CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA
CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

terça-feira, 1 de fevereiro de 2022

Mais de 650 mil crianças de até 5 anos saíram da escola durante a pandemia

Foto:(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Os dados fazem parte da primeira etapa do Censo Escolar 2021, divulgado nesta segunda-feira (31/1) Dados inéditos do Censo Escolar 2021 começaram a mostrar o tamanho do impacto da pandemia de covid-19 na educação brasileira. 653.499 crianças de até 5 anos deixaram a escola entre os anos de 2019 e 2021, uma queda no número de matrículas na educação infantil de cerca de 7,3%. Os números fazem parte da primeira etapa do Censo Escolar 2021, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta segunda-feira (31/1). Os dados mostraram que os alunos mais novos foram os mais afetados. O índice de crianças matriculadas em creches teve redução de 9% de 2019 a 2021, com destaque expressivo para a rede privada, onde a redução de foi de 21,6%. Em todas as etapas da educação, foram registradas, em 2021, 46,7 milhões de matrículas – cerca de 627 mil a menos em comparação a 2020, o que corresponde a uma redução de 1,3%. A rede municipal atende à maioria (49,6%) dos alunos. A rede estadual é a segunda maior (32,2%), seguida pela privada (17,4%). A União (rede federal) é responsável por 0,8% dos alunos matriculado. O país tem, ao todo, 178,4 mil escolas de educação básica. Ensino fundamental e médio Mais de 26,5 milhões de crianças estão matriculadas na educação básica. Em 2020, o Brasil registrou 11.928.415 estudantes do 6º ao 9º ano. Já em 2021, houve 11.981.950 matrículas, um aumento de mais de 53 mil alunos. O levantamento mostrou também que a proporção de alunos do ensino fundamental matriculados em tempo integral voltou a aumentar. Entre 2019 e 2020, a taxa caiu de 9,6% para 7,6% nos anos iniciais e de 9,3% para 6,9% nos anos finais. Já em 2021, foram registrados 8,5% e 9,2%, respectivamente. De acordo com a pesquisa, também houve aumento no número de matrículas no ensino médio. Foram registrados 7,8 milhões alunos em 2021 – um acréscimo de 2,9% em relação a 2020. Segundo o Inep, há uma tendência de evolução nas matrículas nos últimos dois anos do segmento educacional, com crescimento de 4,1% entre 2019 e 2021. Nessa etapa, o número de alunos em tempo integral aumentou significativamente na rede pública – de 13,8% para 16,4% em um ano. Na rede privada, a evolução foi menor, saindo de 5,4% para 5,8% entre 2020 e 2021. Educação profissional Durante a pandemia de covid-19, o número de alunos matriculados no formato de ensino profissionalizante registrou queda. Em 2020, 1.936.094 estudantes estavam matriculados no segmento, enquanto em 2021 o número registrado foi de 1.892.458 matrículas. Com informações da Agência Brasil Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário