TÚNEL DE TAGUATINGA

TÚNEL DE TAGUATINGA
O FUTURO PASSA POR AQUI

domingo, 31 de outubro de 2021

ACUSADO PELO MPGO DE MATAR A COMPANHEIRA A TIROS EM GOIÂNIA VAI A JÚRI POPULAR

O réu Adriano Vicente de Souza, conhecido como Niquita, será submetido a júri popular pelo feminicídio de sua companheira, Deocleciana Mendes Alves. O crime aconteceu em 3 de outubro de 2016, quando ele disparou contra a vítima em uma rua do Residencial Eli Forte, em Goiânia. Ele foi denunciado pelo promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos. A decisão de pronúncia (aquela que admite a acusação e encaminha o acusado a julgamento perante o júri), proferida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, apontou que a denúncia demonstra a materialidade do crime e os indícios de autoria, requisitos necessários para a pronúncia. Conforme apurado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), réu e vítima mantinham uma união estável por cerca de quatro anos. Ambos eram usuários de drogas e traficantes, motivo pelo qual foram presos no município de Palmeiras de Goiás, onde residiam. Ocorre que a vítima passou a cumprir pena em regime semiaberto, enquanto Adriano Vicente manteve-se encarcerado. Fora do presídio, ela envolveu-se afetivamente com outro homem, motivo pelo qual o denunciado passou a ameaçar de morte Deocleciana, que relatou a situação aos seus familiares. Fuga e disparos em via pública Narra a denúncia que, na noite de 1º de outubro de 2016, o denunciado fugiu do presídio de Palmeiras de Goiás. No dia seguinte, Deocleciana saiu da casa na qual morava com a mãe do acusado e fugiu para Goiânia, certa de que ele cumpriria as ameaças. No dia 3 de outubro, por volta das 5h52, Adriano Vicente viu a vítima na Rua EF10, no Residencial Eli Forte, e disparou contra a então companheira, que morreu no local. Na fuga, ele roubou um veículo e, em seguida, praticou um roubo na cidade de Trindade, onde foi preso e autuado em flagrante. Ele foi detido na posse de uma arma de fogo do mesmo calibre daquela usada para matar Deocleciana. (Texto: Cristina Rosa/Assessoria de Comunicação Social do MPGO - foto: Banco de Imagem)

Nenhum comentário:

Postar um comentário