Emmanuel Macron, Marine Le Pen, François Fillon e Jean Luc-Melechon. O candidato do governo, Benoît Hamon, do Partido Socialista, nem sequer figurou no pelotão da frente. Melechon, com um discurso populista de esquerda, cresceu na reta final, mas terminou em quarto (a diferença dele para o primeiro foi de 4%). E Fillon, representante dos Republicanos, principais rivais dos Socialistas, não passou da terceira posição.
Foram ao segundo turno o centrista Macron, do movimento “La République en marche!”, e a populista de direita Marine Le Pen, da Frente Nacional. Os tradicionais Socialistas e Republicanos deram lugar a partidos sem o nome “partido”, que são ideologicamente diferentes, mas compartilham a mesma negação da velha política. Apesar de já ter integrado os quadros do Partido Socialista e ter servido como Ministro da Economia, Indústria e Assuntos Digitais do governo de François Hollande, Macron, de 39 anos, concorreu – e venceu – por uma sigla criada apenas no ano passado.
É um equívoco pensar que a onda “antipolítica” é restrita ao Ocidente. Nas Filipinas, o nada político Rodrigo Duterte, eleito presidente em 2016, já xingou Barack Obama e fez gestos obscenos a ele em público durante uma coletiva de imprensa. Com sua guerra às organizações internacionais por supostas violações de direitos humanos no combate ao tráfico de drogas, tendo ameaçado deixar a Organização das Nações Unidas (ONU), além da luta contra uma célula local do Estado Islâmico (chegou a dizer que, com sal e vinagre, comeria os terroristas vivos), o filipino é um fenômeno de popularidade.
Marolinha ou tsunami
De uma certa maneira, esta onda atingiu a costa brasileira em 2016. Não somente pelas vitórias de João Dória, em São Paulo, e Alexandre Kalil, em Belo Horizonte, mas também pelo alto número de abstenções e votos nulos ou brancos.
Geert Wilders, na Holanda, e Norbert Hofer, na Áustria, fracassaram nos pleitos de seus respectivos países. Ambos são adeptos da “antipolítica”, que não parece ter um representante forte nas eleições da Alemanha, marcadas para setembro. A pergunta que fica é se esse movimento tende a enfraquecer ou se consolidar. Em 2018, as eleições no Brasil podem ajudar a responder.
Cientista político Pedro Pietrafesa: “boa votação de Bolsonaro não deve ser encarada como surpresa” | Foto: Reprodução/Facebook
Doutor em ciência política pela Universidade de Brasília (UnB), Pedro Pietrafesa explica que a instituição partido está em descrédito pelo mundo e as mudanças de nome não acontecem à toa. “Estão buscando alternativas e esse é um artifício que, na teoria, pode afastar a imagem da política tradicional, mas, na prática, não resulta em mudança concreta dentro dos partidos”, aponta.
Professor de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), o cientista político salienta que ainda não se sabe como esse movimento global vai interferir no pleito do ano que vem. De acordo com ele, depende de como os novos partidos vão se apresentar e, principalmente, quem serão os candidatos. “Se grandes nomes como Lula e Alckmin se candidatarem, a onda pode acabar sendo uma marolinha”, pensa.
Porém, Pedro Pietrafesa ressalta que um tsunami não está descartado. Para o professor, as chances disso se tornar realidade se dão em decorrência do histórico recente brasileiro – de Fernando Collor a João Dória – em apresentar nomes supostamente de fora da política e, por isso, uma boa votação de Jair Bolsonaro não deve ser encarada com surpresa. Ainda segundo o cientista político, o tsunami tem mais possibilidade de acontecer devido aos candidatos em si e não necessariamente às mudanças de nome dos partidos.
Fonte:Jornal Opção

domingo, 27 de agosto de 2017

Waltenis: Porque Sou pré - candidato..??

 A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

Escolhi essa sigla partidária {Psol} por crer que  de fato entre os 36 partidos existes hoje atualmente em nosso país, muitos falam em distribuição de renda igualitária, mas que na prática isso não acontece, pois a classe dominante em sua grande maioria só visam lucros e lucros para si e não para a sociedade como um todo.

Diante disso, vejo a necessidade de seguir avante com idéias que defenda a sociedade, a classe trabalhadora e por isso estou AQUI e convido VOCÊ e aproveito agora para estender o meu convite a todos os seus amigo{a}s para juntar forças nesse objetivo.

Enquanto contribuinte, e micro-empreender vejo a necessidade de abrir mais oportunidade aos pequenos contribuintes, {Micro-empreendedores} a idéia do ex presidente Lula foi bacana em tirar da clandestinidade muitos trabalhadores registrando-se o seu próprio negócio, criando CNPJ sem a necessidade de pagar-se um contador,  onde todo o suporte é oferecido pelo SEBRAE.
Waltenis pré candidato, eu "ACREDITO"                      
 O sistema capitalista de certo modo favorece o mais forte financeiramente em uma disputa a cargos eletivos, não priorizando diretamente aquele com maior capacidade administrativa e de conhecimentos.
http://waltenis.webnode.com
2018 Waltenis Pré Candidato à Dep Federal.
Unidos por um Goiás melhor e mais justo.
"Eu ACREDITO"

Diego Dantas lidera disputa a presidência da feira do Pérola

A imagem pode conter: 4 pessoas, atividades ao ar livre



A equipe do Conexão TV WEB esteve na feira do Pérola na manhã deste domingo e fez uma pesquisa de opinião sobre a eleição da presidência da feira e o candidato Diego Dantas lidera a corrida com 53,2%, Zé do Chapéu tem 13,36%, Alex tem 8,68%, Antonio 3,36%  e os indecisos somam 21,4%, foram ouvidos 90 feirantes,a eleição será no dia 24.

Estivemos na manhã deste domingo realizando uma pesquisa sobre as eleições da presidência da FEIRA DO PÉROLA
Total de feirantes eleitores entrevistados 👉 90
RESULTADO🎙
 *ZÉ DO CHAPÉU  :13,36%
 *ALEX Atual presidente : 8.68%
 *ANTÔNIO: 3.36%
 *DIEGO DANTAS : 53.2%
 *Indecisos ou não quiseram revelar o voto : 21,4%
Pesquisa realizada pelo CANAL: *CONEXAO TV WEB*🖥📲




sábado, 26 de agosto de 2017

Túllio visita feirantes em frente ao Tatico é bem recebido e revê amigos

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, comida e atividades ao ar livre

Túllio esteve neste final de semana na feirinha que fica em frente ao Super Mercado Tatico onde foi bem recepcionado  por todos os feirantes e andou revendo amigos e conscientizando os mesmos da importância de se fazer o cadastramento biométrico e sobre o prazo final do mesmo, que termina no dia 30 de setembro.

Águas Lindas de Goiás é uma das cidades do Estado que está passando pelo processo biométrico e todos os eleitores devem fazer o cadastramento, pois quem não o fizer terá o seu titulo cancelado e não votará nas próxima eleição.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e listras

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e comida

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé e área interna

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, sapatos e área interna



Criada a Frente Parlamentar do Esporte e Cultura na Câmara Municipal de Vereadores

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e área interna

Por Moisés Tavares

A Câmara Municipal de Vereadores , lançou no dia 25, a Frente Parlamentar do Esporte e Cultura,  tendo o Vereador  Pastor Jorge Amaro-PRB, como presidente e os vereadores Éder Nunes-PSD e Vanderlei Blá-PTB como membros. A intensão é que todos trabalhem na busca de melhorias e incentivos ao esporte e cultura na cidade de Águas Lindas de Goiás, e para isso conta com o apoio do Poder Executivo, Secretário Municipal de Esporte Ulisses Leal, da assessoria do Deputado Federal João Campos, do Deputado Distrital Júlio Cesar, do subsecretário de esporte do DF Eder, lideranças e esportistas da cidade.

Logo após o lançamento já foi iniciada uma reunião técnica para  implementar a buscas de recursos e investimentos para as diversas modalidades de esportes. Projetos como Bolsa Esporte, Fundo Municipal de Esporte e Cultura, Conselho Municipal de Esporte e Cultura, entre outros. 

A imagem pode conter: 47 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: 17 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna

#aceleraaguaslindas----Lucas Antonietti o médico solidário estará no dia 08 no Clube do Pimenta em mais uma palestra com o tema:Risco de Morte Súbita em Atletas

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

#aceleraaguaslindas


Projeto Social Santa Mônica para Todos
Momento Saúde - Programa de Educação Continuada
Ministrante: Dr. Lucas Antonietti

Sexta-feira, 08 de setembro, 19hs30, aula na Quadra 33 lotes 1/8, Mansões Olinda, Águas Lindas de Goiás.

Tema: Risco de Morte Súbita em Atletas
Participe e compartilhe para sua comunidade INFORMAÇÕES QUE SALVAM VIDAS!
#projetosocial #santamonicaparatodos



#aceleraaguaslindas

André Cavalcante é convidado a se filiar no PSB e assumir a presidência da juventude do partido

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, terno

Por Moisés Tavares

O presidente do PSB-40, de Águas Lindas de Goiás, vereador Evandro do Rainha da Paz, convidou o jovem   politico e advogado André Cavalcante a se filiar na sigla e assumir a presidência do PSB- Jovem na cidade.
Há mais de 24 anos morando em Águas Lindas de Goiás, André Cavalcante,  foi candidato a vereador pelo PRB, obteve uma boa votação e tem uma grande liderança na juventude. André informou ao BLOG A VERDADE que está marcada uma reunião nesta semana para tratar dos detalhes de sua filiação ao PSB. Sobre deixar o PRB, André afirma  que não tem nada contra o partido, até a entrada do atual presidente vereador Rogemberg Barbosa, que foi eleito com a ajuda dos partidários que  saíram candidatos e foram esquecidos pelo presidente. André, afirma que seu trabalho politico não parou após a eleição e que continua a disposição do povo para fazer o melhor pela cidade.


¨Independente de partido politico, farei o que é  melhor para a cidade¨. Disse André Cavalcante.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Hildo do Candango é o orgulho de Goiás, diz vereador Tiago Eloy



O vereador aguaslindense Tiago Eloi teceu elogios ao trabalho do prefeito Hildo do Candango durante sessão solene na Câmara Municipal. “O prefeito Hildo é o orgulho de Goiás e promoveu grandes avanços na promoção e proteção da saúde pública, educação e assistência social no município”, disse o vereador Tiago Eloi.
O vereador afirma ainda que entre os trabalhos apresentados pelo prefeito está o Plano de Educação em Saúde e Mobilização Social incluindo as escolas e suas estratégias que visam fomentar o desenvolvimento de ações educativas para a mudança de comportamento e a adoção de práticas para a boa manutenção do ambiente familiar, além do investimento de mais de R$ 900 milhões em obras de infraestrutura.
“Hoje vemos a Policlínica com atendimento de várias especialidades, como ortopedia, ginecologia, neurologia, clínica médica e cardiologia. O Hospital Bom Jesus conta com três médicos plantonistas que atendem diariamente mais de 500 pessoas. Foram adquiridas duas ambulâncias, três gols, um micro-ônibus e 16 automóveis para ajudar no transporte de pacientes. E para combater o mosquito da dengue e chikungunya, foram compradas duas caminhonetes fumacê e sete motos. Isso faz a diferença nesta administração”, concluiu o vereador.
Fonte:http://www.hildodocandango.com.br

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Três mulheres que podem fazer a diferença nas próximas eleições no Entorno

Três mulheres que podem fazer a diferença nas próximas eleições no Entorno

Foto: reprodução
Três mulheres podem fazer a diferença nas próximas eleições da Região do Entorno de Brasília. Um dos nomes fortes é Aleandra Sousa (PTB), primeira-dama do município de Águas Lindas , que, em entrevista ao repórter Catireiro, confirmou sua pré-candidatura para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.
Dona Aleandra, como é chamada, é atuante e muito carismática e está à frente da Secretária de Assistente Social, além de ser a atual presidente do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas) em Goiás.
Ela conta com o apoio do marido, prefeito Hildo do Candango (PSDB), figura carismática e de peso na política goiana, afinal foi reeleito com 67% dos votos válidos na última eleição. Hildo também é o representante dos prefeitos do Entorno, foi eleito como presidente da Associação dos Municípios Adjacentes à Brasília (Amab).
Do lado oposto da Região do Entorno há Leda Borges (PSDB), deputada estadual licenciada e atual secretária Cidadã do governo do Estado. A tucana já foi vereadora e a primeira mulher a se eleger prefeita na cidade de Valparaíso de Goiás. Ela conta com o apoio dos prefeitos de Valparaíso Pábio Mossoró (PSDB) e de Cidade Ocidental Fábio Correa (PSDB). Lêda é uma forte candidata para representar a região como deputada federal.
Em Luziânia, a professora Edina se destacou como uma vereadora atuante e hoje vice-prefeita é considerada a maior liderança no Jardim Ingá, que possui cerca de 45 mil eleitores, um terço dos votos de Luziânia, ou seja, o Ingá sozinho pode decidir uma eleição.
Atualmente Edina lidera as pesquisas de opinião para deputado da sua região, porém ela ainda não se manifestou se irá disputar o próximo pleito, mas esta com certeza é uma carta na manga do atual prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin (PSD), que pode lançar a candidatura da professora para desbancar o adversário político da última eleição Célio Silva (PSDB), e assim garantir a continuidade e o fortalecimento da sua gestão.

Fonte;Jornal Opção