CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA
CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

domingo, 22 de outubro de 2023

Babá brasileira é presa nos EUA por suspeita de matar homem

 

Babá brasileira foi presa acusada de matar um homem a tiros na última quinta-feira (19). - (crédito: Departamento de Polícia de Fairfax/Divulgação)

Juliana Peres Magalhães trabalhava como babá em uma residência na Virgínia, nos Estados Unidos, quando o crime ocorreu

A brasileira Juliana Peres Magalhães, de 23 anos, foi presa na última quinta-feira (19/10), por suspeita de matar um homem a tiros, em Fairfax, na Virgínia, nos Estados Unidos. Ela trabalhava como babá em uma residência de um bairro de alto padrão em Reston, quando Joseph Ryan, de 39 anos, teria invadido o imóvel.

Juliana é acusada de matar esse homem. Ele foi encontrado morto pela polícia no local. Christine Banfield, de 37 anos, a dona da casa e contratante da brasileira, também foi encontrada morta.

Ocorrido em 24 de fevereiro, a polícia só concluiu as investigações do crime na última quinta-feira (19/10), o que resultou na prisão da babá brasileira.

De acordo com a nota oficial divulgada pela polícia do Condado de Fairfax, Juliana foi presa pelo homicídio doloso de Joseph Ryan e levada ao Centro de Detenções de Adultos do condado. Ela permanece sob custódia, sem possibilidade de fiança. O julgamento segue sem previsão. Os detetives ainda investigam as circunstâncias que levaram ao esfaqueamento fatal de Christine Banfield.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, a mãe de Juliana, Marina Peres Souza, disse que a filha mora no país há dois anos e atuava como babá enquanto fazia intercâmbio. "Ela me falou que o caso tinha sido arquivado, e que a polícia tinha concluído que quem matou a Christine foi o (Joseph) Ryan, porque eles eram ex-companheiros. E aí a gente ficou sabendo uns dois dias antes da prisão que eles estavam investigando [ela]. Eles emboscaram ela na quinta-feira antes do trabalho", contou. Ela também afirmou que estava desde a última sexta-feira (20) sem ter notícias da filha.

Brendan Banfield, marido do casal residente da casa em que o crime ocorreu, se recusou a prestar depoimento à polícia. Ele é agente do FBI (Departamento Federal de Investigação, em português). A filha do casal, de 4 anos, estava na residência no momento da invasão, mas não ficou ferida. Juliana e Brendan que fizeram a ligação para a polícia informando do crime. 


Fonte:  https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário