CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

CAMPANHA ENTORNO GOIÁS
CAMPANHA ENTORNO GOIÁS

quinta-feira, 5 de outubro de 2023

Em 2023, DF gasta, em média, R$2,3 Mil por mês com cada preso.

 



Em 2023, o DF gasta, em média, R$ 2.346 mil para cada um dos mais de 16,8 mil presos em penitenciárias da capital federal a cada mês. De acordo com dados da Secretaria de Administração Penitenciária (Seape-DF) e da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), os recursos são utilizados para manter a vestimenta, a higiene e a alimentação dos apenados, entre outras coisas.


A quantidade de detentos e o custo médio de cada um varia a cada mês. Os dados do Senappen foram atualizados em julho de 2023 quando os presídios do DF contavam com 16.843 custodiados. Segundo a Seape, em agosto, o número de presos era de 15.321.


Caso o valor investido em cada um se mantivesse, apenas em agosto, o DF teria gasto R$ 35,943.066 milhões com os presos.


Ainda segundo a Senappen, as três áreas que mais demandam recursos são: alimentação; água, energia e lixo; e a aquisição de uniformes, camas e roupas de cama.


Em julho deste ano, mais de R$ 5 milhões foram destinados para alimentação do sistema penitenciário e R$ 3,3 milhões para o provimento de água, luz, esgoto e recolhimento de lixo nas unidades prisionais.


Por meio de nota, a Seape esclarece que o custo total é distribuído, geralmente, de forma igual entre os custodiados. “Neste sentido, alguns custodiados têm algumas necessidades que demandam mais recursos que outros como: alimentação específica, quantidades de escoltas que um demanda mais do que o outro”, diz a pasta.


Ainda de acordo com a pasta do DF, a maior parte dos recursos são provenientes do tesouro do GDF e uma menor parte de convênios com o Ministério da Justiça e Segurança Pública.


Em março deste ano, mostramos que a maior parte dos custodiados no DF está encarcerada por causa de crimes considerados menores como roubo, furto e ocorrências ligadas a drogas.


De acordo com o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias, do Departamento Penitenciário Nacional, 49,49% dos presos cometeu crime contra o patrimônio — que envolve furto simples e qualificado, estelionato e receptação, entre outros.


Em segundo lugar entre os crimes com maior incidência entre os apenados estão aqueles relacionados às drogas. E outros devido a uso de drogas e entorpecentes.


Fonte: RADAR OCIDENTAL 

Nenhum comentário:

Postar um comentário