UM NOVO TEMPO

UM NOVO TEMPO
+ DE 40 ATENDIMENTOS PEDIÁTRICOS

terça-feira, 21 de dezembro de 2021

"Nunca passei por algo assim", diz PM que salvou cachorro em parada cardíaca

Foto:(crédito: material cedido ao Correio)
Policial militar salva cachorro com parada cardíaca no Sudoeste, no domingo (20/12). O tenente, anteriormente, havia feito um parto no Varjão, em 2015 Um cãozinho Theo, da raça shih tzu, de 12 anos, foi salvo por um policial militar após passar mal dentro de casa, no Sudoeste, por volta das 10h30 de domingo (19/12). O tenente Murilo Marques, morador do mesmo prédio onde o cachorro e sua família moram, narra o acontecido. “Estava em casa, quando ouvi uma senhora gritar duas vezes pelo nome Theo. No momento, até achei que o cachorro estava correndo, porém logo depois ela começou a gritar desesperadamente”, afirma. “Foi aí que fui até a janela e vi a dona do cão de joelhos, no chão, sacudindo o cachorro”, contou o militar, que estava de folga no dia. De acordo com o policial, nesse momento, ele desceu pelas escadas do último andar onde mora e, no local, se deparou com o cachorro sem sinais vitais. “Deitei o cachorro no chão e iniciei a massagem cardíaca, da mesma forma que faria com uma criança usando os polegares”, diz o militar. “Após mais ou menos dois minutos de massagem cardíaca, o cachorro felizmente voltou a respirar”, destacou o tenente, que nunca havia feito algo parecido antes. Veja o vídeo.
Após o acontecido, o tenente orientou para que a dona do animal levasse o pet ao veterinário após as complicações no coração. O cachorro, por ter uma idade avançada, passou por exames. “Conversando com a dona do Theo, ela me informou que ele passou por alguns exames e está bem em casa. Ele, por ser idoso e também brincando com outro pet da residência, acabou não resistindo naquela hora. Que bom que tivemos um final feliz”, comemora o militar. Situações inusitadas Não é a primeira vez que Murilo trabalha com situações tão inusitadas. Em março de 2015, ele e outros militares estavam de plantão em um posto policial no Varjão, quando um homem apareceu na unidade pedindo socorro porque uma mulher havia entrado em trabalho de parto em uma quadra ao lado. “Nunca passei por algo assim com com situações que envolvem animais, o máximo que já fiz mesmo foi um parto”, brinca. À época, o Corpo de Bombeiros foi acionado para levar mãe e filha ao Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Estagiário sob a supervisão de José Carlos Vieira Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário