UM NOVO TEMPO

UM NOVO TEMPO
+ DE 40 ATENDIMENTOS PEDIÁTRICOS

sábado, 16 de julho de 2022

Convenções se aproximam, mas chapas seguem indefinidas

Urna eleitoral| Foto: Reprodução--
Lideranças goianas tendem a aguardar até o limite do prazo para confirmar composições das chapas majoritárias Faltam menos de 80 dias para o primeiro turno. Uma contagem regressiva já começou. E em ano eleitoral um dos termos mais ouvidos é a tal Convenção Partidária. Isso se deve a importância desse ato partidário. As convenções partidárias são reuniões internas entre os filiados de um determinado partido político para debater diversos assuntos de interesse do grupo, como a escolha de candidatos e formação das coligações (quando dois ou mais partidos se unem em uma única chapa para disputarem juntos o pleito majoritário). A Lei 13.165/2015, a Lei da Reforma Política, estabelece que as convenções devem ser realizadas entre o período de 20 de julho até 5 de agosto do ano da eleição. Como cada partido possui inúmeros filiados, é necessária a realização de uma reunião interna para que sejam escolhidos os postulantes aos cargos eletivos. Assim, fica claro a importância da convenção partidária. É nas convenções que são definidos os números com o qual cada candidato irá concorrer o pleito. Em geral, as convenções partidárias são realizadas no limite dos prazos – inclusive grandes partidos rivais marcam suas reuniões para o mesmo dia e horário na tentativa de surpreender com algum aliado que não era cotado. Em Goiás a convenção é aguardada com especial inquietação. A razão é que as chapas majoritárias ainda sequem indefinidas e a expectativa é de que os nomes que irão aparecer nas urnas só sejam confirmados no dia 5 de agosto. Os nomes que vão encabeçar as chapas já se confirmam. Na liderança das pesquisas eleitorais está o governador Ronaldo Caiado (UB), que busca a reeleição. Ele já se definiu pelo nome do vice ainda em 2021. Anunciou o presidente do MDB estadual, Daniel Vilela na composição. O que ainda não está resolvido é a vaga para o Senado. Na base aliada do governador há cinco nomes ainda no páreo. São eles: Alexandre Baldy (PP), Delegado Waldir (UB), Lissauer Vieira (PSD), Luiz do Carmo (PSC) e Zacharias Calil (UB). Embora alguns estejam dispostos em se lançar em candidaturas isoladas, há aqueles que forçam a escolha de um nome para compor uma chapa. O ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (Patriota) ainda segue sem um nome para sua vice. Há especulações, mas sem um nome apresentado para compor sua chapa. Já ao Senado, o pré-candidato definiu o nome. Será João Campos, do Republicanos. O candidato do presidente Jair Bolsonaro em Goiás, Major Vitor Hugo (PL), também está com a chapa em aberto. Ele ainda não escolheu um nome para ser seu vice. Há rumores de que ele aguarda definições na chapa de Ronaldo Caiado, para então tentar atrair algum partido que possa estar insatisfeito. O candidato ao Senado será Wilder Morais (PL.) PT já confirmou o nome de Wolmir Amado para ser a cabeça de chapa. Mas as demais vagas só devem ser acertadas nas convenções. Há nomes para o Senado que devem vir de partidos que compões a aliança nacional. Mas o PT ainda não dá indicativo sobre as preferências para composição. O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) também não tem uma chapa pronta. Aliás, a sua candidatura recém-anunciada ainda não tem nenhum indicativo de nomes que possam compor coo vice ou senador. Nos bastidores pouco se fala sobre essa composição, dizem que os nomes devem representar a região do Entorno do DF e região Sudeste, mas não há indícios que a chapa será pura ou se haverá alianças. As convenções deste ano podem trazer surpresas sendo aguardada com ansiedade por todos que acompanham o cenário político. 2022 será um ano atípico na questão dos prazos. Neste ano, serão apenas 46 dias de campanha, contando do início do prazo das convenções até a realização do 1º turno. Será a mais curta desde a eleição de 1994. Veja os prazos até a disputa do primeiro turno: – 20 de julho: começo das convenções partidárias e divulgação do TSE sobre o limite de gastos de cada cargo em disputa; – 5 de agosto: último dia para realização das convenções partidárias; – 12 de agosto: definição do TSE sobre o tempo que cada chapa um terá de propaganda no rádio e na TV; – 15 de agosto: último dia para registro de candidaturas; – 16 de agosto: início oficial da campanha eleitoral; – 26 de agosto: início da campanha em cadeia nacional de rádio e TV; – 1 de outubro: fim da propaganda eleitoral nos veículos de comunicação; – 2 de outubro: 1º turno das eleições 2022. Por Marcos Aurélio Silva Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/ponto-de-partida/convencoes-se-aproximam-mas-chapas-seguem-indefinidas-410119/

Nenhum comentário:

Postar um comentário