CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA
CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

quarta-feira, 20 de dezembro de 2023

Homem é agredido por PM em distribuidora de bebidas

 

Foto: Karine Gonçalves/Arquivo pessoal

Segundo a defesa do homem, ele decidiu vender sua distribuidora por ter ficado muito abalado

Um homem foi agredido por um policial militar em uma distribuidora de bebidas, em Goiânia. O caso ocorreu durante uma abordagem, e o comerciante chegou a ser preso, mas a Justiça determinou o arquivamento devido à falta de provas de crimes.

As agressões ocorreram em outubro, no entanto, a divulgação do vídeo só foi fornecida agora, depois de o homem ter sido inocentado em dezembro. Nas imagens, o policial chega a chutar o celular do homem durante as agressões.

A advogada Karine Gonçalves relata que houve uma confusão em uma distribuidora de bebidas onde houve o desentendimento, o que resultou na chamada da Polícia Militar. O dono do estabelecimento, ao tentar intervir e informar a polícia sobre o ocorrido, foi surpreendido ao ser agredido, apesar de não ter desobedecido ou provocado os policiais, segundo sua defesa.

As imagens das câmeras de vigilância registraram a cena onde o dono da distribuidora é atingido no rosto por um policial. Ao tentar se distanciar, ele é imobilizado e recebe mais golpes. Depois, o policial acerta um chute no celular que o comerciante segurava, e logo procede à prisão do homem e o algema.

A advogada informou que, segundo os policiais, o homem os insultou e resistiu à prisão. No entanto, as gravações da câmera indicam que tais ações não ocorreram. O homem foi detido e liberado apenas após o pagamento de fiança. Abalado pelo ocorrido, ele decidiu vender sua distribuidora.

A Polícia Militar informou, em nota, que a Corregedoria ordenou a abertura de um processo administrativo para investigar o comportamento dos militares envolvidos e as circunstâncias do caso.

Além disso, informou que "não compactua com qualquer desvio de conduta praticado por seus membros".

Depois que o processo foi encerrado, o juiz ordenou a restituição do montante referente à fiança ao proprietário do estabelecimento.

Fonte:  https://www.dm.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário