A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS

A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS
VALPARAÍSO QUE EU QUERO 27

terça-feira, 8 de março de 2022

Família encontra feto dentro de vaso sanitário e denuncia caso à polícia

Foto:Tim Filho
Mãe da jovem que fez o aborto desconfia que vereador de Valadares seja o pai da criança e pediu exame de DNA Um feto com aproximadamente 20 semanas de gestação foi encontrado nesse domingo (6/3) dentro de um vaso sanitário, em uma casa do Bairro Santa Rita, em Governador Valadares, Região Leste de Minas. A Polícia Militar esteve no local, a pedido da família que fez a denúncia e constatou o achado. Uma das moradoras da casa apontou a irmã como responsável por jogar o feto no vaso. Ela disse que há algum tempo desconfiava que sua irmã estivesse grávida, tendo orientado que ela fizesse um teste de gravidez. Na madrugada do domingo, segundo a mulher que denunciou o caso à polícia, sua irmã passou muito mal, sentindo fortes dores na barriga e com sangramento intenso. Pela manhã, a mulher foi ao banheiro, abriu a porta e encontrou a irmã muito pálida e assustada, em meio a muito sangue no piso. Por volta das 10h, debilitada, a moça foi levada ao Hospital Municipal de Governador Valadares para atendimento médico. Na volta do hospital, a família percebeu que havia algo errado no banheiro. O vaso sanitário estava entupido. A irmã da jovem desconfiou de um possível aborto e pediu para seu pai retirar o vaso sanitário. O homem encontrou o feto entalado na tubulação. A denunciante disse que, embora sua irmã negasse a gravidez e o aborto, chamou a polícia para registrar a ocorrência, por um detalhe a mais: a família atribui a paternidade a um vereador de Valadares. Segundo a mãe da moça acusada de induzir o aborto, sua filha era constantemente assediada pelo vereador, que lhe dava presentes, e trocava mensagens obscenas via WhatsApp com ela. O aparelho celular da moça foi apreendido pela polícia. Encaminhada à Delegacia da Mulher de Valadares, a moça confessou que, de fato, estava grávida e tomou o medicamento Cytotec para induzir o aborto, com a ajuda do homem que seria, segundo ela, o pai do bebê. A história sobre a paternidade não convenceu a família da moça, que pediu um exame de DNA para saber quem é o pai do bebê. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário