TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

terça-feira, 15 de março de 2022

Chuvas causam estragos em Vicente Pires e prejuízos aos moradores

Foto:Marcelo Ferreira/CB/D.A Press Muro de uma das casas atingidas pelas chuvas do fim de semana foi ao chão
A Defesa Civil vistoriou, até o fim da manhã desta segunda-feira (14/3), cerca de 40 residências da região. Do total, seis foram interditadas parcialmente Durante o último fim de semana, os moradores de Vicente Pires conviveram com transtornos por conta das fortes chuvas que atingiram a região. Muros e toldos foram derrubados, o asfalto foi arrancado e ruas ficaram alagadas e cobertas por lama. No fim da manhã desta segunda-feira (14/3), a Defesa Civil do Distrito Federal (DCDF) esteve na região. O tenente-coronel Gabriel Motta, engenheiro do órgão, repassou um balanço das vistorias. "As equipes vistoriaram, até o momento, 40 casas e verificaram casos de alagamento de residências e colapsos de muros de divisa e de arrimo. Desse total, seis residências precisaram ser interditadas parcialmente", disse o engenheiro. Danos estruturais A Defesa Civil foi acionada, primeiramente, na tarde do sábado (12/3), por causa de um alagamento na Rua 3 que causou danos à estrutura de vários imóveis — com possível risco de colapso estrutural —, segundo informações do próprio órgão. Ainda de acordo com a DCDF, a extensão dos danos e a chegada da noite, no sábado (12/3), fez com que uma nova vistoria fosse marcada para o domingo (13/3), oportunidade em que a Defesa Civil adotou algumas medidas para preservar a segurança dos moradores. Durante a vistoria, o órgão interditou parcialmente de três casas, notificou um imóvel em relação ao muro de divisa e avaliou o comprometimento de outras três casas, além de orientar os interessados quanto aos problemas gerados e para a busca de solução conjunta para o escoamento da água, uma vez que os imóveis são vizinhos. Violência nunca antes vista Na manhã desta segunda-feira (14/3), o Correio esteve em Vicente Pires para conferir os estragos. Alguns moradores, que não quiseram gravar entrevista, contaram que passaram por momentos de terror e chegaram a ficar em estado de choque na hora da chuva. Moradora da Rua 3 há 20 anos, a comerciante Rosângela Ferreira, 56, disse que a chuva de domingo (13/3) foi "violenta". "O vento foi muito forte. A calha da minha casa caiu, pois não resistiu à quantidade de água que vinha das telhas", relatou Rosângela. A comerciante destacou que nunca tinha visto algo parecido com o que ocorreu. "Foi esquisito. Eu nunca vi uma ventania tão forte quanto essa. É a primeira vez que vejo essa violência de água e ventania juntas", apontou. Confira imagens dos estragos: Foto:Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário