CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA
CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

segunda-feira, 15 de janeiro de 2024

Foragido por estrangular a companheira, assassino ameaçou matar outra mulher

 

Diana já chegou a relatar que foi esfaqueada por Kelsen uma vez, mas não registrou boletim. Ele é usuário de drogas e faz uso abusivo de bebidas alcoólicas. - (crédito: Reprodução/Redes sociais )


Caso ocorreu em 2019. Junto com um comparsa, Kelsen abordou outra ex-companheira, em uma via de Ceilândia, e ameaçou matá-la


Kelsen Oliveira de Macedo, 42 anos, suspeito de matar estrangulada a companheira Diana Faria Lima, 37, na QNM 24 de Ceilândia, na manhã desta segunda-feira (15/1), já ameaçou matar outra ex-companheira, em 2019.

Correio apurou que Kelsen, em abril de 2019, inconformado pela separação com a ex-esposa após um relacionamento de 7 anos, abordou a mulher, acompanhado de um comparsa, em uma via pública de Ceilândia.

Na ocasião, Kelsen ameaçou e insultou a vítima. “Vagabunda, vou te matar”. O comparsa do acusado chegou a perguntar se ele poderia matar a mulher ali mesmo, no meio da rua. “Posso matar ela agora, essa vagabunda”, cita o trecho, detalhado pela vítima em boletim de ocorrência contra o ex-companheiro. Só não aconteceu algo de pior porque o filho da vítima apareceu e socorreu a mãe.

Logo em seguida, conforme o Correio noticiou, Kelsen emplacou um outra relacionamento, agora com Diana, vítima de feminicídio na manhã desta segunda. Há registros de, ao menos, três ocorrências registradas por ela em delegacias do DF.

Diana já chegou a relatar que foi esfaqueada por Kelsen uma vez, mas não registrou boletim. Ele é usuário de drogas e faz uso abusivo de bebidas alcoólicas.

Feminicídio

Diana foi encontrada morta, dentro do banheiro da residência onde morava, em Ceilândia. Kelsen está foragido.

O fato ocorreu por volta das 4h da madrugada, na QNM 24 de Ceilândia Norte. A polícia foi acionada por volta das 10h e, no local, as equipes encontraram Diana, caída no chão do banheiro e com várias lesões no rosto. Aos policiais, Kelsen disse, antes de fugir, detalhou que a companheira era dependente química e estava sob efeito de cocaína.

Os militares do Corpo de Bombeiros estiveram no local com duas viaturas e uma aeronave. No local, encontraram a vítima com suspeita de traumatismo craniano, com sangramento nos ouvidos e parada cardiorrespiratória. Os socorristas tentaram reanimar Diana, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu.

Fonte:  https://www.correiobraziliense.com.br/


Nenhum comentário:

Postar um comentário