TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

Por torturar criança de 7 anos, pai e madrasta são presos

Menino de 7 anos tem 'galo' na cabeça e outros ferimentos; pai e madrasta dele foram presos suspeitos de tortura Planaltina de Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera--
Casal confessou que batia porque ele era 'levado' e foi preso; gravação feita por vizinhos revela sons de agressão. Conselho Tutelar acolheu o garoto e outras quatro crianças. A Polícia Civil prendeu e indiciou pai e madrasta por tortura de um menino de 7 anos, em Planaltina de Goiás, no Entorno do DF. Segundo as investigações, o garoto tinha marcas de agressões em diferentes níveis de cicatrização e estava desnutrido. Um vídeo feito por vizinhos registra uma das agressões (assista acima). Os investigados estão presos. Segundo a Polícia Civil, o casal confessou que batia no menino porque ele era "levado". A reportagem não conseguiu descobrir quem representa o casal para pedir uma posição sobre o caso. A prisão e a conclusão do inquérito foram na terça-feira (23). O casal tinha outros quatro filhos, que foram levados pelo Conselho Tutelar após eles serem detidos pelos policiais. Segundo o delegado responsável pelo caso, Lucas Rocha, o casal passou por audiência de custódia e, por determinação da Justiça, deve continuar detido preventivamente por causa da gravidade da situação. “O inquérito foi aberto no inicio do mês. A gente concluiu as investigações nesta semana com a prisão e indiciamento dos dois pelo crime de tortura circunstanciada pela idade da vítima”, explicou o delegado. As investigações começaram em 5 de novembro, quando vizinhos do casal fizeram uma gravação que flagrou uma agressão a uma criança, sendo possível ouvir tapas. Esse vídeo foi enviado ao Conselho Tutelar da cidade, que resgatou o menino de 7 anos e registrou o caso. Segundo a Polícia Civil, o menino passou por exames que revelaram que ele estava com um “galo” na cabeça e arranhões em quase todo o corpo em diferentes graus de cicatrização - o que indica que as agressões aconteceram em momentos diferentes. Também foi constatado que o garoto estava desnutrido. De acordo com a corporação, a criança contou que chegou a ficar vários dias sem comer. Fonte: G1 GO

Nenhum comentário:

Postar um comentário