A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS

A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS
VALPARAÍSO QUE EU QUERO 27

quinta-feira, 3 de março de 2022

Modelo com 60% do corpo queimado surpreende com fotos de antes e depois

Foto:Reprodução/Instagram
A australiana Dana Vulin teve o corpo queimado em 2012 por uma mulher que a acusou ter mantido um caso com ex-marido A modelo australiana Dana Vulin, 36 anos, chocou os seguidores nas redes sociais após compartilhar fotos da recuperação de severas queimaduras sofridas, após ataque de Natalie Dimitrovska, que a acusou injustamente de ter mantido um caso com seu ex-marido. Vulin teve 60% do corpo queimado em 2012. A modelo deu entrada no hospital após ter o corpo coberto com um líquido inflamável, que em seguida foi aceso. A modelo conseguiu sobreviver apesar da extensão das queimaduras, grande parte de terceiro grau, que a obrigaram a ser submetida a mais de 200 cirurgias para reparar os danos. Em postagem no Instagram, na última terça-feira (1º/2), Vulin celebrou dez anos de superação do ataque. Ela compartilhou um vídeo mostrando o avanço do tratamento. “Isso não é para me sexualizar, mas para mostrar a outros sobreviventes e pessoas que tudo é possível. Estou tão orgulhosa de quão duro eu trabalhei no meu corpo e me sinto mais forte e em forma que já me senti na minha vida. Tenho orgulho das minhas cicatrizes e aprendi a amá-las. Eu sou um tipo de pessoa de copo meio cheio. Em uma nota positiva por causa das minhas cicatrizes, não consigo ficar flácida! Em um mundo editado, escolho não ser editado!”, escreveu. “Todas as imagens são completamente cruas. Sem edição. Sem bronzeamento falso. Sem cílios falsos. Sem cabelos falsos. Sem unhas falsas. Sem efeitos especiais ou iluminação”, completou.
A agressora de Dana, Natalie Dimitrovska, cumpre pena de 17 anos de prisão por invadir o apartamento e derramar metanol no corpo da modelo e atear fogo em seguida. A australiana escreveu detalhes sobre o crime no livro Worth Fighting For (Vale a pena lutar, em tradução livre). "A dor era insuportável, mas através dos meus gritos, pude ouvir Natalie escapando pela porta de correr. Ela estava rindo de mim enquanto eu queimava viva. Quando me levantei, as chamas estavam piorando e eu mal conseguia pensar em meio à dor", relatou. Como se não bastasse, no final de 2013, Vulin descobriu um câncer cervical e aos 27 anos, além das cirurgias corretivas das cicatrizes, precisou enfrentar tratamento para a doença. Em seu site, a modelo diz que é a prova viva de que "o que não te mata, te fortalece".
Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário