TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Recém nascido de 21 dias morre após ser atacado por pitbull da família

Foto:(crédito: Sumeet Singh on Unsplash)
O bebê dormia no berço quando foi atacado. O bisavô da vítima usou uma faca e acabou matando o animal Na última segunda-feira (17/1), um bebê recém nascido de 21 dias foi morto na cidade de Limeira (SP) após um ataque de um cachorro. A criança estava dormindo no berço quando o pitbull da família o atacou. Segundo informações da Polícia Civil da cidade, a mãe do bebê teria ido tomar um banho e pediu para que seus avôs cuidassem da criança. Foi neste momento que o animal foi até o berço e atacou o recém nascido. O bisavô do bebê, tentando conter o ataque, usou uma faca contra o animal que morreu. O bebê chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Abílio Pedro mas não resistiu aos ferimentos. A mãe da criança também precisou ser atendida na unidade de saúde depois do ocorrido. O caso ainda será investigado pela polícia local. Ataque de cachorro em Planaltina (DF) Casos de ataques de pitbull estão cada vez mais frequentes no Brasil. No último dia 5 de janeiro, um adolescente de 12 anos teve parte da perna dilacerada por um cachorro, em Planaltina, cidade do Distrito Federal. O animal foi morto a tiros por um policial militar, que também é tio do garoto. Na data do ocorrido, o menino foi levado para o Hospital Regional de Planaltina, e não teve complicações. O cão era uma mistura das raças pitbull e fila e pertencia a um dos vizinhos do menino. Segundo moradores, era comum episódios de ataques na região por parte do animal que já tinha agredido outras crianças e adultos. Pitbull mata uma criança e deixa outra ferida em Luiziânia (GO) Em abril de 2021, durante um patrulhamento, a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) parou o ataque de um pitbull que tinha atacado duas crianças, uma de 7 e a outra de 2 anos, na cidade de Luziânia (GO). Ele era o animal de estimação da família e, para conter os ataques, a polícia precisou atirar. A criança de 7 anos ficou ferida no antebraço e a de 2, na região do pescoço. As duas chegaram a ser encaminhadas à unidade de pronto atendimento (UPA) da cidade mas a de 2 anos não resistiu aos ferimentos. Na época, os policiais conduziram o pai das vítimas, 34 anos, e uma testemunha para prestarem declarações e dar encaminhamento aos demais procedimentos cabíveis. De acordo com a autoridade policial, não haviam informações suficientes para supostas acusações do pai por homicídio culposo e lesão corporal culposa. Fonte:https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário