TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Johnny Depp teria procurado cocaína na vagina de Amber Heard, diz psicóloga

Foto:JIM WATSON / POOL / AFP
A fala ocorreu durante o julgamento de Depp contra Amber no processo de difamação após a atriz fazer relatos de violência doméstica em texto Iniciado no começo de abril e com previsão de término em duas semanas, o julgamento do processo de difamação movido por Johnny Depp contra a ex-esposa Amber Heard tem trazido a tona várias questões da vida conjugal dos atores. Nesta terça-feira (3/5), o tribunal recebeu a psicóloga Dawn Hughes, como parte da defesa da atriz, que fez relatos detalhados sobre violências sexuais sofridas pela atriz. As falas da médica seriam para desbancar a fala do médico e testemunha de Johnny Depp que afirmou que Amber sofria com distúrbio de diferentes personalidades. Segundo Dawn Hughes, ela avaliou Amber por cerca de 29 horas no total e essa avaliação a fez concluir que Amber sofria de abuso doméstico. Os relatos da atriz foram de chutes nas costas, empurrões e tapas, além dos relatos de violência sexual. Ela também fez uma análise descritiva de um dia em que que Depp teria, segundo o relato da psicóloga e da atriz, feito uma "busca" nas partes íntimas de Amber, na tentativa de procurar cocaína, que o ator acreditava que ela estava escondendo. A médica também disse que Amber teria relatado que Depp teria a penetrado com uma garrafa uma vez. Outros relatos falaram também do ciúme excessivo do ator e que Amber tinha medo de que ele aparecesse em sets de filmagem em que ela estava. Segundo as alegações, Depp teria entrado em contato diretamente com os colegas de tela da atriz na época em que os dois estavam casados, para alertá-los de que ele estava de olho no set. Entre os atores citados estavam James Franco e Billy Bob Thornton. Entenda o motivo do processo Amber Heard e Johnny Depp começaram a namorar em 2012 e se casaram em 2015. Um ano e meio depois, Amber decidiu pedir o divórcio e também solicitou uma ordem de restrição contra ele, alegando ter sofrido violência doméstica. O divórcio dos dois foi oficializado em 2017 mas o caso já tinha se tornado um evento midiático. Isso porque as alegações de violência sofridas por Amber haviam sido justificadas com imagens dos machucados sofridos. “Eu me manifestei contra a violência sexual — e enfrentei a ira de nossa cultura. Isso tem que mudar", diz Amber no artigo sem citar Johnny Depp nominalmente. O artigo publicado é a base para o processo atual que está em um julgamento de 50 milhões de dólares que visa declarar uma difamação contra Johnny Depp. "A insinuação do editorial de que o Sr. Depp é um agressor doméstico é categoricamente e comprovadamente falsa. O Sr. Depp nunca abusou da Sra. Heard", diz o processo movido pelo ator Acusações graves dos dois lados Nesta semana, Amber Heard demitiu toda a equipe de assessoria de imprensa e relações públicas. A motivação da decisão, segundo o jornal The New York Post, é que a atriz não estava satisfeita em como o ex-marido estaria "conquistando a mídia". “Ela não está satisfeita com as manchetes", disse uma fonte do jornal. “Ela está frustrada com a forma como a história dela está sendo contada", completou outra. A defesa de Amber chegou a pedir o arquivamento do processo movido por Depp contra a atriz, mas o juiz negou o pedido. Depp sempre negou as acusações de que seria violento com Amber. O ator diz que, na verdade, foi ele quem pediu o divórcio e que a versão dita por Amber seria um modo de se vingar dele. Em depoimento, o ator diz que a ex-mulher chegou a ameaçar se cortar com uma faca após o divórcio. Ainda segundo o ator, era Amber quem o agredia, e uma vez ele precisou de atendimento médico urgente porque teve a ponta de um dos dedos decepada durante uma briga. A atriz nega a acusação, e diz que todas as vezes em que jogou objetos na direção do ex-marido foi como tentativa de escapar de agressões. Os advogados de Heard apresentaram um áudio da época do casamento como prova das agressões. Na gravação, ela dá a entender que Johnny Depp apagava cigarros na pele dela. O ator negou a acusação e disse que a triz exagerou nos áudios. Em outro momento do depoimento, Johnny Depp diz que a ex-esposa teria colocado fezes em cima da cama do casal, motivando uma discussão. "Minha reação inicial foi rir", disse o ator, sobre as fotos apresentadas no julgamento. "Era uma coisa tão fora, tão bizarra e tão grotesca que eu só conseguia rir", concluiu, segundo relato do site Insider. Ainda segundo o ator, a ex-esposa teria tentado colocar a culpa nos cachorros do casal, mas ele não acreditou na justificativa, já que tudo foi feito do lado em que ela dormia. "Ela tentou culpar os cachorros. Eles são yorkshires pequenos e pesam cerca de 4 kg cada. Eu vivi com aqueles cachorros. Eu peguei o cocô deles. Não foram os cachorros", completou Depp. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário