TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Por reajuste salarial, servidores fazem paralisação em frente ao BC

Cerca de 400 manifestantes reuniram-se em frente ao Banco Central. Às 14h, eles devem protestar no Ministério da Economia Servidores federais se unem na manhã desta terça-feira (18/1) em frente ao Banco Central para protestar a favor do reajuste salarial para todas as categorias do funcionalismo. À tarde, a partir das 14h, os manifestantes devem se deslocar para o Ministério da Economia, em uma ofensiva contra Paulo Guedes, que está resistente às negociações com os servidores. Cerca de 400 pessoas estão em frente ao BC. A mobilização foi organizada pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate) e pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). Juntas, as redes sindicais representam mais de 200 mil servidores. Com trio elétrico e bateria, os manifestantes foram embalados pela música “Vida de Gado”, do cantor Zé Ramalho. “É duro tanto ter que caminhar e dar muito mais do que receber”, cantam com ênfase os servidores. Segundo a categoria, no governo Bolsonaro, o congelamento salarial da classe já chega a cinco anos. Ao fim da canção, subiu no trio elétrico o presidente da Sindicato Nacional dos funcionários do Banco Central (Sinal), Fábio Faiad. Ele frisou que, “não havendo negociação com o governo até a segunda quinzena de janeiro, terá paralisação em fevereiro”. A revolta do funcionalismo público começou após o Congresso Nacional aprovar o Orçamento de 2022, que cortou verbas da Receita Federal e reservou R$ 1,7 bilhão para reajuste salarial exclusivo a policiais federais, em pleno ano eleitoral. O aumento para a categoria partiu de uma demanda do próprio presidente Jair Bolsonaro (PL). Por Talita Laurino Fonte:https://www.metropoles.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário