CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA
CAMPANHA DE UTILIDADE PÚBLICA--INFRAESTRUTURA

sábado, 12 de fevereiro de 2022

Covid-19: 82% dos idosos que morreram em 2022 no DF estavam com vacinação incompleta

Foto:crédito: Jhonatan Ribeiro/Sejus-DF
Das 93 pessoas com mais de 60 anos que morreram por causa do novo coronavírus entre 1º de janeiro e 7 de fevereiro, 79 não se vacinaram contra a covid-19 ou estavam com o ciclo vacinal incompleto. Secretaria de Saúde divulgou dados nesta sexta-feira (11/2) O ano de 2022 começou com uma mudança significativa em relação às mortes provocadas pelo novo coronavírus. Dados da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) revelam que a maioria dos óbitos registrados este ano são de pessoas não vacinadas ou com o ciclo vacinal incompleto — que inclui a dose de reforço. A diminuição do número de vítimas teve impacto significativo, principalmente, entre os idosos. Das 106 mortes ocorridas de 1º de janeiro a 7 de fevereiro relacionadas à doença, 93 eram de pessoas com 60 anos ou mais. Desse total, 79 vítimas (82%) não haviam se vacinado contra a covid-19 ou estavam com o esquema de imunização incompleto. Em relação aos 14 demais que estavam devidamente imunizados, 12 apresentavam algum tipo de comorbidade e dois estavam na faixa dos 80 a 89 anos, segundo a SES-DF. A pasta apresentou os dados em coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (11/2). Além disso, divulgou a taxa de mortalidade do grupo acima dos 60 anos. O indicador ficou em 164,2 para os não vacinados: em cada grupo de 100 mil habitantes, em média, 164 idosos não imunizados morrem por causa da covid-19. Por outro lado, em relação à parcela da população com o ciclo vacinal completo, esse número cai para 4,9. "A taxa de mortalidade é 33 vezes maior no grupo de não vacinados. Portanto, fica bem claro para nós a importância da vacinação e a urgência de que todos procurem a dose de reforço de forma oportuna", destacou Priscilleyne Reis, chefe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal (Cievs-DF). O secretário de Saúde do DF, Manoel Pafiadache, ressaltou a necessidade de que a população se vacine. "Temos feito um esforço muito grande para aproximar o máximo possível a vacinação (do público), por meio das nossas unidades básicas (UBSs). Nós temos vacinação na Rodoviária. Agora, trabalhamos para, na semana que vem, colocar um posto na Estação de Metrô 102 Sul, para atender, principalmente, pessoas com deficiência", reforçou o chefe da pasta. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário