TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

sexta-feira, 28 de maio de 2021

Sucessão Jorcelino Braga avalia que oposições vão se unir contra o governador Ronaldo Caiado

Jorcelino Braga, presidente do Patriota / Foto: reprodução/Rota Jurídica
O empresário e marqueteiro avalia que o MDB tem nomes fortes, assim como o Patriota, com Jânio Darrot. Ele sugere que Iris Rezende é forte para senador O presidente do Patriota em Goiás, empresário e marqueteiro Jorcelino Braga, afirma que os postulantes das oposições ao governo do Estado, para a disputa de 2022, “estão trabalhando. No final, quem tiver mais condições será o candidato. O nosso objetivo é unir toda a oposição para enfrentar o governador Ronaldo Caiado, do partido Democratas”. “Noto que Daniel Vilela e Gustavo Mendanha têm vontade de disputar o governo. Mas, claro, são pessoas diferentes. Acredito que um vai com o outro até o fim”, afirma Jorcelino Braga. “Jânio Darrot, o nosso pré-candidato, está trabalhando, conversando com líderes de partidos. O nome dele está colocado e é, sem dúvida, um excelente candidato a governador. Foi prefeito de Trindade por oito anos e o município é um dos mais importantes de Goiás. Ele é empresário e não é fácil ser empresário bem-sucedido no Brasil. Por sua própria natureza diplomática, Jânio está aberto ao diálogo”, diz o presidente do Patriota.
Sobre uma possível aliança entre Ronaldo Caiado e Daniel Vilela, os líderes do Democratas e do MDB, Jorcelino Braga sugere que a decisão será de Daniel Vilela. “Mas acredito que não haverá composição entre os dois.” Sobre Iris Rezende, Jorcelino Braga avalia que, se disputar o Senado, tem chance de ser eleito. “Se tirar Iris do páreo, fica todo mundo igual, ninguém se destaca tanto quanto o ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia. Mas Alexandre Baldy (Progressistas), João Campos (Republicanos), Vilmar Rocha (PSD), Delegado Waldir Soares (PSL) e Luiz Carlos do Carmo (MDB) são nomes a considerar. Meirelles é um nome que merece respeito, mas não difere dos demais. Ele foi eleito em 2002, com quase 200 mil votos, e foi embora de Goiás.” Fonte:https://www.jornalopcao.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário