TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

domingo, 9 de janeiro de 2022

Inmet alerta para 72h de tempestades pelo país

Foto:(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Instituto chama a atenção para temporais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Tocantins e no Distrito Federal. Outras regiões também poderão ser afetadas A persistência da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) mantém as nuvens carregadas entre o Sudeste e o Norte do Brasil pelo menos até segunda-feira — e a previsão é de temporais ao longo do final de semana. O alerta é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que chama a atenção para temporais, hoje, em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Tocantins e no Distrito Federal. Também deverá chover de forma volumosa no leste e no norte de Mato Grosso, no centro-sul do Pará, no centro-leste e norte do Amazonas e no sul e no sudoeste da Bahia — mesma região que já foi atingida pelas enchentes, há poucos dias. As chuvas das últimas semanas têm deixado um rastro de destruição. Em São Paulo, o maior prejuízo, até agora, foi registrado em Barretos. A prefeitura decretou estado de calamidade pública, na noite de quinta-feira, depois que um temporal causou grande destruição na cidade. Conforme a Defesa Civil, em três horas a chuva acumulada atingiu 150 milímetros, quase a metade da média histórica do mês. A enxurrada transformou ruas e avenidas em rios. Uma ponte caiu e uma idosa foi arrastada ao sair do carro — ontem, ela continuava desaparecida. Outra mulher ficou ferida e foi levada para um hospital. O temporal atingiu todas as regiões da cidade, mas os alagamentos foram maiores nas partes baixas, onde a água invadiu dezenas de casas. Uma ponte que ligava os bairros Zezinho Amêndola e Cristiano Carvalho foi carregada pela enchente em um córrego. Uma adutora fixada à estrutura foi arrancada, deixando seis bairros sem abastecimento de água. Várias ruas tiveram o pavimento arrancado pela força da correnteza. Desabrigados No Nordeste, depois da Bahia, o Piauí também sofre com as tempestades: o número de pessoas desabrigadas em Teresina chegou a 1,3 mil, ontem, de acordo com a Defesa Civil. Ao todo, 424 famílias tiveram suas casas atingidas por alagamentos e a Zona Norte da capital é umas das mais afetadas — é onde ficam 95% das pessoas que deixaram as casas nas últimas 24h, conforme a prefeitura da capital. Na Paraíba, mais um açude atingiu a capacidade máxima de retenção de água e vazou. Foi em Cachoeira dos Índios, no Sertão paraibano — atingiu mais de 355.556 mil de metros cúbicos, chegando a 104% da sua capacidade total. Em Minas Gerais, um dos casos mais críticos é o da cidade de São Lourenço. O nível do Rio Verde ocasionou pontos de alagamentos, movimentações de terra e desabamento no município. Com isso, a prefeitura pediu para que comerciantes do centro e de áreas de risco evacuassem os comércios para evitar prejuízos em caso de enchentes. Em Belo Horizonte, os moradores devem se preparar para dias de tempestades e possíveis enchentes. Segundo a Climatempo, nos próximos dias pode chover o esperado para um mês na capital mineira. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) calcula a média de janeiro na cidade em aproximadamente 330 mm, porém o volume estimado até a próxima terça-feira tem tudo para superar a média histórica do mês. Ainda em Minas, 606 municípios estão em estado de alerta por conta do grande volume de água que deve cair nas próximas 72h. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário