TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

terça-feira, 22 de março de 2022

Mulher de 38 anos esfaqueia marido que não quis ir a forró

Foto:@14batalhaopmmg/Instagram/Reprodução
O crime aconteceu em Patos de Minas. Com sintomas de embriaguez, a suspeita também teria agredido uma policial militar Uma mulher de 38 anos estava a fim de curtir um forró no domingo, porém, o marido não estava na mesma “vibe”. Os dois discutiram e o homem acabou esfaqueado. O caso aconteceu em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Segundo a Polícia Militar, na noite de domingo (20/03), um homem de 45 anos deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e devido à gravidade do ferimento foi transferido para o Hospital Regional Antônio Dias (HRAD). Ele apresentava um corte no rosto provocado por faca. Questionado pelos policiais, o homem contou que havia sido esfaqueado pela própria esposa após ter se recusado a ir ao forró. Após o crime, a mulher teria o levado até à UPA e fugido. Os policiais foram até a casa do casal onde encontraram a faca utilizada no crime. Durante registro da ocorrência, a mulher esteve no hospital e causou tumulto. Um vigilante do Hospital Regional chegou a ser ameaçado pela mulher. Questionada, ela relatou aos PMs que o marido teria a constrangido na frente das pessoas, já que ambos passam por problemas conjugais. Após ter feito uma advertência, ela teria pegado uma faca na gaveta e jogado contra ele. Após ouvir a versão da suspeita, os PMs informaram que ela teria que ser conduzida para a delegacia. Uma sargento pegou a bolsa dela para revistar. Neste instante, a mulher se revoltou e agrediu a policial com tapas e puxões de cabelo. Outros policiais tiveram que intervir e algemaram a suspeita. Na viatura, ela chegou a danificar o cofre com chutes. Na delegacia, ela teria ameaçado a sargento e desacatou outros militares. Infrações de trânsito também foram registradas. O carro da suspeita estava estacionado em local proibido, obstruindo o acesso à emergência do hospital. Além disso, ela apresentava sintomas de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Segundo o sistema do Detran/MG, ela é inabilitada. A mulher poderá responder por agressão, dano ao patrimônio público, calúnia e ameaça. Além disso, poderá sofrer as consequências dos crimes de trânsito: embriaguez e direção sem habilitação. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário