A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS

A CADA DIA, VIVEMOS MAIS PERTO DA VALPARAÍSO QUE QUEREMOS
VALPARAÍSO QUE EU QUERO 27

sexta-feira, 1 de abril de 2022

Serial Killer que matou quatro cães guardava coração de animal dentro de jarro em SC

Quando foi encontrado pelos policiais, ele havia acabado de tentar matar, a pedradas, mais um animal que foi salvo a tempo Suspeito de matar quatro cachorros em Campos Novos (SC), um jovem de 19 anos foi preso em flagrante pela Polícia Civil. Quando foi encontrado pelos policiais, ele havia acabado de tentar matar, a pedradas, mais um animal que, felizmente, foi salvo a tempo. O juiz da Vara Criminal de Campos Novos, Eduardo Bonnassis Burg, converteu nesta terça-feira, 29, a prisão em flagrante pela preventiva e determinou exame de sanidade mental do rapaz, cuja identidade não foi revelada. Conforme informações divulgadas pelo Tribunal de Santa Catarina, o homem seria esquizofrênico. A prisão do suspeito pode elucidar o mistério sobre o desaparecimento de cachorros de rua que acontece há meses no município. Nos últimos seis meses, voluntários de uma sociedade protetora dos animais contaram 27 animais desaparecidos. “Imaginávamos que as pessoas estavam adotando os animais e os levando para sítios da região. Isso porque quando um animal aparece atropelado, é nós que somos chamadas. Se aparecem mortos ou doentes, também. Então era essa a nossa suspeita”, disse ao Extra a advogada Laís Eufalia, que faz parte do grupo ANA, que cuida dos animais de rua da cidade. O caso começou a ser investigado por voluntários do grupo ANA. No dia 8 de março, a advogada passeava na rua com seu cachorro e deparou-se com um homem levando um vira-lata conhecido da ONG, de nome Mousse, preso em uma corrente. Segundo Laís, ela questionou as intenções do homem quanto aos cachorros, no que ele se recusou a responder e seguiu adiante, ignorando a mulher. Na noite do mesmo dia, o grupo ANA recebeu denúncias de que duas patas de cachorro foram encontradas próximo a um ginásio da cidade. Um boletim de ocorrência foi registrado no dia 9 de março, e no dia seguinte, as autoridades foram até a casa do suspeito, localizada em um terreno onde outros familiares do jovem também moram. Porém, nada foi encontrado no lugar. Entretanto, nesta segunda-feira, 28, a Polícia Civil foi alertada, pela própria família do homem, que ele mantinha um coração de cachorro guardado em um pote de conserva em sua residência. Depois da apreensão do frasco, entregue à polícia por um familiar, um outro parente relatou que o jovem teria acabado de chegar em casa com um cachorro preso a uma corda. No dia 9 de março um boletim de ocorrência foi registrado e, no dia seguinte, a polícia foi à casa do jovem, em um terreno onde outros de seus familiares também moram. Nada foi encontrado no lugar. Os policiais foram novamente até a casa do suspeito, e o encontraram somente com o seu prórpiro animal de estimação. No entanto, havia vestígio de sangue na corda, em suas roupas e mãos. Questionado, ele confessou ter matado um animal e informou o local do crime. No local indicado, a equipe policial encontrou uma pedra manchada de sangue. Fonte:https://jornaldebrasilia.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário